Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Arthur Espíndola e Gaby Amarantos repetem a parceria em "Maliciosa"



Às 11h30 da manhã desta quinta, o cantor e compositor Arthur Espíndola lançou em seu canal do YouTube o clipe da música "Maliciosa" (Renato Rosas - Nanna Reis - João Marcelo Rocha), tendo como convidada a cantora Gaby Amarantos

É a segunda vez que Arthur e Gaby gravam juntos; a primeira foi no samba-sucesso "Tô Fora de Moda", lançado em 20 de agosto de 2012, de autoria do próprio Arthur (veja aqui). 

Por uma incrível coincidência, apenas quatro dias depois, fui contatado no Facebook por João Marcelo Rocha, informando que havia concluído a pré-produção de sua segunda parceria com Renato e Nanna, intitulada "Maliciosa". O trio já havia trabalhado comigo em ocasiões anteriores (produzi o trabalho de Nanna Reis em 2010, e lancei o projeto Mitologias Amazônicas, de João Marcelo e Renato Rosas, em 2011) e gostaria que eu lançasse a gravação feita por Renato e Nanna aqui no Som do Norte. Ouvi, gostei (em especial da letra com "sintaxe paraense", cheia de expressões como Égua, pequena e Te faz de doido) e aceitei, só pedi que cada um dos três fizesse um pequeno texto para eu publicar junto ao lançamento aqui no blog. Mas como os autores não enviaram o texto, acabou que não lancei "Maliciosa" em 2012. 

Já conhecer a música previamente me permite avaliar o excelente trabalho de Arthur Espíndola como arranjador. O que era um merengue mesclado a batidas eletrônicas na gravação original se tornou um vigoroso samba-merengue, com direito a todos os metais que o arranjo original já pedia e que no clipe comparecem dando o merecido brilho à composição. Enfim, Arthur enriqueceu o trabalho dos compositores, tanto ao programar o que era necessário (no caso, incluir os metais), quanto ao aproximar a composição de seu (dele, de Arthur) universo de origem, o samba. A interpretação de Arthur, repleta de fraseados sobre a suingante melodia, também é digna de elogios, bem como seu "duelo" vocal com Gaby na interpretação do refrão final, cheio de Tremes (o "duelo" sendo uma inovação deste arranjo, já que inicialmente Nanna cantava apenas as duas primeiras estrofes interpretadas aqui por Gaby, limitando-se a fazer backing vocals na primeira parte da gravação). Só a ressalvar no clipe é que o nome de dois autores da música estão grafados errado nos créditos - o sobrenome de Renato está como Rosa, e foi suprimido um "n" do nome de Nanna (que ficou "Nana"). 

O clipe tem direção de Zé Paulo Vieira e produção executiva de Pedro Vianna e Narjara Oliveira (A Senda Produções).

Atualização:

Após eu publicar o texto, João Marcelo Rocha voltou a entrar em contato comigo pelo Facebook, explicando que chegou a haver outro arranjo da música, já com metais:


  • Joao Marcelo Rocha Muito obrigado, Gomes Fabio pela atenção ao nosso trabalho. Depois daquela pré-produção que lhe enviamos, voltamos a fazer novas experiências nas quais Renato Rosas criou os arranjos de metais, aproveitando, também, os solfejos de Nanna Reis realizados na gravação anterior. A música, originalmente, é um merengue-ragga e que fora gravado como um samba-merengue com a competência, o vigor e o talento artístico de Arthur Espíndola e da "maliciosa" Gaby. Muito obrigado pela atenção de sempre. Apenas pra constar esta informação no seu competente e cuidadoso trabalho de jornalismo cultural.


Neste vídeo do YouTube, você pode conferir esse segundo arranjo, com Renato Rosas cantando "Maliciosa" acompanhado de sua banda Farofa Black, em março deste ano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário