Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

domingo, 9 de setembro de 2012

Foi Show: Festival Casarão - 4º noite

Porto Velho - O Festival Casarão 2012 teve ontem sua última noite, com os shows acontecendo ao ar livre, no caso na praça em frente ao Mercado Cultural (tradicional ponto de encontro da capital de Rondônia, onde semanalmente ocorre a roda d'A Fina Flor do Samba). 

A sequência de shows pode ser dividida em dois blocos distintos - o primeiro, de sons mais pesados, e o segundo mais leve, digamos. Os destaques no primeiro bloco foram os shows das porto-velhenses Illusion Death, que apresentou um heavy metal aos moldes clássicos, e Coveiros, cujo som tem influências mais diversas, a começar pelas letras em português. O carisma do vocalista Giovanni é um dos trunfos da banda - ele protagonizou aquele que para mim é um dos momentos mais emblemáticos desta edição do Casarão: cantou à capela o samba "Candidato Caô-Caô", de Pedro Butina e Walter Meninão, sucesso de Bezerra da Silva em 1988. Um recado altamente importante em pleno período eleitoral. Recado muito melhor e mais eficiente que as ofensas generalizadas (tanto ao público presente quanto à produção do festival - sic - e até ao governador do Estado - sic!!!) disparadas pela Malcriados. Esta banda local se jogou num mar de influências díspares (do maracatu ao hip-hop) onde acabou por naufragar. O bloco 'pesado' foi fechado pela Bedroyt, também de Porto Velho. 

transmissor.jpg

Quem abriu o bloco 'leve', em seguida, foi a excelente banda Transmissor (acima, na foto de Marcelo Costa), de Minas Gerais. O grupo navega com eficiência entre MPB e rock, e seus músicos são bastante versáteis. Quem toca guitarra numa música pode tocar cavaquinho na seguinte, e dali a pouco violão ou teclado etc. A banda priorizou o repertório próprio, em especial de seus 2 CDs já lançados, com direito a uma releitura com boa pegada rocker de "Nada Será como Antes" (Milton Nascimento - Ronaldo Bastos). Seguiram-se Tangerines and Elephants (paranaense com repertório em inglês, musicalmente a mais "pesada" do bloco "leve") e Beradelia, que apresentou músicas do seu CD Planeta Beradelia (lançado pelo Som do Norte em janeiro - http://musicadonorte.blogspot.com.br/2012/01/disco-do-mes-planeta-beradelia.html), mesclando rock, samba, carimbó, como "Via Lombra" e "Arrudeia" - esta encerrou o show, numa grande roda de ciranda em frente ao palco, outro belo momento desta edição do Casarão.

O bom show de Wado, catarinense radicado em Maceió, mesclou suas principais influências - samba, rock, eletrônico e funk -, reunindo alguns de seus sucessos (como "Melhor", pedida pelo público para ser o 'bis') interpretados em versão que o próprio denominou de 'dietética', já que, além dele mesmo à guitarra, só havia no palco um tecladista e um baterista. Pena que pouca gente ficou para ver: talvez pelo adiantado da hora - já passavam de 2h da manhã deste domingo quando Wado começou  a tocar -, pouco mais de 20 pessoas permaneciam na praça em frente ao Mercado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário