Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Música na Orla leva música autoral paraense ao público da Estação

Texto: Camila Barros (Agência Pará)
Fotos: Everaldo Nascimento/ Pará 2000 


O projeto Música na Orla apresentou este mês a coletânea “Ritmos do Pará”, que fez um verdadeiro passeio pela sonoridade produzida no Estado. Do tradicional ao contemporâneo, do carimbó ao brega, durante três dias os frequentadores e visitantes da Estação das Docas (Belém) puderam conhecer melhor a cultura regional. Na noite deste domingo, 21, o show de Joelma Kláudia e convidados encerrou em alto estilo a terceira noite do projeto.
A banda paraense Clepsidra foi quem a abriu a noite especial. Com um repertório totalmente autoral, Renato Torres (voz e guitarra), Arthur Kunz (bateria) e Maurício Panzera (baixo) interpretaram canções como “Independente”, “Serena” e “Condição”. Para Renato Torres, o projeto é essencial. "A cidade precisa de projetos musicais gratuitos à população. A cena musical do Pará é riquíssima e é importante que os próprios paraenses tenham a oportunidade de conhecer a música que produzimos aqui e que os artistas possam mostrar o seu trabalho”, pontuou.
Clepsidra 
Considerada uma das revelações da nova música produzida no Pará, a cantora Aíla trouxe ao palco do 'Música na Orla', canções do seu primeiro CD “Trelêlê”, entre elas “Proposta Indecente”, “Preciso ouvir música sem você”, “Brechot do Brega” e “Garota”. Aíla foi acompanhada pela banda base formada pelos músicos Willy Benitez (bateria), Neném Silva (guitarra) e Rafael Azevedo (baixo).
A estrela da noite, Joelma Kláudia trouxe a orla da Estação das Docas o “Circuito Autoral”, que visa a divulgação do seu DVD intitulado “Dias Assim”, gravado em 2010, na sua cidade-natal: Altamira. Como convidados, André Leemax, Gigi Furtado e MC Bruno B.O. animaram o público com um vasto repertório autoral. “O Música na Orla é um projeto maravilhoso que agrega valores aos artistas locais, não só os do circuito independente, e mostra a esse público rotativo de visitantes da Estação um pouco da nossa cultura. Parabenizo a OS Pará 2000 pela inciativa e fico muito feliz em ter participado deste projeto”, ressaltou.
O estudante Yuga Andrade, 22 anos, acompanhou os três dias do Música na Orla e destacou a iniciativa da Estação em aproximar a população da música produzida no Estado. “Achei muito interessante o projeto, que valoriza o artista local, principalmente aqueles que mantem um trabalho autoral. Esta iniciativa da Estação oportuniza, ainda, que a população assista aos shows de graça. Isto é muito válido”.
Para a presidente da Organização Social Pará 2000, Gabriela Landé, a coletânea “Ritmos do Pará” apresentou uma mostra da música paraense. “Trouxemos à Orla da Estação o tradicional carimbó, a percussão com o Trio Manari, o brega com Edilson Moreno, e novos talentos como Aíla e Joelma Kláudia, que representam essa cena. A interação do público foi maior do que esperávamos, eles prestigiaram a programação e trocaram energias positivas com os cantores. Isso mostra o sucesso do projeto que veio pra ficar.”, destacou.
O Projeto Música na Orla é uma realização do Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), por meio da Organização Social Pará 2000, que leva à população programações culturais gratuitas. De 23 a 25 de novembro, o projeto apresenta a coletânea “Choro e Samba”.  

* Publicado originalmente no site da Agência Pará -

Nenhum comentário:

Postar um comentário