Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

domingo, 18 de novembro de 2012

Foi Show: Gaby Amarantos em estado de graça no Cine Jóia

São Paulo - Gaby Amarantos fez um show em estado de graça ontem no Cine Jóia, aqui na capital paulista. Com seu arsenal de sucessos e altíssimo astral, aos poucos conseguiu fazer dançar não só quem estava bem na frente do palco (que já foram ali pra dançar mesmo), mas também o público todo que lotava a casa, um dos templos indie de Sampa. E, como bem me disse a Dríade Aguiar, do Fora do Eixo, em geral "indie não dança".

(Fotos: Diego Pires)

Na primeira parte do show, onde usou este cocar que aparece na foto que abre a matéria (e que não mostra as luzes de led azul que havia logo abaixo das penas, na parte frontal), Gaby alternou sucessos do CD Treme ("Faz o T", "Xirley" - que a plateia cantou com ela a plenos pulmões-, "Merengue Latino", "Ex-My Love") com canções de grande êxito popular recente ("Deita na BR", "Balada Boa", mais conhecida como "Tchê Tchererê Tchê Tchê" e "Dança Kuduro") - ou nem tão recentes, caso de "Fogo e Paixão", clássico de Wando. Um momento hilário e de grande comunicação com o público foi com "Quem Vai Querer a Minha Periquita?", tema que ela cantava na época da banda Tecnoshow. Ao final da música, Gaby deixou evidente o quanto estava radiante com a vibe da galera. Além disso, em várias canções, como na "Dança Kuduro", Gaby interagiu com suas backing vocals, Camila Rochely e Gersica Gessy (à esquerda na foto abaixo), ora dançando, ora fazendo uma mise-en-scène que remetia ao que a letra dizia. Ou seja, são vocalistas performáticas, embora não tanto como foram Adelaide Teixeira e Luiza Braga na primeira formação da banda do Felipe Cordeiro (mas também ser mais performático que Adelaide & Luiza é realmente uma tarefa dificílima). 

Foto: Aquele momento em que meu coração pára:


Dificílimo também foi ficar parado com a performance de Gaby, cujo bom humor e ótimo desempenho vocal  não faziam lembrar que pouco mais de 12 horas antes do show ela chegara a São Paulo vinda direta dos Estados Unidos, onde participou na quinta, 15, da entrega do Grammy Latino. 

Na segunda parte do show, já sem o cocar, para poder bater cabelo mais à vontade, Gaby lembrou sucessos das aparelhagens de Belém, além de atender ao pedido da plateia para cantar "Chuva", outra do CD Treme (que, como bem lembrou, "é hoje o CD mais premiado do Brasil, tá meu bem?"). 

Evidentemente satisfeitíssima com a resposta do público, Gaby voltou ao palco para o "bis" após ter encerrado o show com uma versão arrasa-quarteirão de "Galera da Laje". E foi um bis de 22 minutos, em que além de repetir a pedidos "Xirley" e "Ex-My Love", incluiu ainda "Gemendo", do CD, e fez uma surpreendente versão hard rock de "Galera da Laje", incluindo alguns vocais guturais aqui e ali. Também me surpreendeu ela, ao receber um bilhetinho de um espectador (como se estivéssemos num barzinho!) pedindo  para cantar "Parabéns pra Você" para o Flavinho (amigo, certamente, do tal espectador) cantar mesmo, após, é claro, localizar o aniversariante no meio do público (não foi difícil: ele usava uma tiara luminosa de plástico imitando laço de fita no melhor estilo Minie - tem coisas que você só vê em show da Gaby Amarantos!). 
Gaby Amarantos
Que show foi aquele ontem hem? Cada vez melhor a receptividade de vcs. Fiquei sem palavras!



Tuitado hoje às 8h54 da manhã



  • E o treme não pára!  Já agora na manhã do domingo, a banda de Gaby postou no Facebook essa foto da viagem pra Barueri, onde faz show hoje no Ginásio Poliesportivo José Correia, 


Nenhum comentário:

Postar um comentário