Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Lançamento: Filho de Gal - Liège



A cantora e compositora paraense Liège lança nesta sexta, 22 de janeiro, com exclusividade pelo Deezer, seu primeiro EP, Filho de Gal. Após um mês, as músicas serão disponibilizados via streaming para as demais plataformas digitais, como iTunes e Spotfy.

Com quatro faixas autorais e inéditas, o EP traz uma mistura de pop rock com MPB e ainda ritmos regionais, apresentando composições fortes e arranjos marcantes. “Filho de Gal” é um disco singular, que dá a Liège um lugar de destaque na nova safra da música popular.

O EP tem direção musical do jovem músico Dan Bordallo (Banda Blues & Cia, Jungle Band e Marcel Barreto) e foi gravado em Belém/PA no estúdio Na Music, mixado no estúdio Casarão Floresta Sonora e masterizado no estúdio O Grito, em SP. Realizado e lançado pela Editora Na Music em parceria com FUNTELPA, o EP tem apoio do blog Som do Norte. O show de lançamento do EP está previsto para o dia 20 de fevereiro.



    Faixa a faixa

    1 - GIRA SÓIS (Liège) - A composição retrata a paixão pelos olhos brilhantes de um rapaz e a curiosidade do eu lírico feminino em conhecê-lo através dos seus olhos, adivinhar seus quereres e mistérios. O ritmo é uma mistura entre o pop rock e o carimbó, ritmo paraense, com toques de eletrônico. O guitarrista da banda Strobo, Léo Chermont, fez participação especial na faixa junto com o baterista Alexandre Cunha.

    2 - CABELO (Liège) - Letra e melodia bem humoradas retratando de forma divertida a relação humana com os cabelos, a aparência e seus entremeios. O arranjo é plural, com sintetizadores eletrônicos e baixo em evidência.

    3 - CHEGA-TE A MIM (Liège) - A faixa mais doce e romântica do disco. Carrega o nome de uma famosa erva produzida no mercado do Ver-o-Peso, em Belém do Pará, que promete trazer para perto o ser amado. A letra usa frases com chamativos paraenses, como "bora" que quer dizer "vamos", além de brincar com estrofes que exaltam elementos típicos dos costumes paraenses como rede e chuva da tarde.

    4 - FILHO DE GAL (Liège) - Título do EP, essa faixa é a mais forte do disco. Estampa, em uma só música, diversos problemas sociais, com ironia, trazendo uma reflexão sobre diversas faces do preconceito. Cantada de maneira forte, afirma a força do ser humano como autor de sua própria história, como um Filho de Gal. A referência é a cantora Gal Costa, uma mulher sempre à frente de seu tempo, despudorada e transgressora, que marcou a música brasileira por seu canto e sua atitude libertária no palco e na vida.

    • Liège - A cantora e compositora paraense Liège é um exemplo de que a beleza está na diversidade. Em suas composições, ela faz uma MPB contemporânea com apelo ao pop, brincando com ritmos regionais. Saiba mais no site da artista
    Para Liège, a música está no sangue. Seu avô foi pioneiro na instalação de rádios-cipó (alto-falantes colocados em postes que retransmitiam o som produzido em uma cabine) em municípios próximos a Belém, como Mosqueiro. Os grandes sucessos tocavam nessas rádios e foi nessa atmosfera que sua mãe começou a trabalhar como locutora. Sua avó, hoje com 89 anos, ainda toca vários instrumentos como violão, cavaquinho e piano. Seu irmão também canta e seu tio-avô Hugo Lisboa era escritor, poeta, músico, compositor e foi parceiro de composições da banda paulista Demônios da Garoa. Foi nesse universo que Liège cresceu.

    Ainda criança fez teatro e começou a cantar. Na adolescência, o baterista da banda Álibi de Orfeu, Rui Paiva, descobriu o talento da artista e a levou para cantar em barzinhos. Carreira que interrompeu por três anos por conta da chegada de sua filha, Lis.

    Em 2013, Liège gravou uma versão da música "Pássaro Solto" do compositor Paulo César Pinheiro com o violonista Salomão Habib. No encontro, estee conheceu o trabalho autoral da compositora e lhe cobrou a retomada de sua carreira, agora com composições próprias. A ideia foi amadurecida e o primeiro passo é marcado pela música "Toute la Vie", composição de Liège, que tem produção do músico Dan Bordallo.

    Compondo em português e francês, a artista tem como influências Lenine, Paulinho Moska e os franceses Bem L´Oncle Soul e Charles Aznavour, além do mineiro Milton Nascimento, Gal Costa, Elis Regina e Tulipa Ruiz, grandes referências para sua carreira.

    Misturar é também uma marca de Liège, que entrelaça seu trabalho com as diversas linguagens artísticas como moda, fotografia e artes cênicas e áudio visuais. Foi assim, por meio de uma parceria com o curitibano Filipe Parolin e o paraense Marcelo Rodrigues, que surgiu o clipe da música "Toute la Vie", composição da artista que fala da chegada de sua filha, Lis. Com muita sensibilidade, a dupla de diretores de cinema retrata no vídeo a terna relação entre as duas. O lançamento aconteceu em 2013, no Gotazkaen Estúdio, em Belém.

    Em 2014, Liège fez uma temporada de shows em Belém, em homenagem aos 25 anos de carreira da também cantora e compositora Marisa Monte, intitulado “Diariamente Marisa”, com sucesso absoluto de bilheteria.

    Em 2015, a artista obteve destaque durante sua apresentação no 10º Festival Se Rasgum, após ser vencedora das Seletivas para o festival e iniciou a produção e gravação de seu primeiro EP intitulado Filho de Gal.

    quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

    Agenda Macapá: 2º Viva Macunaíma



    Texto: Mariléia Maciel

    O 2º Viva Macunaíma será neste sábado, 23, com a participação das escolas de samba do Amapá, grupos de samba e de pagode, no Theatro do Samba da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho (AUSBL), a partir das 20h. A ação de solidariedade é para ajudar o intérprete de samba de enredo, Agnaldo dos Santos, conhecido como Macunaíma, que está em tratamento para combater o câncer. Os eventos solidários são organizados por uma comissão, formada por familiares, integrantes de AUSBL, de escolas de samba, artistas e amigos.  As bebida e comidas que serão vendidas são doações de amigos, e a entrada custa R$ 10,00.

    Macunaíma é intérprete da USBL, membro da família quilombola tradicional, ele é neto da falecida Tia Chiquinha, e filho de Benedito Santos, o seu Biluca, fundador da Boêmios. No início de janeiro, após retorno da biópsia feita em São Paulo, foi confirmado o diagnóstico de câncer no esôfago.  Sem condições financeiras, uma grande rede de amigos e parceiros foi formada em menos de 48 horas após a confirmação, e Macunaíma, através do Tratamento Fora de Domicílio (TFD), foi transferido para um hospital no Nordeste, onde recupera a resistência física para continuar as sessões de radioterapia.  

    O primeiro Viva  Macunaíma aconteceu há menos de duas semanas e mostrou a força da rede solidária. A coordenação se uniu na organização das apresentações de cerca de 50 artistas amapaenses, quando foram vendidas comidas e bebidas, fruto de doações, e centenas de pessoas pagaram para entrar o Theatro do Samba para ajudar no tratamento de Macunaíma, e assistência à família. Ele é casado e tem quatro filhos. A arrecadação, de R$ 15.640,00, foi depositada após o evento.

    Este evento, em parceria com a Liga das Escolas de Samba do Amapá (Liesap), terá a participação das baterias de escolas de samba, com rainhas de bateria, casais de mestre-sala e porta-bandeira, passistas e sambistas. “Macunaíma é uma pessoa muito querida, humilde e trabalhador, e conseguiu reunir em solidariedade, todo o segmento cultural, imprensa, empresários, políticos e gestores, que ajudaram a lotar a sede de Boêmios, de amigos e muitas pessoas que nem o conheciam para o primeiro evento.  Somos gratos à todos, que formam a corrente de amor, com ajuda financeira e orações, em favor de Macunaíma”, agradeceu seu irmão, o músico Adelson Preto.

    quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

    Agenda Macapá: Encontro Cultural Viva Macunaíma




    Uma grande mobilização de artistas, carnavalescos, sambistas e comunidade em geral está acontecendo desde o início da semana, para ajudar o intérprete da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho, Agnaldo Santos, conhecido como Macunaíma, de 40 anos. Ele teve o diagnóstico de  câncer no esôfago confirmado na tarde desta terça-feira. A doença está no nível 3, e precisa de ajuda para o tratamento. As promoções para arrecadar recursos iniciam neste final de semana, com programação no Theatro do Samba de Boêmios do Laguinho.

    “A rede de solidariedade foi muito importante, porque juntou todo mundo em 48 horas. Macunaíma tem muitos amigos e isso agilizou sua saída de Macapá. Vimos com emoção todos chegando com muito boa vontade, querendo doar um pouco, desde alimentos para a família até carinho e força. Ele deixou de ser intérprete de Boêmios e se tornou um cidadão de todas as vertentes culturais. Isso é muito emocionante, ver as escolas de samba, grupos de pagode, cantores da MPA, todos unidos em favor do Macunaíma”, disse Jocildo Lemos, presidente da Universidade de Samba.



    Na noite desta quarta-feira, 6, foi realizada uma reunião na sede da agremiação, com a presença de artistas, carnavalescos, comunidade, amigos e familiares, que montaram uma equipe de coordenação das promoções. “Muita gente estava organizando promoções, mas montamos esta central de organização para evitar a coincidência de dias e horários. Esta central também ajuda na divulgação das ações e a viralizar nas redes sociais. É a Corrente de Amor para ajudar Macunaíma”.

    Com a ajuda da rede de solidariedade, o intérprete conseguiu vaga em um hospital de Fortaleza, e ontem mesmo seguiu para iniciar a radioterapia. A esposa, Cristina Vilhena, está acompanhando e os quatro filhos do casal ficaram em Macapá sob os cuidados de familiares. Neste domingo tem programação no Theatro do Samba a partir do meio-dia, com venda de comidas, apresentação de grupos de marabaixo e escolas de samba, e shows artísticos. Durante os intervalos serão sorteados prêmios. Nos próximos finais de semana as promoções continuam em vários cantos da cidade.

    Programação deste domingo, 10 de janeiro:

    10h – abertura do Theatro do Samba
    12h – Venda de comida e bebida
    De 14h às 16h – apresentação de grupos tradicionais de batuque e marabaixo
    De 16h às 19h – Show de cantores da MPA
    A partir de 19h – Show de samba e pagode, apresentação de escolas de samba.

    Ingresso: R$ 10,00

    Atrações confirmadas:

    Paulinho Bastos, Taronga, Mayara Braga, Alan Gomes, Tom Campos, Patrícia Bastos, Enrico Di Miceli, Banda Negro de Nós, Nonato Santos, Brenda Melo, Oneide Bastos, Afro Brasil, José Maria Cruz, Fabinho, Cleverson Baia, Nena Silva, Adelson Preto, Pezão, Clay Sam, São Batuques, Poetas Azuis, grupos de Marabaixo da Favela, da Juventude, e do Laguinho, grupo Raízes do Bolão, Cia de Dança Afro Baraká, e grupo de toada Estrela do Norte.