Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Diz Aí: DJ Waldo Squash (Gang do Eletro)


Por Bianca Levy

Atração da edição brasileira do festival espanhol Sonar, agraciado com o Prêmio Multishow 2012 na Categoria "Banda Revelação", e prestes a lançar o primeiro CD, a Gang do Eletro, quarteto formado por Waldo Squash, Maderito, Keila Gentil e William Love, desponta no cenário musical do Brasil como a mais importante banda de eletromelody. Waldo Squash, fundador da banda - ou melhor, da Gang -, conta em entrevista exclusiva ao Som do Norte a história da Gang, sua própria história e os passos futuros do grupo. Ao lado, Waldo com o troféu do Multishow (foto de Letícia Aguiar). 

Som do Norte - Waldo, como aconteceu os teus primeiros contatos com a música (especialmente o tecnobrega e o eletrônico) e quando tu começou a trabalhar como DJ?

Waldo Squash - Desde pequeno meu pai já gostava de som, cresci ouvindo música com ele e com o passar do tempo fui conhecendo programas de edição que trabalhavam com instrumentos virtuais. A partir daí comecei as primeiras experiências com criação musical.

Waldo, Maderito,
William e Keila: a Gang

Som do Norte - E a Gang do Eletro, como surgiu? Quando vocês se conheceram?

Waldo Squash - Eu passei uns meses trabalhando em uma rádio em São Miguel do Guamá (interior do Pará). Lá eu gravei a música "Super Pop e curtição", adaptada pra aparelhagem Super Pop, a música virou hit nas festas em Belém. O Maderito tinha uma música que também era hit, "Galera da Laje",ele me ligou sugerindo uma proposta de trabalho, eu achei interessante e aceitei. Passamos um tempo gravando como "Waldo Squash e Maderito". Com a entrada de mais uma vocalista (Clau) nós chegamos à conclusão de que precisaríamos de um nome para o grupo. Nessa época eramos muito criticados por gravar para as galeras de Belém, integrantes de outras bandas locais diziam que nós só gravávamos pra bandidos e gangs, foi então que extraimos o GANG das ofensas e inserimos no nome do grupo adaptando com o nosso gênero musical (eletromelody): ficou então Gang do Eletro. Keila e Willian entraram no grupo há 2 anos. Antes de fazerem parte do grupo eu fiz um trabalho paralelo com eles na banda Eletrohit`s.

Som do Norte - Desse começo da banda qual foram as principais músicas que vocês fizeram e que tocam até hoje?

Waldo Squash - "Super Pop e Curtição", "Galera da Laje", "Passar o Sal", "Velocidade do Eletro", "Panamericano", "Indiana", "Colombiana"... são músicas que ainda tocam até hoje nas festas. Desde que iniciei esse projeto com o Maderito, sempre tivemos músicas na boca da galera das aparelhagens, inclusive até hoje.  O atual hit da Gang tocando é "Piripaque". Agora estamos trabalhando um disco oficial com o que há de melhor da Gang na intenção de conquistar um público bem maior no Brasil.

Som do Norte - Quais foram os shows mais emocionantes que vocês já fizeram?


Waldo Squash - Fizemos muitos shows em lugares bem inusitados, mas acho que os shows do Se Rasgum (Belém, novembro de 2011 - foto acima), Sónar (São Paulo, maio de 2012 - foto abaixo) e Terruá Pará no Theatro da Paz (Belém, agosto de 2012 - final da matéria) foram os que mais marcaram.

A banda de tecnobrega paraense Gang do Eletro

Som do Norte - Vocês já fizeram shows em diversos festivais e ao mesmo tempo continuam tocando no interior e em festas tradicionais de aparelhagem. Pra ti, qual a sensação de tocar nesses lugares depois de já ter girado o Brasil? 

Waldo Squash - É a mesma sensação, gostamos de tocar festas da periferia de Belém, o público das aparelhagens é o público que exalta nosso trabalho, que faz festa quando a gente chega, que prepara fogos indoor quando a música deles é executada no show da Gm legal e especial.

Som do Norte - E o que tu pensaste ao receber o Prêmio Multishow?  

Waldo Squash - Nos anos de luta e estudo reconhecido. Foi um prêmio dado não à Gang do Eletro, mas sim a uma geração de profissionais que não teve medo de arriscar coisas novas pra chegar a uma sonoridade própria. Não existiria Gang do Eletro se não tivesse Tonny Brasil, Jurandir e outros artistas responsáveis pelo pontapé inicial para essa nova geração de música no Pará.

2012

Som do Norte - Tu esperavas que a Gang do Eletro chegasse onde ela está agora?

Waldo Squash - Na verdade nunca imaginei sair do Pará. As coisas foram acontecendo, fomos conhecendo pessoas que nos ajudaram a dar passos certos e agora o trabalho está ficando cada vez mais profissional e espero podermos levar essa sonoridade cada vez mais longe.

Som do Norte - Agora, com o sucesso nacional, quais são os planos de vocês?

Waldo Squash - Terminar o nosso disco, trabalhar um bom clipe e seguir até onde Deus quiser.

Som do Norte - Me fala sobre o CD que vocês vão lançar. O lançamento tá previsto pra quando? E quais as músicas farão parte dele?

Waldo Squash - Pelo que conversamos na gravadora esse disco será lançado em janeiro do ano que vem. As músicas nesse primeiro disco serão as que utilizamos nos shows, claro que revisadas e com bases mais cheias.

Som do Norte - O que tu achas dessa explosão da música paraense no cenário nacional?

Waldo Squash - Acho um máximo! No Pará tem muita gente boa que o Brasil não conhece e com a mente aberta para tudo que acontece no mundo. Acho que o Pará ainda tem muito a contribuir para a música brasileira.

Som do Norte - Qual a dica que tu darias para aqueles garotos que tão começando agora, inspirados no trabalho de vocês? 

Waldo Squash - Não desista por causa de críticas negativas, por que gente pra falar mal tem muito, mas para ajudar a melhorar... poucos. Estude, ouça bastante músicas de outras bandas, tente reconstruir bases de músicas que você gosta, assim você enriquecerá seu conhecimento e prática que servirá quando for desenvolver musicas de sua autoria. Assista videos no YouTube de programas que você trabalha principalmente quando estiver em dúvida sobre colocação de efeito... enfim, procure sempre melhorar seu trabalho.

Festa de aparelhagem!
Gang do Eletro no Terruá Pará - Theatro da Paz, Belém, agosto de 2012

Um comentário:

  1. Grande Mestre Waldo Squash. Tai um cara que merece todo o sucesso!

    ResponderExcluir