Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Mestre Vieira, o inventor da Guitarra Popular Brasileira


Nascido em Barcarena, interior do Pará, em 1934, Joaquim de Lima Vieira foi técnico em eletrônica, carpinteiro e lavrador (sua família é pioneira na produção de abacaxi no município) antes de resolver, aos 25 anos, se dedicar inteiramente à música. A decisão foi acertadíssima: o antropólogo Hermano Vianna o considera consolidador do estilo que denominou como "guitarra popular brasileira".

Por causa de sua criação, a guitarrada (que alia elementos do choro, da jovem guarda e do merengue), Vieira é tido como o fundador de uma escola para a guitarra no Brasil, tão importante quanto a guitarra baiana introduzida pelo trio elétrico criado por Dodô e Osmar.


Entre os artistas que influenciou, estão Herbert Vianna, d’Os Paralamas do Sucesso, Chimbinha, da banda Calypso, Pio Lobato, o grupo La Pupuña e outro mestre, Aldo Sena, que criou o grupo Populares de Igarapé-Miri após ouvir o primeiro LP de Vieira e seu Conjunto, Lambada das Quebradas (1978).

Aos cinco anos, Vieira começou a tocar banjo; aos dez anos, fundou um conjunto regional com irmãos e primos. Com 14 anos, passou ao bandolim, sendo eleito o melhor solista do Estado ao interpretar seu choro “Te Agasalho” num concurso da Rádio Clube do Pará.

Enquanto seguia tocando em grupos regionais, passou a fazer alegorias para a escola de samba Boêmios da Campina. Foi um amigo da Boêmios, Peixoto, que o ensinou a montar e consertar rádios. Este conhecimento lhe foi decisivo quando, ao criar novo grupo - Os Dinâmicos, mais tarde Vieira e seu Conjunto –, enfrentou um impasse: para conseguir tocar guitarra numa cidade onde ainda não havia energia elétrica, Vieira utilizou baterias de automóvel para construir um amplificador que funcionava com pilhas.

Lambada das Quebradas vendeu mais de 200 mil cópias e repercutiu na França, Suíça e Inglaterra – este país negociou com a gravadora brasileira Continental que lançasse na Europa o segundo LP de Vieira, Lambada das Quebradas Vol 2. Em 1980 foi coroado no exterior “Rei da Guitarra e da Lambada”. Já em 2002 recebeu na Inglaterra e na Escócia o título de “Melhor Guitarrista do Mundo”.

Em 2000, foi destaque nacional num documentário da série Música do Brasil, dirigido por Belisário França e produzido por Hermano Vianna; por ocasião da filmagem, um ano antes, conhecera o guitarrista Pio Lobato, que em 2003 o convidou a formar com Curica e Aldo Sena o grupo Mestres da Guitarrada. O grupo tocou nas principais cidades do Brasil, atuou no exterior (apresentou-se na Alemanha em 2006 e na França em 2007) e lançou dois CDs, Mestres da Guitarrada (2003) e Música Magneta (2008), este um disco duplo gravado em Recife com participação de músicos pernambucanos.

Em 2008, Curica e Sena optaram por criar outro grupo, Guitarradas do Pará, e desde então Vieira tem tocado no Mestres da Guitarrada ao lado de Pio Lobato e convidados. Seu disco mais recente é o CD Guitarrada Magnética, de 2009. Um documentário sobre sua vida e obra está sendo produzido pela jornalista Luciana Medeiros.

* Publicado originalmente no site Pará Música - 6.7.11

Nenhum comentário:

Postar um comentário