Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Foi Show: Aíla no Teatro Waldemar Henrique


Fotos: Sergio Malcher

Ontem à noite, a cantora Aìla fez no Teatro Waldemar Henrique, aqui em Belém, o show comemorativo do aniversário de lançamento do seu único CD até o momento, Trelelê (ao lado, a arte do flyer do show de 19.4.12). Trata-se de um espaço onde, conforme ela recordou durante o show, já viveu belos momentos como espectadora, mas onde nunca havia cantado até então.

A espera foi plenamente compensada, pois Aíla fez ontem no "Waldeco" um show consagrador, cujos pontos altos foram as interpretações de "Todo Mundo Nasce Artista" e "Tudo Vira Bosta". Na primeira, um tema de Eliakin Rufino, Aíla simulou ser uma pessoa que se sentia perseguida, encolhendo-se num canto do palco (entre a bateria e a percussão) e chegando a rolar pelo chão (foto abaixo), impressionando pela performance. Na canção seguinte, que iniciou fingindo ler uma revista, sentada, partiu do refrão de protesto de Rita Lee para exorcizar vários fantasmas, entre eles o deputado homofóbico Marcos Feliciano, e declarar que O amor me representa


Outro bom momento foi a abertura do show, com o bolero inédito "Sabor de Sedução", escrito especialmente para Aíla por Dona Onete - que prestigiou o show da primeira fila, sem chegar a participar (como no show do ano passado). "Sabor..." voltou como bis, logo após o final do show com "Proposta Indecente", outra parceria exitosa entre autora e intérprete. Dona Onete espera que "Sabor de Sedução" faça pelo menos tanto sucesso quanto "Proposta...". 


A única participação especial foi de Iva Rothe, que dividiu o vocal com Aíla no carimbó "Sereia". As duas desceram do palco, passearam pela plateia, e mesmo depois que Aíla retomou seu lugar, Iva seguiu circulando, aproveitando para cumprimentar Dona Onete. Ainda fora do repertório do CD, Aíla cantou "Quero Você", sucesso de Carlos Santos dos anos 1980 - isso sem falar, é claro, dos carimbós "Lua Luar" e "Pescador", que Aíla já há algum tempo canta ao final dos shows (por sinal, foram os mesmos carimbós com os quais Luê encerrou seu show em São Paulo na quarta, 17). 


A canção-título do show apareceu numa nova roupagem, em um momento que Aíla convidou a plateia a curtir um clima de "luau". Mas, afora ela, o guitarrista Davi Amorim e o baixista Rafael Azevedo sentarem em pufes, não houve complementos para o clima (a luz seguiu branca, por exemplo) - o que, evidente, não impediu a galera de cantar junto.


Destaco ainda a inclusão de um bloco dedicado à fase da carreira da artista marcada pelos festivais, de onde vieram "À Sua Maneira" (grande sucesso de 2009 que a cantora raramente inclui nos shows atuais) e "Vamos", que marcou sua estreia em festivais em 2008, já recebendo um prêmio de Melhor Intérprete. 

Repertório

1 Sabor de Sedução
2 Preciso Ouvir Música sem Você
3 Brechó do Brega
4 Pelo Retrovisor
5 Trelelê
6 Quero Você
7 Garota
8 Qualquer Esperança
9 Todo Mundo Nasce Artista
10 Tudo Vira Bosta
11 À Sua Maneira
12 Vamos
13 Sereia
14 Lua Luar/ Pescador
15 Proposta Indecente

BIS
16 Sabor de Sedução


Nenhum comentário:

Postar um comentário