Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Diz Aí: Rodrigo Mebs fala da parceria da Ditambah com Ferreira Gullar


Aconteceu assim: o Tambaqui Original (Jorge Holanda, baixista da Ditambah) chegou em minha casa querendo me mostrar uma linha de baixo que havia acabado de compor. No mesmo instante saí cantarolando, saquei que tinha lido um poema naquela mesma semana, e que caberia perfeitamente na métrica proposta. Então fui até minha biblioteca e peguei o livro Muitas Vozes (lançado por Ferreira Gullar em 1999), e abri exatamente em "Definição da Moça".

Com facilidade casamos tudo e já estávamos prontos pra trabalhar a música com o restante da banda, mas senti que ainda faltava um antagonismo na estética da letra, algo que soasse um pouco mais nonsense, pra ficar mais dentro do que havíamos feito nas músicas anteriores, como em "A Saída" por exemplo. Forçamos uma quebrada na levada e incluímos meu poema "Rubra Noite", quase que instintivamente. No ensaio seguinte a música foi rapidamente entendida pelo (Cesar) Matuza (baterista da Ditambah) e pelo Serrotão (Alexandre Horta, guitarrista da Ditambah) que deitaram e rolaram com ela.


Ditambah

E agora? A música não era totalmente autoral, e havíamos gostado tanto que já pretendíamos gravá-la na primeira oportunidade. Através da internet peguei o contado de e-mail da editora do livro onde colhi o poema, e logo nos colocaram em contato com próprio Ferreira Gullar, que ficou a par da nossa intenção e com muita gentileza nos sugeriu que lhe redigíssemos e enviássemos uma autorização formal, assim fizemos e logo recebemos a mesma assinada. Pô! Que felicidade da tambaquizada!




Teremos agora em meados de novembro, duas apresentações importantes, uma no festival de artes integradas Yamix na cidade de Pacaraima e outra no 7º Encontro Internacional de Motos de Alta Cilindrada aqui mesmo em Boa Vista...(Cara! Vai ter Plebe Rude, Biquíni Cavadão, Uns e Outros e mais uma porrada de banda). Concluídas estas apresentações pretendemos entrar em estúdio pra gerar o próximo single, gravaremos em New York, não, mentira! (risos) gravaremos com nosso brother Fabrício Cadela que fez por aqui um ótimo trampo na música "Beiral".

Soubemos só depois que a Adriana Calcanhoto tinha musicado o mesmo poema, quem nos informou foi a própria editora. Por curiosidade procuramos e encontramos no YouTube a gravação com a Simone (do CD Na Veia, de 2009), rimos um bocado da coincidência! E cá pra nós, a música da Ditambah é bem melhor!!!! (risos) Abração Fabio! Falo pela Ditambah: obrigado ao Som do Norte pelo trabalho de divulgar e difundir a nossa arte. Falou! 

Rodrigo Mebs 


2 comentários:

  1. sobre a parceria, apenas uma coisa a dizer: #lastro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso mesmo Victor Matheus; Quando tantos medalhões da MPB ficam se esquivando dos fãs, F. Gullar se mostrou humilde e solícito.

      Excluir