Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Foi Show: Duas Águas


A  cantora Carmem Peniche comandou ontem uma grande noite de Arte com A maiúsculo no SESC Centro (Macapá).  Como vemos no cartaz, a atração do Projeto Botequim era seu show Duas Águas. O título vem a propósito de Carmem ser do Pará e estar radicada no Amapá. Mas a noite não se restringiu apenas a seu show (o que não seria problema algum, digo desde já, pois o show foi ótimo). 

Primeiramente, tivemos um pré-show com o cantor e compositor João Amorim (ao lado, em foto de Prsni Nascimento), que perto das 21h40 começou a mostrar faixas do seu CD Nômade, recentemente lançado, junto com sucessos de Ed Motta.  

Passado pouco das 22h, iniciou-se uma roda de poesia, com a ilustre presença do convidado especial Jorge Andrade, poeta e letrista vindo especialmente de Belém para a ocasião. Participaram também poetas locais - Kassia Modesto, Annie Carvalho, Andreia Lopes, Lorrana Maciel, Jubson Blada e Lia Borralho, interpretando poemas próprios e ainda clássicos de Carlos Drummond de Andrade, Mario Quintana, Vinicius de Moraes, Manuel Bandeira e Eliakin Rufino, além de textos do próprio Jorge Andrade. 


Jorge Andrade
(esta e as demais fotos do post: Fabio Gomes)

O início do show Duas Águas já foi de arrepiar. Sob uma chuva de papel picado prateado (tá, meu bem?), Carmem soltou o vozeirão à capella cantando um trecho de "Minha Noite é de Manhã" (Pedro Holanda). Logo em seguida, já acompanhada pela banda (formada por José Maria Cruz - violão, Taronga - baixo e Fábio Mont'Alverne - bateria), trouxe um clássico paraense, "Flor do Grão-Pará" (Chico Sena). 




Se teve boa parte do roteiro dedicada a autores do Norte - como "Pássaros do Meu Canto" (Osmar Júnior - Ademir Pedrosa), "Canção de Amor e Rio" (Sóstenes), "Meu Grande Amor" (Eudes Fraga), que Carmem dedicou a seu marido, e "Porto Caribe" (Paulo André - Ruy Barata) -, o espetáculo também navegou em águas de outras regiões, trazendo sucessos como "É d'Oxum" (Gerônimo), "Moro Longe" (Vanessa da Mata) e "O Meu Amor" (Chico Buarque). 


Após interpretar uma música de Ademir Pedrosa,
Carmem chamou o compositor ao palco para conversar com a platéia

Igualmente, após cantar uma música de Jorge Andrade,
chamou-o novamente ao palco para mais um momento poético

Após novo momento de poesia com Jorge Andrade, começaram as participações especiais. Enrico Di Micelli cantou sua parceria com Jorge, "Estamparia", ao lado das cantoras Patrícia Bastos e Brenda Melo. Em seguida, Brenda fez o único número solo de convidada, interpretando "Tática", canção  também de Enrico e Jorge que intitula o CD que ela já tem gravado. 


"Tática"  - Brenda no vocal e Enrico Di Micelli ao violão


Seguiram-se as participações especiais: com Josy di Lima, Carmem cantou "Filho da Bahia" (Walter Queiroz). Com Mayara Braga, "Dona da Maré" (música da própria Carmem em parceria com Edson Duarte, tema que já tem pinta de sucesso). Com Brenda Melo, "Mal de Amor" (Val Milhomem - Joãozinho Gomes) - ficou lindo o lamento no final, em que Carmem manteve a voz grave, e Brenda fez um agudo com alguns toques líricos. Com Alexandra Moraes e Mayara Braga, "Canadá" (Jana Figarella). Com Taty Taylor, “A Brasileira” (Alfredo Reis - Príncipe). Taty Taylor cantou ainda "Segura Tua Saia", um marabaixo-batuque de sua autoria, com Mayara Braga. 


Josy di Lima e Carmem

Brenda Melo e Carmem

Taty Taylor e Mayara Braga


Alexandra Moraes, Carmem e Mayara

Carmem e Taty Taylor


Nenhum comentário:

Postar um comentário