Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sábado, 13 de dezembro de 2014

Agenda Macapá: Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo



Texto e fotos: Mariléia Maciel

O projeto Banzeiro do Brilho-de-Fogo entra na reta final e desfila nas ruas do centro de Macapá no domingo, 14, quando sai o Cortejo e mostra o resultado de nove meses de aprendizado. Coordenado pelos músicos Paulo Bastos, Adelso Preto e Alan Gomes, e apoiado pela Prefeitura de Macapá, através da Fundação de Cultura (FUMCULT), é um projeto de inclusão social e cultural, que despertou o interesse pela cultura regional em pessoas de todas as idades, levando as oficinas de percussão para escolas, associações, praças, faculdades, todo lugar onde houvesse interesse.


Inspirado no Arraial do Pavulagem, que arrasta os paraenses, o Banzeiro foi pensado para ser uma brincadeira cantada, onde as tradições, musicalidade e talento são explorados, envolve os participantes e se torna um convite para conhecer mais profundamente a cultura regional do marabaixo e batuque. Foram realizadas cerca de 15 oficinas itinerantes, ensinadas mais de 200 pessoas que nunca tinham pegado nos tambores, e aperfeiçoou quem já tinha experiência.


- Começamos no quilombo do Curiaú e de lá seguimos para os bairros. Fomos das praças às pontes aproximando crianças, jovens e adultos de nossa cultura, ensinando os ritmos, nossas danças e músicas produzidas por artistas que amam a cidade. Temos certeza que todos se apaixonaram pelo que é nosso. A intenção não é de formar músicos, nem de substituir as rodadas de marabaixo ou bandalho de batuque, mas sim de ser um caminho criativo e gostoso que leve à valorização de cultura amapaense - explica Alan Gomes, da coordenação do projeto e diretor musical.


No domingo desfilam no Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo cerca de 150 batuqueiros, mulheres no Cordão das Açucenas e crianças no Jardim do Banzeiro. Instrumentos de sopro e caxixi também dão ritmo ao repertório, formado por canções regionais. Todos estarão vestidos com roupas do projeto e com adereços coloridos. Os tambores que usarão foram confeccionados por artesãos populares e têm características próprias. Alguns feitos de madeira reciclada, outros de latão, e ornamentados com chita, pintados do modo tradicional ou com a arte do artista plástico Afrane Távora. Toda a concepção visual do projeto foi criada pela artesã Melissa Silva.

“O Cortejo é aberto e qualquer pessoa pode acompanhar, dançar e cantar, com a roupa que quiser, é um bloco popular e que não vai deixar ninguém parado. Sairemos da entrada principal da Fortaleza de São José, no entardecer, e vamos pelas ruas até a Praça Floriano Peixoto, onde haverá shows com muitos artistas, entre eles, Patrícia Bastos, João Amorim, Joãozinho Gomes, e por outros músicos que estiverem presentes, e ainda pelos integrantes do Arraial do Pavulagem Ronaldo Silva e Alan Carvalho, que fazem participação neste momento especial”, disse Adelson Preto, coordenador geral do Banzeiro.  

Em 2015 o projeto Banzeiro continua com data marcada para a próxima apresentação, que é 4 de fevereiro, aniversário de Macapá, e em outras datas comemorativas, como dia do padroeiro da cidade, São José.  






Nenhum comentário:

Postar um comentário