Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Foi Show: Mestre Vieira no Theatro da Paz (1º dia)


Nesta quarta, 11 de julho, aconteceu no Theatro da Paz (Belém) a primeira noite de gravação do DVD comemorativo dos 50 anos de carreira de Mestre Vieira. E que noite! Primeiramente, deve-se cumprimentar a produção de Luciana Medeiros e Luiza Bastos por reunir a antiga banda de Vieira, formada no começo dos anos 1970 com o nome de Os Dinâmicos, mudado para "Vieira e seu Conjunto" quando ele passou a gravar para a Continental, em 1978. Vieira e Os Dinâmicos já haviam tocado anteriormente no Festival Se Rasgum 2011. Quatro músicos da formação original já faleceram e foram substituídos. 

O repertório foi todo de músicas que Vieira gravou em seus primeiros discos, ao lado do grupo, que se desfez em 1985 - em sua maioria, lambadas instrumentais ou com letra muita curta (a exemplo de "A Lambada do Rei", cuja letra inteira é igual ao título da canção). O show contou com cinco participações especiais. O primeiro convidado foi Luiz Pardal, que acompanhou Vieira ao bandolim num choro, relembrando o começo da carreira do Mestre. Toninho Abenatar tocou sax. Também participaram as cantoras Iva Rothe e Lia Sophia - esta, acompanhando-se ao banjo, fazendo com Vieira "Você Voltou pra Mim", uma canção do primeiro disco dele, o histórico Lambada das Quebradas, de 1978. Também deste disco, ouvimos "Lambada da Baleia", que abriu o show, a "Lambada do Curupira" (que abriu um bloco dedicado a lendas e seres fantásticos da Amazônia, que incluiu ainda a "Lambada do Fantasma" e a "Lambada do Mapinguari") e a "Lambada da Bicharada", na qual Vieira pôde mostrar todo seu virtuosismo, imitando no toque da guitarra sons de vários animais, como boi, galinha, bode... O bode também foi o mote da participação de outro convidado, o guitarrista Fernando Catatau (da banda Cidadão Instigado), que tocou em "Melô do Bode". A letra fala de um bode que dava muito trabalho ao dono, que acaba por vendê-lo no Ceará. Ao final de sua participação, Fernando, que é cearense, brincou dizendo que fora ele que comprara o bode...

E, sobretudo, foi uma noite feita na medida para demonstrar o virtuosismo de Vieira como instrumentista e compositor, além de criador da lambada e da guitarrada (embora esse termo apareça numa canção dos anos 1980, foi na década seguinte que o novo gênero ganhou forma definitiva e se consolidou). O carinho do público e dos convidados também foi uma das notas predominantes da noite. Nas últimas filas da plateia  cercada do teatro, havia uma caravana de Barcarena, terra natal de Vieira, onde a maioria dos lugares era ocupada por integrantes do fã-clube do Mestre, uniformizados. 


Um dos poucos "senões" da noite foram os dois pedidos que o produtor Luiz Félix Robatto precisou fazer  para que a plateia não dançasse (sim!! infelizmente). O motivo é a estrutura frágil do Theatro da Paz, inaugurado há 135 anos, e que poderia não resistir caso a intensa animação persistisse. Conforme Félix falou, "mesmo quando aqui se apresentam óperas, às vezes acontece de ter alguma cadeira quebrada". Bem, dali em diante o público ficou mesmo um pouco mais contido - exceto em dois momentos. O primeiro, quando, perto do final, Vieira foi tocar guitarra no meio da galera; o segundo, quando, no bis de "A Lambada do Rei", voltaram ao palco todos os convidados (Catatau e Félix foram reforçar a percussão, os outros ficaram dançando junto aos backing vocals - Keila Gentil e William Pereira, ambos da Gang do Eletro). Se a estrutura é tão frágil, talvez se devesse ter buscado outro lugar onde o público pudesse dançar mais à vontade. Enfim, o importante é que não houve prejuízos nem para o teatro nem para a animação do público (importante, afinal, para o registro em DVD).

  • Nesta quinta, tem mais. O show está marcado para 20h, o ideal é que quem queira assistir chegue no teatro perto de 18h, para conseguir lugar. Os convidados já anunciados pra hoje são: Sebastião Tapajós, Pio Lobato, Felipe Cordeiro, Manoel Cordeiro, Paulinho Moura, Mestre Curica, Gaby Amarantos, André Macleury e Trio Manari. Vai perder?


Nenhum comentário:

Postar um comentário