Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

domingo, 3 de março de 2013

Euphonicos lançam primeiro EP

Por Nany Damasceno,
de Rio Branco

Aarão Prado e Brunno Damasceno em estúdio

Uma brincadeira que virou coisa séria... Um poeta, um sambista e um roqueiro em uma mesma banda: Euphonicos, que lançou esta semana seu primeiro EP.

Reunindo Aarão Prado (vocalista da banda Camundogs), Brunno Damasceno (cantor do Roda de Samba) e Marcos Vinicius (um historiador que não canta nem toca qualquer instrumento, mas escreve muito bem), surgia  no final do ano passado, após o convívio diário no local de trabalho e depois de Aarão ter comprado um ukulelê (e mesmo sem saber tocar, não largá-lo mais) uma parceria musical, no mínimo diferente, levando em consideração que era um trio bem peculiar. A primeira composição dos três aconteceu em novembro: “Velha nova rebeldia”, inscrita no Festival Som da Cidade, obteve o primeiro lugar na competição.

A parceria se firmou. Logo, Brunno também comprou seu ukulelê e Aarão, não satisfeito, comprou mais um violãozinho havaiano, desta vez um soprano, diferente dos dois tenores. Pouco tempo depois, durante uma viagem, em um quarto de hotel, surgiram várias outras canções em uma única noite.


Ao perceberem que em tão pouco tempo, já havia 6 canções, surgiu a ideia de registrá-las. No final de janeiro, decidiram entrar em estúdio e, depois de um mês, terminaram a gravação do primeiro EP que conta com 6 músicas e 2 poemas. O que abre o álbum foi escrito e é lido por Marcos Vinicius, e conta um pouco da historinha de cada uma das canções que vêm em seguida. O segundo, “O tempo que me cabe”, é do poeta (e também companheiro de trabalho do trio) Cacá Araújo, e antecede a última canção, uma homenagem à ele, Cacá.

Um dos diferenciais da banda são os instrumentos. Todas as músicas tem como base o ukulelê “Além dele, gravamos xilofone, trompete, flauta transversal, cajón, prato de fanfarra, caixa de fanfarra. Enfim, utilizamos instrumentos não usuais, não usamos guitarra em nenhuma música, e a intenção é continuar fazendo esse trabalho, a ideia é fazer trabalhos com violão de sete cordas, doze, coisas assim”, comenta Aarão Prado

A princípio, a proposta da banda é ser de certo modo virtual, não há pretensão de fazer shows, até porque música é algo que fazem por prazer, e cada um tem seus trabalhos e no caso de Brunno e Aarão, têm ainda suas bandas originais. 

A gente pretende sim, fazer alguns poucos shows, um ou dois por ano, estamos pensando em um para o próximo semestre. Pois queremos algo bem planejado, feito com calma, até porque não é uma banda convencional, precisamos mobilizar toda uma gig em um palco enorme onde caiba todo mundo” diz Prado. “O CD também será virtual, está sendo disponibilizado para download totalmente gratuito e ao baixar o EP, quem quiser pode baixar também a capa, a arte para a bolacha, quem quiser fazer o cd físico tá tudo liberado”, acrescenta, defendendo o compartilhamento livre e gratuito do EP.

A partir de agora, o trio pretende, periodicamente fazer o registro de novas canções e lançar na internet, como fez com o EP.

A intenção e continuarmos colocando na net pras pessoas baixarem e fazer de cada música um lançamento, mas faremos um projeto pra em breve juntarmos todas essas canções e transformá-las em um CD”, diz Brunno  Damasceno.



2 comentários:

  1. E viva o novo! Uma pergunta: Aarão com achocolatado???!!! :P

    ResponderExcluir
  2. Apoiado, vocês são muito Phodas! letra maravilhosa, melodia linda e interpretação boa espero que sempre consigam manter esse nível alto, boa carreira!

    ResponderExcluir