Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Diz Aí: Israel Perera

Pela primeira vez desde que o blog é blog, entrevistamos um músico estrangeiro. Israel Perera é da Venezuela, país sul-americano que faz fronteira com os estados brasileiros do Amazonas e de Roraima, Pois bem, nosso entrevistado consegue atualmente a proeza de participar de bandas destes três lugares (sim!!) - no começo do mês, foi anunciado como mais novo integrante da Nicotines, de Manaus. Na conversa a seguir, Israel nos conta como consegue abraçar todos estes projetos, fora o que realiza em produção em seu país natal, e seus projetos para 2015. (Fabio Gomes)

***


Som do Norte - Israel, no espaço de pouco mais de uma semana seu nome estava incluído no noticiário sobre duas bandas da região Norte. Em 29 de janeiro, a Folha de Boa Vista publicou uma matéria de Raísa Carvalho sobre o primeiro aniversário da banda Dr. Yoko, e em seguida, no dia 4 de fevereiro, você foi anunciado como o mais novo integrante da banda Nicotines, de Manaus. Como surgiu o convite da Nicotines?


Israel Perera - Conheci a Sandro Nine (à esquerda na foto ao lado, junto com seus colegas de Nicotines Lauro Henrique e David Henry) em um festival realizado pelo Coletivo Canoa Cultural em Pacaraima (RR), fronteira com Venezuela, e já falávamos de tocar juntos em alguma oportunidade. Falamos antes de gravar o EP e sempre estava esperando a oportunidade de tocar com Nicotines. Sandro hospedou a nossa banda Dr. Yoko nas duas oportunidades que a gente tocou em Manaus; além de nossa grande amizade, temos algo em comum que é a música, e quando me ligaram não duvidei em aceitar o convite.

Som do Norte - As suas duas bandas estão preparando EPs para lançamento em breve, não é? A Nicotines já vem gravando há algum tempo no LS Brazil Studio (Manaus), com produção de Ygor Lopez; você tem  participado das gravações? E o que falta para o lançamento do EP da Dr. Yoko?

Israel Perera - Eu não participei nas gravações da Nicotiines, vou começar no final desse mês os ensaios e preparar a turnê de lançamento do EP, que será junto com o lançamento do EP da Dr. Yoko. Hoje (quinta, 19/2), vou gravar a voz com a produção de Fabrício Cadela no estudio Parixara, acho que é só 50% do trabalho, falta a mixagem, masterização, arte e prensar as cópias, quando estiver tudo pronto anunciaremos as datas e as cidades (da turnê). 

Som do Norte - Uma curiosidade de ordem pessoal: na reportagem da Folha diz que você mora em Santa Elena, na Venezuela, fronteira  com o Brasil. Agora, integrando essas duas bandas brasileiras, você planeja seguir morando na cidade?

Israel Perera - Provavelmente, gosto de viajar constantemente e fazer música com amigos me dá essa oportunidade. Também conheci gente maravilhosa que me deu um lugar em sua família, como Ivonira Chavez, Daniel Dalmaset, Irene Werlang e toda a família Campos e Werlang a quem tenho muito que agradecer. Ano passado, a Dr. Yoko tocava em média 4 vezes por mês, e ainda tive tempo pra compartilhar com minha família. Nesse ano vai ser um de meus maiores desafios, mas também muito prazeroso,  mas vai ser o mais prazenteiro, não poderia estar mas feliz com estes dois lançamentos, 


Resultado de imagem para morte do presidente Hugo ChávezSom do Norte - No Brasil, não sabemos muito da Venezuela, principalmente após a morte do presidente Hugo Chávez (ocorrido em 5 de março de 2013 - foto ao lado). Como é o panorama do país para bandas de rock independentes? A banda Acertijo ainda existe? Conte um pouco também sobre sua experiência como produtor do festival Gran Sabana Rock, que reúne bandas brasileiras e venezuelanas.


Israel Perera - É delicado, não poderia falar de toda Venezuela mas tem algumas cidades que não têm aqueles shows e festivais independentes constantes por causa da delinqüência, insegurança e na maioria das vezes por falta de dinheiro. Mas há cidades como Puerto Ordaz que trabalham independentemente para reavivar o movimento e pra dar só um exemplo o Rock Sin Fronteiras, feito por bandas que se uniram, como Acertijo, Viamordaz, Virtual Vintage, Lunitari, Essentia. Nós da Dr. Yoko tivemos a oportunidade de tocar junto com Acertij, eles estão mas fortes que nunca, agora estão trabalhando no seu EP; vamos compartilhar palco no mês de março em Ciudad Bolívar, na Venezuela. É muito gratificante conhecer o trabalho de bandas e formar parte de uma, temos várias idéias pra tornar o Gran Sabana Rock ainda maior. No ano passado, íamos realizá-lo em Valencia e Margarita, mas foi no momento em que se iniciaram os protestos em toda Venezuela e era inseguro, mas o projeto segue de pé. Na ultima edição participaram Infâmia, Antiga Roll e Os Playmobils (bandas amazonenses), nas edições passadas com Nicotines (AM), Mr. Jungle (RR), Johnny Manero (RR) e bandas venezuelanas como Ganyaclan, Sr. Harry, Acertijo; é muito gratificante poder colaborar e dar a conhecer o trabalho de grandes bandas e abrir esse espaço em Santa Elena, na fronteira Brasil-Venezuela. 


Plaza Bolívar, em Santa Elena


* Entrevista realizada por e-mail em 19.2.15

Nenhum comentário:

Postar um comentário