Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

@SomdoNorte, 7 anos!

Nesta quarta, 3 de agosto, o blog Som do Norte completa 7 anos desde que suas atualizações se tornaram diárias, após um período experimental de um mês no ar. E é o primeiro aniversário em que podemos comemorar o registro da marca "SomdoNorte.com.br", acompanhada do logotipo-mapa-do-Brasil; o registro foi deferido em 15 de julho pelo INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). O registro é importante à medida que todo o material já divulgado e o que ainda será lançado dentro do projeto As Tias do Marabaixo leva a chancela do Som do Norte. E ainda evita que pessoas sem vínculo algum conosco utilizem a marca sem nossa permissão. 

De 2009 para 2016 muita coisa mudou, aqui e no mundo. Os blogs já não são a principal mídia virtual, mas é claro que ainda têm seu público (basta dizer que, neste ano, temos uma média de 6 mil visitas/mês, ou seja, 200/dia). Creio que transcrever o trecho inicial de um texto recente escrito para a coluna "Papo Cabeça", que mantenho no blog e na coluna de jornal do Roraima Rock'n'Roll, ajude a detalhar melhor esta questão: 
"Em 2009, quando lancei o blog Som do Norte, pode-se dizer que estávamos na Pré-História das redes sociais. Quem dominava esse mercado aqui no Brasil era o Orkut, e nos Estados Unidos e parte da Europa o MySpace – sim, ele pretendia ser uma rede social, embora tenha se destacado por algum tempo pelas postagens de músicas. Mesmo assim, sem liberar um código para inserir as canções em sites, blogs ou outras redes sociais, pode-se dizer que o MySpace tinha uma interface monolítica, ainda mais se comparado com o talvez seu principal sucessor, o Soundcloud. 
Num cenário como o descrito, era útil e por vezes até necessário para artistas e bandas independentes entrar em contato com os principais sites e blogs existentes, voltados para o tipo de som que faziam e/ou o recorte geográfico em que se inseriam, uma vez que estes espaços, geralmente criados por jornalistas ou aficionados da área, acabavam se tornando referência e atraindo a audiência de um público que poderia se interessar pelo som daquela banda X (ou daquele artista Y). 
Esse cenário começou a se modificar, pelo menos no Brasil, a partir de 2011, com a ascensão entre nós do Facebook, tomando então o lugar que já tinha sido do Orkut e (pasmem) do Twitter até ali. Desde então, não param de surgir espaços onde o próprio artista pode falar diretamente com seu público – e ponha aí Instagram, Google +, LinkedIn, Snapchat e váááárias outras, como vemos na imagem, que inclui até sites que nem pensamos ser uma rede social, como o YouTube." (clique aqui para ler o texto completo no LinkedIn)

Em suma: à medida que os artistas foram criando os próprios canais para se comunicar com o público, diminuiu de forma natural a procura por espaços como este para a publicação de suas notícias. Chegou a acontecer, e não foi uma nem duas vezes, que bandas que contatei recentemente para entrevistar para o blog não atenderam o pedido - não houve, de fato, nenhuma recusa direta, mas algumas semanas de silêncio podem constituir uma resposta bastante eloquente, não é? Enfim, é a vida. 

Creio que o grande papel que cabe a este espaço cumprir atualmente é o de constituir um referencial para a movimentação da música nortista de 2009 para cá. Este post será o de nº 4.745 do blog. Recentemente, tirei do ar pouco menos da metade disso - 2.155 posts, a imensa maioria posts de agenda, apenas com o flyer de anúncio de um evento. Não só esse material, passado o evento, se torna de interesse reduzido, como também tem ocorrido alguma confusão à medida que tais posts surgiam nas Lembranças do Facebook, com pessoas pedindo informações sobre um show de 2012 como se ele estivesse por acontecer, por exemplo. Em tempo: nenhum post foi apagado, então se você é artista ou integrante de uma banda e necessita material de clipagem para comprovação de atuação, para fins de inscrição em edital, entre em contato conosco. O mesmo se aplica para estudantes que necessitem pesquisar para seus trabalhos escolares ou acadêmicos. 

Aos poucos, irei revisar tudo o que continua no ar, já que em muitos posts os links para downloads, ou streaming, ou as fotos, ou quaisquer outras funcionalidades de terceiros que havíamos incorporado ao texto simplesmente sumiram (como as caixinhas cantantes, inoperantes desde que o site SingingBox saiu do ar sem explicação alguma; ou o PagSocial, que era nosso padrão para download, e também mudou totalmente dum dia pro outro sem aviso prévio). Apenas contamos com sua compreensão caso acesse algum post "capenga" antes de o revisarmos, afinal são 2.590 posts que se encontram no ar! 

Enfim, a ideia é manter o blog como uma fonte de pesquisa online sobre a música da Amazônia, enquanto houver internet. Entre e sinta-se em casa!
:)

Fabio Gomes



Nenhum comentário:

Postar um comentário