Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Foi Show: Lia Sophia em Santana

Fotos: Sandra Borges

A cantora Lia Sophia fez dois shows no Amapá no final de semana passado - sexta, 30 de novembro, em Macapá, e sábado, 1 de dezembro, em Santana. Tão logo eu soube, transferi minha volta de Macapá para Belém, prevista pro dia 28, para o dia 4, a fim de acompanhar um dos shows e assim fechar um ciclo - neste ano, assisti  em outras cidades ao menos um show dos artistas de Belém que mais viajam: Felipe Cordeiro em São Paulo (março), Gaby Amarantos no Rio de Janeiro (março) e em São Paulo (novembro), Luê em São Luís  (agosto). Agradeço à produtora Clícia Di Micelli, da Bacabeiras Produções, que fez a produção local nas duas cidades amapaenses, o convite para ir a Santana junto com a equipe da Lia. 

Saímos do hotel em Macapá em direção a Santana perto de 0h30 da madrugada de sábado para domingo. Nós, no caso, se refere à banda completa - Davi Amorim (guitarra e direção musical), MG Calibre (baixo, substituindo Adelbert Carneiro que estava tocando no Festival de Parauapebas), Daniel Delatuche (trumpete), Edvaldo Cavalcante (bateria) e Márcio Jardim (percussão) -, mais o técnico de som Fernando Dako e a fotógrafa Sandra Borges (outra convidada da produção) e eu. O trajeto até Santana durou cerca de meia hora. 

O show aconteceu no Espaço Red's, uma casa que estava sendo reinaugurada naquela noite justamente com a apresentação de Lia. Um espaço bem amplo, sem pista de dança propriamente dita, e com uma peculiaridade inexplicável: o camarim é relativamente distante do palco, de modo que o artista e a banda precisam caminhar pelo meio da galera, passando inclusive pelo bar, até chegar ao palco. 

Ficamos no camarim aguardando o final do show da banda de abertura, nesse meio tempo chegaram Lia e sua empresária Taísa Fernandes. Perto de 2h, a banda se posicionou, fazendo uma abertura instrumental enquanto Taísa conduzia Lia até o palco. 

Mostrando-se feliz por realizar seu primeiro show na cidade, Lia colocou de imediato o público que lotava a casa para dançar ao som dos sucessos "Ai Menina" e "Amor de Promoção", cotadas para entrar no próximo CD (com lançamento previsto para 2013). A galera cantou junto as duas, bem como a seguinte, "Amor Amor", faixa-título do CD de 2010, mais "Quando Chegar o Amanhã" (que Lia canta desde 2011 em shows, mas ainda não gravou) e "Eu te Amo Meu Amor" (outra do CD de 2010). A partir dali, com exceção de outras duas faixas no CD Amor Amor - "Ao Pôr do Sol" (a princípio só com Lia na guitarra, depois os outros instrumentos entrando progressivamente) e "Minha Amiga", ambas com o coral da plateia -, todo o repertório apresentado era inédito na voz da artista. 

Luzes de Natal? Não, lampadinhas que 
iluminavam os microfones de alto a baixo,
por vezes piscando. Um belo efeito.


O conjunto demonstra o aprofundamento de Lia, quer como compositora, quer como intérprete, nos ritmos do Pará, caminho adotado por ela desde seu primeiro Baile BregaChic, em agosto de 2010. Assim, "Noite do Prazer", clássico soul de Claudio Zoli, recebeu novo arranjo, mesclando cúmbia e merengue (como Lia já apresentara no programa Som Brasil em setembro deste ano). De outros autores do Pará, Lia cantou a recente "Fogo da Morena", de Felipe Cordeiro, e clássicos como "Quero Você", de Carlos Santos, "Americana", de Solano, e "Lamazon", de Edilson Moreno - esta, ao citar na letra os outros estados do Norte, sinaliza que no show de Lia a devoção ao Pará não deve ser interpretada como restrição, e sim como integração; basta dizer que seu verso final, ao qual a cantora dá bastante ênfase, é "Eu sou brasileiro!". 

Ao lado de inéditas suas que já vem cantando desde o ano passado, como "Que Sorte" e "Do Lar", Lia apresentou outras composições que eu ainda não tinha ouvido - "Você Vai Ver" (parceria com Edvaldo Cavalcante), "E se Quiser" (parceria com a bandolinista Jade Guilhon, d'O Charme do Choro) e "Lero Lero" (parceria com Daniel Delatuche). Não houve bis, após cantar "Eu Já Cansei", de Pinduca, Lia saiu do palco e já começou a atender os pedidos de fotos dos fãs, enquanto o responsável pela casa passava a anunciar no microfone as atrações do dia seguinte. 

O público, predominantemente jovem, aderiu "de com força" às novidades, dançando entre as mesas e curtindo muito mesmo as canções que demonstrava não conhecer (caso de "Fogo da Morena"). Uma pena que, durante os 90 minutos que o show durou, aproximadamente, o som do microfone de Lia esteve sempre mais baixo que o dos instrumentos. O que, a bem da verdade, não chegou a prejudicar a noite, cujo saldo final foi altamente positivo.


  • No dia seguinte, domingo, 2 de dezembro, Lia participou da edição de aniversário do programa Festa na Floresta, que Clícia Di Micelli e Claudiomar Silva (sócios na Bacabeira Produções) apresentam todo domingo de 12 às 14h na Diário FM (Macapá). Ao comemorar o 1º ano no ar, o programa teve uma edição especial que se estendeu até 21h, realizada no Motor's Beach junto ao Complexo Araxá, zona sul de Macapá. Acompanhada de Davi, Calibre e Edvaldo (os outros músicos já haviam retornado a Belém), Lia tocou por 42 minutos, apresentando uma versão compacta do show da véspera, com as músicas "Ai Menina", "Amor de Promoção", "Amor Amor", "Quando Chegar o Amanhã", "Lamazon", "Onde Andará Você", "Quero Você", "Lero Lero", "E se Você Quiser", "Ao Pôr do Sol" e "Minha Amiga", tendo a participação especial do grande percussionista amapaense Nena Silva na repetição de "Ai Menina" no bis. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário