Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

domingo, 14 de julho de 2013

Som da Liberdade estreia criticando homofobia e acomodação

 Arte: João Lemos (Molho Negro)

13 de julho, Dia Mundial do Rock, foi a data estrategicamente escolhida para a estreia do projeto de músicos paraenses O Som da Liberdade. Não que o projeto seja só de roqueiros - inclusive uma das canções, "Conto Perfeito" tem trecho de hip-hop a cargo do premiado rapper Bruno B.O.

O projeto tem ares de movimento, embora não me pareça ter necessariamente relação direta com as manifestações que levaram o povo às ruas das principais cidades brasileiras em junho, ou mesmo com o manifesto de artistas paraenses em plena apresentação da Mostra Terruá Pará desta terça, 9 de julho, clamando por melhores condições de trabalho com a cultura - mas também não se pode dizer que estas recentes movimentações não exerceram qualquer influência sobre o Som da Liberdade.

Para ilustrar melhor, vamos recorrer a um trecho da descrição da página do projeto no Facebook - "O Som da Liberdade é realizado por mentes já libertas que emitem ao mundo a mensagem da libertação. É através da liberdade consciente que se chega ao amor, é através do amor que se chega à felicidade real. Vem conosco e grita o Som da Liberdade! Desnuda-te dos trapos que te vestem e te manipulam. Liberta-te!"

Vamos às músicas. "Benegay" é uma crítica direta ao projeto de lei para instituir no Brasil a "cura gay", ou seja, tratar a homossexualidade como um distúrbio psicológico (um evidente retrocesso), uma das bandeiras do deputado federal Marco Feliciano (SP), projeto este em boa hora arquivado pelo plenário da Câmara dos Deputados (mas, como Feliciano já disse que pretende reapresentá-lo em 2015 - esquecendo, por sinal, que seu atual mandato acaba antes, o que indica que já considera sua reeleição no ano que vem favas contadas-, não custa nada seguir conscientizando a população sobre o absurdo do projeto).

"Benegay" foi composta por Camillo Royale (da banda Turbo), e tem Iza, Sammliz (vocalista da Madame Saatan), Nanna Reis (do Projeto Charmoso) e Ana Clara Mattos (Massa Grossa) nos vocais femininos. Ivan Jangoux (da banda de Iza) tocou guitarras, baixo e percussão, além de gravar e produzir a faixa em seu estúdio Quarto Amarelo. 





Já a crítica de "Conto Perfeito" é mais ampla. Dirige-se a pessoas que acreditam viver num conto de fadas, não se dando conta de que são um parafuso na engrenagem que se move para manter tudo exatamente como sempre foi. A faixa, também gravada e produzida no Quarto Amarelo, tem música de Eliezer Andrade (Johnny Rockstar) e letra de Eliezer na parte canção e Bruno B.O. na parte hip hop. Tocaram na faixa:  Eliezer Andrade e Marcel Barretto (guitarras), Elder Effe (baixo), Ivan Jangoux (teclado) e Junhão Feitosa (do Projeto Secreto Macacos) na bateria. Os vocais são de Iza, Zé Lucas (do A Red Nightmare), Camillo Royale e Eliezer Andrade, com participação especial de Bruno B.O.


Nenhum comentário:

Postar um comentário