Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Foi Show: 4º Encontro Pop

Texto e fotos: Nany Damasceno,
de Rio Branco




Dia 8 de fevereiro, sábado, seis bandas e a DJ Claudinha fizeram do Bar Flutuante, em pleno Rio Acre, o palco do 4º Encontro Pop. O local, inusitado, quase teve que ser substituído devido à cheia do rio, mas felizmente São Pedro deu uma trégua, as chuvas cessaram, o rio desceu e a noite foi um sucesso! 


Quem abriu os trabalhos foi a banda Os Velhos Cowboys, composta por Diego Torres (o Dito da banda Os Descordantes)(voz e guitarra), Saulo Olímpio (baixo) e Thiago Melo (bateria). No repertório,  músicas de autoria do próprio Dito e alguns covers de bandas como Los Hermanos

Defraudes




Logo depois, por volta das 22h, foi a vez de outra banda nova no cenário acreano, a Defraudes: Aarão Prado (vocal), Saulo Olímpio (baixo),  Neto Ceará (bateria) e Glauber Jansen (guitarra). Fazem exclusivamente covers e em um estilo não muito especifico...o que torna a banda diferente e interessante. Tocaram de Odair José a Clarice Falcão e simplesmente arrasaram em cada versão. 


Chris Guto


Chris Guto, paulista radicado no Acre, foi o terceiro a se apresentar no 4° Encontro Pop. Chris parece nadar contra a correnteza quando se pensa que muitos saem do Acre pra tentar viver de música em São Paulo, ele fez o caminho contrário, saiu da selva de pedra para se aventurar por aqui onde construiu família e vem batalhando na cena. Com um jeito malandro, cheio de gírias, Guto mescla os estilos musicais quando sobe no palco, mistura samba, reggae, soul sempre com uma pitada de MPB. Interpretou músicas de Seu Jorge, Natiruts, Bezerra da Silva, além das composições próprias que também foram cantadas pelo público. 

Já passava da meia noite quando a banda 068 começou o seu show. Foi a primeira vez que a vi com o novo vocalista, Rainere Freitas. Achei muito boa, manteve a qualidade de sempre e o repertório, neste caso apenas covers, continua  impecável. Acompanhando Rainere, estavam Judson Avelino na guitarra, Rodrigo Oliveira no baixo, Sóstenes Andrade nos teclados e Bala Padula na bateria. Entre outros, o quinteto cantou Legião Urbana e Los Hermanos, mas era praticamente impossível ouvir o vocalista, dada a euforia do público que a esta hora da madrugada já estava mais do que animado e eufórico. Vale ressaltar que pela primeira vez não havia pedidos de "toca Raul" ou toca qualquer outra coisa... existia uma satisfação inegável a cada música, prova de que a banda sabe mesmo agradar o público. Talvez pela experiência de tanto tempo tocando na noite.


Garagem 178


Alessandro Ferreira e sua Garagem 178 era uma das bandas mais esperadas da noite, pelo menos foi o que pareceu quando o público resolveu invadir a frente do palco, pular e literalmente balançar o barco ao som de Weezee, Red Hot Chili Pepers e Engenheiros do Havaí. 


Álamo Kário


Álamo Kário foi o sexto músico a se apresentar no Flutuante. Álamo é, podemos dizer, que o músico mais versátil de Rio Branco. É nordestino de Mossoró (RN), onde iniciou sua carreira. Chegou ao Acre em 1990. Fazendo assim, parte da história da musica acreana, tanto que foi o principal idealizador do evento. Toca desde baião até blues. Mas fica evidente que sua maior influência é o rock'n'roll quando faz questão de manter em seu repertório banda como Beatles. 

Por volta das 3 da manhã, coube à Groove Brasil encerrar o 4° Encontro Pop. O Rappa, Charlie Brown e Tihuana foram algumas das bandas interpretadas pelo quinteto.

Ao final, o público, bastante expressivo (há tempos eu não via tanta gente em eventos como este), saiu do 4º Encontro Pop com a promessa de um 5º, ainda sem data definida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário