Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Foi Show: Castanheira Rock Festival - 1ª noite

Por Nany Damasceno,
de Rio Branco
Fotos: Bala Padula

A primeira noite do Castanheira Rock Festival aconteceu no sábado, 3, no Studio Rock Bar. Lugar pequeno, agradável, climatizado e bem aconchegante; como o nome diz, é um estúdio de ensaio durante a semana, e aos finais de semana torna-se uma casa de shows.

Inicialmente previsto para começar 18h, o Festival, teve um longo atraso devido à forte chuva que caiu sobre a capital acreana no final da tarde, comprometendo a chegada do público.

Haez

Por volta das 22 horas, a primeira banda sobe ao palco. Com uma proposta de rock pesado misturado com letras românticas, a Haez (antiga Alter Ego) mostra certa qualidade no quesito instrumental, com uma bateria pesada, guitarras e baixo que se arranjam. O quarteto deixa a desejar quanto ao vocal, o que torna o show de 1h30 um pouco cansativo. Tentando interagir com o público, chamou ao palco um espectador que só acertou a música na 3ª tentativa. Ponto errado pra banda que já tocava para um público pequeno e que , neste momento, diminuiu ainda mais. 

A segunda banda da noite foi a Estação Zen. Qualidade não lhe falta, afinal a banda surgiu há mais de uma década, porém, é uma banda cover, em meio a tantas bandas autorais no festival. 

Com um espaço de tempo bastante longo entre uma banda e outra, a discotecagem estava sendo até então, a parte mais agradável da noite.

A banda Zoohumanos (ao lado) sobe então ao palco, com uma mistura de estilos que eles mesmos dizem não saber definir - e nem lhes interessar. Trouxeram um rock'n'roll mais “atraente” para a noite. Covers e musicas autorais compuseram o show de cerca de 1 hora, ou seja, menos tempo do que as primeiras bandas. Além da musicalidade, a banda chama atenção pela qualidade (tendo em vista que surgiram há 2 anos) e performance do vocalista, João Vitor. Esta é o tipo de banda que eu me pergunto porque passa tanto tempo sem tocar.

Quem encerrou a noite foi a banda Verde Caffé, de São Paulo. Com experiência e simpatia no palco, a banda conseguiu prender o público do início ao fim do show que durou pelo menos 2 horas. O vocalista Israel Fantuzzi já havia estado no Acre em outra oportunidade com um antigo projeto seu. O público chegou a cantar junto (e pedir bis) das canções autorais da Verde Caffé. Ao contrário da primeira banda, eles foram felizes ao atenderem os pedidos e tocar, por exemplo, Raça Negra com uma roupagem rock'n'roll, um improviso que deu certo. O show mistura covers e músicas próprias, dando prioridade ao trabalho da própria banda, que sequer conseguia deixar o palco, atendendo aos pedidos do público.

Verde Caffé

O Castanheira Rock Festival é viabilizado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura e também através de patrocínios. O evento acontece durante os sábados do mês de novembro e a entrada custa apenas 1kg de alimento. Até o final, no dia 24, os organizadores esperam arrecadar 1 tonelada. Confira a programação em http://somdonorte.blogspot.com.br/2012/11/agenda-rio-branco-castanheira-rock.html



12 comentários:

  1. Yanna Jéssica Albuquerque19 de novembro de 2012 14:50

    É... a Nany só precisa parar tentar ridicularizar tanto as pessoas... pra ser uma ótima profissional só falta isso a ela.. Bom senso.
    Saber guardar a opinião dela consigo e não tentar ridicularizar as pessoas como ela fez com a Haez. Ainda por cima comparar os meninos a uma banda já com trajetória como a Verde Caffé... Enfim... É claro que tivemos inúmeros problemas com ela no passado, mas isso não justifica essa matéria de QUINTA que ela escreveu. Vida profissional de um lado e a pessoal de outro. :)

    Parabéns pelo evento Bala Pádula... Um evento bacana por uma causa magnífica... boas almas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Yanna,

      Reli o trecho relativo à Haez e não há comparação com a Verde Caffé, que é citada apenas a respeito de seu próprio show.

      Também não vi tentativa de ridicularização. A repórter Nany Damasceno se ateve a aspectos técnicos apresentados pela banda no show em questão.

      Excluir
    2. Yanna Jéssica Albuquerque19 de novembro de 2012 15:21

      ''O público chegou a cantar junto (e pedir bis) das canções autorais da Verde Caffé. AO CONTRÁRIO DA PRIMEIRA BANDA, eles foram felizes ao atenderem os pedidos e tocar, por exemplo, Raça Negra com uma roupagem rock'n'roll, um improviso que deu certo.''

      Também reli o trecho sobre a verde caffé.
      Não viu tentativa de ridicularização?
      Olha... desde o começo da banda, quando ela estava em todos os shows da Alter-Ego ela via que a banda tem essa tradição de dar oportunidade ao público de subir e cantar com eles... cante bem ou mal, eles sempre deram essa canja interagindo com o público... A pessoa que me mandou essa matéria (Inclusive da organização do evento) me disse: ''Olha isso, ela pegou pesado''... e CONCORDO plenamente.

      Abraço!

      Excluir
    3. Se trata de uma informação. A Verde Caffé atendeu pedidos do público, e a Haez (mencionada ali como "primeira banda"), não.

      Excluir
    4. Yanna Jéssica Albuquerque19 de novembro de 2012 15:38

      A Haez ATENDEU sim a um pedido, que foi quando subiu alguém pra cantar, querido... o que ela quis dizer foi que a Haez não foi ''FELIZ'' como a verde caffé. O show não durou nem uma hora e ela já disse que foi 01:30. O público diminuiu depois que o rapaz tentou cantar, CLARO, o show acabou depois da participação do rapaz.
      Enfim, a matéria está realmente tentando ridicularizar a banda... porque quase nada do que ela escreveu aí bate com o que aconteceu lá...
      Acho que não foi nada ético ela postar a OPINIÃO dela... logo ela que conhece os meninos, sabe a forma de trabalho deles e que isso acontece EM TODOS OS SHOWS. Como eu disse: Ela levou pro lado pessoal e sabe disso... :)
      Faltou profissionalismo e ética SIM.

      Excluir
  2. Era pra isso ser uma matéria jornalística? Ainda tô esperando pra ver o jornalismo, só vi a pessoa pagando pau pra banda de fora e falando o que não sabe das bandas daqui. Não sabe ser jornalista, não escreve bobagem, simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yanna Jéssica Albuquerque19 de novembro de 2012 15:41

      É o que eu estou tentando explicar pro rapaz.
      hehehehehehehehe...

      Não é matéria jornalística porque não foi escrito por uma jornalista de verdade Diego.
      Obrigada pelo apoio, mas agora é ter que aguentar essa pagação de pau pra banda de fora, porque quando se trata de banda acriana o povo quer meter fora mesmo. rs...
      ACONTECE! :)

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. As bandas locais tem que ter mais espaço em festivais como este, afinal quando é que elas vão cantar, em aniversário de parente...
    O espaço tem que ser dado e além disso o elogio a quem trabalha contra as bandas de forae fazem turismo por aqui e leva dinheiro que deveria continuar aqui.
    O trabalho Haez tá sendo muito bacana, com essa nova forma da banda o publico ta vendo não só o trabalho deles mas os de artistas conhecidos, no ultimo final de semana eles levaram o rapaz do publico pra cantar com eles no animeac, coisa que eles já faziam quando tocava no palhukas.. tem que ver isso aê!
    Polly muniz :)

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Engraçado uma pessoa falar em "profissionalismo" quando ela prova que não sabe se quer o que é isso.
    É como a Yanna disse, aproveitar-se de uma matéria para expor sua opnião ridicularizando profissionais, (porque sim, eles são profissionais, ao contrário de você), não é nada interessante.

    Estava no evento, e apesar de não curtir totalmente o estilo, achei que mais uma vez eles arrasaram.
    São meus amigos, nem por isso preciso "puxar o saco".
    Canto desde os meus 9 anos de idade, entendo um pouco de técnica vocal e instrumental, e sei reconhecer o quanto o trabalho deles está sendo digno de aplausos e "quero mais".

    Desnecessário todos estes comentários e comparações.

    Aula de profissionalismo é sempre bem-vinda.

    Parabéns a banda Haez, que além de possuirem o dom, são humildes, tenho certeza que vão chegar onde querem.

    Hemilly Gondim

    ResponderExcluir
  7. Primeiramente, gostaria de falar que se escreve Verdecaffé, Sou fan da banda e acompanho o trabalho deles à muito tempo. Eles primeiramente são muito profissionais para estarem tocando em cidades tão longe de onde rodam que é o circuito sudeste, passando por cidades e estados distantes uns dos outros.
    Foram contratados para fazerem a apresentação, foram, fizeram e no outro dia viajaram para tocar em minha cidade, onde fizeram um puta show ...
    E além disso não viajaram como turistas e roubaram seu dinheiro, pois ainda são uma banda independente lutando por espaço, e além do mais a entrada do evento foi gratuita, com 1 quilo de alimento não perecível, como já dizia o flyer do evento que eles divulgaram no FACEBOOK e tive a oportunidade de ver !!!
    Sobre a matéria da jornalista, não posso opinar, pois não sou jornalista....

    Mas antes de falarem qualquer coisa sobre a banda, olha o vídeo deles divulgando o estado de vocês, e olha que nem são dai !!!!

    http://www.youtube.com/watch?v=K5nB1z03ImY

    http://www.facebook.com/verdecaffeoficial

    ResponderExcluir