Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Agenda Macapá: 2º Viva Macunaíma



Texto: Mariléia Maciel

O 2º Viva Macunaíma será neste sábado, 23, com a participação das escolas de samba do Amapá, grupos de samba e de pagode, no Theatro do Samba da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho (AUSBL), a partir das 20h. A ação de solidariedade é para ajudar o intérprete de samba de enredo, Agnaldo dos Santos, conhecido como Macunaíma, que está em tratamento para combater o câncer. Os eventos solidários são organizados por uma comissão, formada por familiares, integrantes de AUSBL, de escolas de samba, artistas e amigos.  As bebida e comidas que serão vendidas são doações de amigos, e a entrada custa R$ 10,00.

Macunaíma é intérprete da USBL, membro da família quilombola tradicional, ele é neto da falecida Tia Chiquinha, e filho de Benedito Santos, o seu Biluca, fundador da Boêmios. No início de janeiro, após retorno da biópsia feita em São Paulo, foi confirmado o diagnóstico de câncer no esôfago.  Sem condições financeiras, uma grande rede de amigos e parceiros foi formada em menos de 48 horas após a confirmação, e Macunaíma, através do Tratamento Fora de Domicílio (TFD), foi transferido para um hospital no Nordeste, onde recupera a resistência física para continuar as sessões de radioterapia.  

O primeiro Viva  Macunaíma aconteceu há menos de duas semanas e mostrou a força da rede solidária. A coordenação se uniu na organização das apresentações de cerca de 50 artistas amapaenses, quando foram vendidas comidas e bebidas, fruto de doações, e centenas de pessoas pagaram para entrar o Theatro do Samba para ajudar no tratamento de Macunaíma, e assistência à família. Ele é casado e tem quatro filhos. A arrecadação, de R$ 15.640,00, foi depositada após o evento.

Este evento, em parceria com a Liga das Escolas de Samba do Amapá (Liesap), terá a participação das baterias de escolas de samba, com rainhas de bateria, casais de mestre-sala e porta-bandeira, passistas e sambistas. “Macunaíma é uma pessoa muito querida, humilde e trabalhador, e conseguiu reunir em solidariedade, todo o segmento cultural, imprensa, empresários, políticos e gestores, que ajudaram a lotar a sede de Boêmios, de amigos e muitas pessoas que nem o conheciam para o primeiro evento.  Somos gratos à todos, que formam a corrente de amor, com ajuda financeira e orações, em favor de Macunaíma”, agradeceu seu irmão, o músico Adelson Preto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário