Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

domingo, 12 de agosto de 2012

Foi Show: Luê em São Luís


Luê no Terruá Pará (Belém, agosto de 2012)
por Naiara Jinknss

Em maio, quando iniciou a turnê do show Tu, Já Rainha, de Luê, pelos estados da Amazônia Legal, eu não estava em Belém (onde ela se apresentou a 8/5). Mas ali eu vi a possibilidade de pela primeira vez assistir um show da cantora em outro estado, já que a turnê SESC Amazônia das Artes encerra só em setembro (veja todas as datas em http://somdonorte.blogspot.com.br/2012/05/lue-inicia-turne-do-show-tu-ja-rainha.html). Mais ainda, vi a possibilidade de uma parceria, já que o show dela em Macapá estava marcado para 3 de agosto, o dia do aniversário do Som do Norte! Quando encontrei Luê em São Paulo, em junho, combinamos tornar esse show o evento oficial dos 3 anos do blog.

Como eu tinha que ir a São Luís ali pelo final de julho, acabei transferindo um compromisso na capital maranhense para coincidir com o show de Luê por lá. A ideia então era acompanhar as apresentações em Macapá (dia 3) e de São Luís (dia 5). Infelizmente o show em Macapá foi transferido para o dia 14 (e, na hora em que escrevo isto, sou informado por Sady Menescal, ex-Mini Box Lunar, de que houve novo cancelamento, agora sem previsão de data). 

O show não saiu no dia 3 porque houve problemas na marcação das passagens de integrantes da banda de Luê; ela, acertadamente, não aceitou se apresentar sem dois de seus músicos. Cheguei a ir a Macapá no dia 2, e logo de manhã soube do cancelamento. Retornei então a Belém e no dia 4 pela manhã parti pra São Luís, onde à noite assisti o show do André Lucap com participação especial do Djalma Lúcio no Chico Discos, um ambiente que é a um só tempo bar, espaço cultural, livraria e loja de LPs/ CDs.

No domingo, 5, cheguei ao Teatro João do Vale perto das 17h30 do dia 5, quando a banda já estava passando o som. Por mais que cantora, músicos e técnicos do teatro se esforçassem, o som do microfone da Luê não ficava ajustado de jeito nenhum. Dava para ouvi-la bem, mas o som resultava um pouco abafado. Mas, como parecia que não iria melhorar, a banda optou por dar uma passada no hotel para descansar um pouco antes da apresentação. 

Já no hotel, conversei no saguão com dois músicos de Luê, Léo Chermont (guitarra) e Arthur Kunz (bateria), que formam a banda Strobo. Eles me contaram que seu 2º CD deverá sair em breve, somente com músicas inéditas (diferentemente do primeiro, que foi uma coletânea dos EPs que o Strobo tinha lançado até então). Também não há participações especiais; Kunz me disse que a ideia é firmar a identidade sonora da banda, mas não descartaria, mais adiante, um convite de algum(a) artista para que o Strobo fosse sua banda de apoio. 

Por sua vez, Luê não adiantou quase nada sobre seu próprio CD, que irá lançar com o apoio da Natura Musical. Confirmou o que eu já sabia - que as gravações aconteceram em Belém e São Paulo, que no repertório constam algumas composições da própria Luê, e pouco mais que isso. Ah, sim, me garantiu que o CD não irá se chamar Tu, Já Rainha


Luê em Teresina - 7.8.12
A cantora usou o mesmo figurino em S. Luís, 
mas com o cabelo preso em coque

A banda entrou no palco, perto de 19h30, e assim que Luê iniciou a primeira música - "Dunas da Princesa" -... surpresa! Sem que ninguém tivesse mexido em nada depois da saída pro hotel, o microfone da voz estava MUITO bom. O problema do som abafado se transferira, sabe-se lá como, para a rabeca. Assim que "Dunas..." acabou, Léo Chermont foi falar com o técnico de som do teatro. Fez o mesmo logo após cada uma das músicas seguintes - "Sei Lá", "Tempo Invertido" e "Se Colar..." (esta ouvi pela primeira vez neste show; Luê me disse que a música entrou no repertório desde o início da turnê, em Palmas. Parceria de Luê com Felipe Cordeiro e Betão Aguiar, é a primeira composição sua que a artista canta em público). Bom, graças a insistência de Léo, enfim o som da rabeca também ficou no ponto.

O resultado foi que, logo em seguida, ouvi a melhor interpretação de "Nós Dois" que já presenciei ao vivo! A voz de Luê passando emoção na medida certa, o longo solo de rabeca inspirado, a banda coesa, tudo contribuindo para um resultado lindo. 

Nessa hora já me chamava a atenção o fato de que o público parecia estar gostando, porém sem grandes demonstrações (depois eu soube por amigos de lá que os maranhenses não costumam dançar em shows de teatro, diferentemente dos paraenses). Luê então perguntou se a plateia curtiria ouvir um boi, porém um pouco diferente. Alguns responderam que "sim", então a banda foi de "Cavalo Marinho", que talvez seja a peça mais "rock'n'roll" do repertório. Nesta, assim como mais adiante em "Sim", o som da guitarra de Léo estava mais destacado, semeando psicodelia "à frente" dos outros instrumentos (depois o diretor musical Junior Soares me disse que o arranjo segue o mesmo, esse destaque pode ter vindo do ajuste de som feito no teatro). 

Logo em seguida, o instrumento que se destacou foi o baixo de Rubens Stanislaw, que pontua toda a delicada canção "Ave Manhã", um dos temas mais aplaudidos. Passado esse momento mais introspectivo, Luê avisou-nos de que o show começaria a esquentar. E assim foi: seguiram-se a já citada "Sim" (outra interpretação belíssima), "Faróis", "Rodopiado" e o carimbó "Clarão da Lua". Nessa altura, algumas moças já haviam se levantado das cadeiras e ido dançar numa lateral do teatro (depois eu soube que eram integrantes do Grupo I.T. - Identidade Teatral, de Campo Grande, que estava em São Luís para apresentar no dia seguinte a peça A Serpente, de Nelson Rodrigues, também na programação do SESC Amazônia das Artes). 

No bis, o carimbó seguiu dando as cartas, com dois sucessos da lavra de Pinduca: "Sinhá Pureza" e "Dona Maria". A animação das sul-mato-grossenses contagiou algumas outras pessoas, que enfim se levantaram para também dançar. Assim que acabou o show, as atrizes me disseram que adoraram o som da Luê, e me perguntaram onde ouvir mais músicas dela. Como o CD que ela gravou ainda está por sair (a previsão é setembro), lhes indiquei como melhor opção o CD virtual Tu, Já Rainha, lançado pelo Som do Norte em dezembro - http://somdonorte.blogspot.com.br/2011/12/e-show-tu-ja-rainha-lue.html 



Nenhum comentário:

Postar um comentário