Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

domingo, 25 de março de 2012

Foi Show: Gaby Amarantos no Rio de Janeiro

Gaby Amarantos fez dois shows, sexta, 23 e sábado, 24, no teatro da Oi Futuro em Ipanema, Rio de Janeiro. Os espetáculos fizeram parte da série Sonoridades 2012, com curadoria do jornalista e produtorNelson Motta, que levou ao mesmo palco artistas destacados da atualidade como Criolo, Emicida, Moreno Veloso e Chico César, entre outros. Estive no show da sexta e a única palavra que me ocorre para defini-lo é "consagrador".

Diante de uma platéia diferente e bem menor que a habitual - o teatro da Oi em Ipanema tem 118 lugares (foram colocadas cerca de 20 cadeiras extras), ocupados em boa parte por profissionais da imprensa e formadores de opinião; já o show que ela fez no carnaval de Parauapebas (PA) foi visto por pelo menos 80 mil pessoas -, Gaby Amarantos se (re)afirmou como uma das artistas brasileiras mais ousadas e inventivas de sua geração. Quem mais passaria de "Nuvem de Lágrimas", sucesso radiofônico que Chitãozinho e Xororó gravaram com Fafá de Belém no final dos anos 80, direto para o clássico de Tom Jobim "Águas de Março", lançado há 40 anos por Elis Regina? E em ambos momentos o que se ouviu foi Gaby Amarantos. No vídeo promocional do show, Nelson Motta afirma que ela sintetizou o tecnobrega. Pode-se dizer que, feito isto, Gaby agora se dedica a levar a outros gêneros musicais brasileiros a estética sintetizada, em que cada vez mais as batidas eletrônicas estão combinadas com ritmos tradicionalmente praticados no Pará como a guitarrada, a lambada, o merengue e a cúmbia, para citar só alguns dos ingredientes do caldeirão sonoro de Gaby. Ajuda muito a dar a liga nessa mistura o fato de Gaby ter como banda de apoio os hábeis e experientes músicos da Félix y Los Carozos (a base da banda é formada por três ex-integrantes de La Pupuña, uma das bandas que na década passada ajudou a difundir nacionalmente a "redescoberta" guitarrada). Os três - Félix na guitarra, Diego no baixo e Adriano na bateria - também formam a banda The Vassos (de cujo repertório saiu "Eu Bebo Sim", seguindo no clima etílico de "Beba Doida").

O set list da sexta


Os músicos da banda de Gaby parecem incansáveis. Na sexta, eles começaram a passar o som no teatro às 17h30, ensaiando ainda com as convidadas Lia Sophia e Nina Becker e, claro, com a própria Gaby a partir das 20h, quando ela chegou ao teatro vinda direta de uma longa reunião com a Som Livre (na qual, segundo a produtora Priscilla Brasil, ficou definido que a gravadora irá lançar o CD Treme! já em abril). Enfim, como eu dizia, foram quase três horas de passagem de som, além de mais de uma hora e meia de show. Profissionalismo é isso aí!

O show iniciou com sucessos das aparelhagens de Belém como Tupinambá e Rubi, seguindo com algumas canções do CD, como "Xirley", a primeira a mexer mais fortemente com o público naquela noite, e "Merengue Latino". Então Gaby chamou ao palco a primeira convidada, Nina Becker. As duas brilharam na reedição do dueto de "Pimenta com Sal", de Eliakin Rufino, que já haviam apresentado juntas no Conexão Vivo Belém de junho de 2010.


Em seguida, Nina fez um número solo, acompanhada pela banda de Gaby, "Parar o Marco Zero", também bastante suingada.

A segunda convidada foi Lia Sophia, que começa a ser mais conhecida do público brasileiro por ter uma música incluída na atual novela das 6, Amor Eterno Amor. Com Gaby, Lia cantou duas músicas suas - "Ai Menina" (o tema da novela, que as duas dançam na foto abaixo) e "Amor de Promoção".Como esta fala de um amor barato, que estaria em promoção, Gaby reiniciou sua parte solo cantando "Ex-My Love", que trata de um amor que, posto na vitrine, não valeria nem R$ 1,99...

Lia Sophia e Gaby Amarantos

Depois disso veio a ousadia que já mencionei, passando sem escalas do sertanejo para a bossa nova (ambos transfigurados, é claro). Antes de cantar "Coração Está em Pedaços", sucesso de Zezé di Camargo & Luciano, e "Nuvem de Lágrimas", Gaby comentou que muita gente despreza os gêneros musicais mais populares, mas na verdade sabe cantar a letra toda, acabando por fazer um apelo à plateia: Liberte o brega que tem dentro de você!

O apelo foi atendido, a plateia a partir daí ficou quase o tempo todo de pé, cantando os refrões junto com Gaby. Seguiu-se mais uma faixa do CD ("Chuva") e um sucesso da Gang do Eletro, "Galera da Laje". Aí houve a terceira participação da noite, do dançarino Allanzinho, 16 anos. Enquanto Gaby fazia a terceira troca de figurino, Allanzinho divertiu a plateia dançando ao som de um tema da aparelhagem Marlon Branco.

Allanzinho com Gaby

De volta ao palco, Gaby encaminhou pro gran finale, com outra do CD, a forte "Mestiça", colada ao "Canto das Três Raças", grande sucesso de Clara Nunes, chamando em seguida ao palco Nina e Lia para cantarem com ela "Sinhá Pureza", de Pinduca, originalmente previsto pra ser o bis. O público estava tão elétrico a essa altura que não havia como acabar o show nesse momento, então Gaby brindou a todos com mais uma execução de "Xirley".

Agradecimentos: Priscilla Brasil e Paulo Afonso

Fotos: Leonardo Davino

Um comentário:

  1. se alguém quiser conferir, vídeos do show no oi futuro ipanema:
    http://www.youtube.com/playlist?list=PL7D4BDA8AA9EDDAC9
    .
    na feira de são cristóvão (lançamento da novela "cheias de charme"):
    .
    http://www.youtube.com/playlist?list=PLF7EBB3AD55A45422
    .
    e no meu canal no youtube, tem outros shows da gaby (com a orquestra imperial e no largo da carioca/rj).
    .
    www.youtube.com/donniedarko73
    .
    twitter: @donniedarko73
    .
    abs

    ResponderExcluir