Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quarta-feira, 5 de março de 2014

Campanha do Carimbó promove encontro em Belém amanhã para avaliar o dossiê do IPHAN

O IPHAN abriu consulta pública na internet para o Dossiê do Carimbó, documento final do do processo de registro dessa tradicional manifestação como patrimônio cultural imaterial do Brasil. A elaboração do dossiê foi feita a partir das informações levantadas pelos pesquisadores contratados pelo IPHAN em dezenas de municípios e localidades paraenses, utilizando a metodologia do INRC - Inventário Nacional de Referências Culturais. O documento foi encaminhado para análise junto ao Conselho Consultivo do Patrimônio, organismo que avalia e decide sobre a titulação e registro de bens culturais brasileiros.

Veja AQUI a matéria e os links para o dossiê no site do IPHAN.

Veja também a matéria feita pela TV Brasil sobre o assunto:




A análise do dossiê por esse conselho será a última etapa do processo de registro do Carimbó, uma luta imensa que teve início em 2005, a partir da cidade de Santarém Novo e se espalhou para dezenas de municípios paraenses através da organização da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro. 

O acesso público ao dossiê foi resultado da mobilização e reivindicação dos mestre e grupos carimbozeiros organizados através da Campanha do Carimbó, que solicitaram isso ao IPHAN Regional em reunião ocorrida em Belém no início de dezembro de 2013. A Campanha justificou a necessidade da abertura do dossiê às comunidades carimbozeiras para que pudessem avaliar o conteúdo do documento e, se necessário, fazer suas correções e recomendações, considerando que o mesmo deverá ser publicado e distribuído ao público após o registro. 

Alguns dias após essa reunião, representantes do IPHAN Pará participaram do Seminário da Campanha do Carimbó realizado durante o 11º Festival de Carimbó de Santarém Novo, e anunciaram que após consulta ao Departamento do Patrimônio Imaterial em Brasília havia sido decidido colocar o dossiê em consulta pública na internet e disponibilizar cópias do documento para a Campanha, notícia comemorada como vitoriosa pelos carimbozeiros presentes no evento.

Em janeiro de 2014 a Campanha do Carimbó teve acesso a algumas cópias impressas e digitalizadas desse documento, e desde então vem realizando várias reuniões com grupos e mestres em diversos municípios para levantar possíveis falhas e sugerir correções ou alterações no texto dos pesquisadores, de acordo com a avaliação de cada comunidade. Já foram realizadas reuniões em Marapanim, Belém, Vigia e Santarém Novo, tendo a previsão de mais municípios a serem visitados pelos ativistas da Campanha até o final de fevereiro.

Reunião com lideranças e mestres carimbozeiros em Marapanim sobre o dossiê do carimbó
(janeiro/2014)
Campanha do Carimbó promove Encontro em Belém para avaliar o Dossiê do IPHAN

O encontro final com as lideranças do carimbó paraense acontecerá nesta quinta, 6 de março em Belém, onde essas contribuições serão reunidas e em um documento comum a ser posteriormente encaminhado ao IPHAN. A reunião será no prédio anexo do IPHAN-PA, na Av. Gov. José Malcher, esquina com a Tv. Benjamin Constant, a partir das 9 h da manhã. 

Já a consulta pública online estará aberta a qualquer pessoa interessada no tema, podendo enviar contribuições virtualmente até o dia 18 de março.

O movimento também prepara uma ampla mobilização estadual para que a reunião do Conselho Consultivo do IPHAN, organismo que deverá analisar o pedido de registro, aconteça em Belém no mês de junho. 

Mais informações com a coordenação da Campanha pelos fones (91) 8722-9502 / 8263-9738.


* Publicado originalmente no blog Carimbó - Patrimônio Cultural Brasileiro 
- 27.2.14

2 comentários:

  1. Nossa saudação e gratidão carimbozeira ao parceiro Fábio Gomes, que nos tem apoiado e fortalecido na aliança pela música e cultura do povo paraense e amazônida. Estamos juntos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigos do Carimbó! Estamos sim juntos nesta luta pela valorização da autêntica cultura popular.

      Excluir