Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Filme do Dia: O Rock que o Brasil não viu


O filme que apresentamos a seguir é um retrato da cena roqueira de Manaus na virada dos anos 1990/2000. Shows, festivais (com destaque para o Fronteira Norte de 2004) e clipes são mostrados, intercalados com depoimentos de integrantes das bandas Platinados, Zona Tribal, Charlie Perfume, Essence, Espantalho, Chá de Flores e Deskarados. A versão completa do filme tem 65 minutos e estreou no Cinemais do Manaus Plaza em 13 de fevereiro de 2010 (veja aqui nossa notícia sobre a estreia, publicada 10 dias antes - o cartaz tá ali em cima).

O que você vê aqui é uma versão reduzida, de 24min, que foi premiada na Mostra Competitiva de Curta Metragem do Amazonas, no 7º Amazonas Film Festival. A sessão aconteceu no Teatro Amazonas, em 7 de novembro de 2010. A façanha foi devidamente comemorada no Show da Vitória, cujo cartaz vemos ao lado, realizado pouco mais de um mês depois.

Quase um ano depois, em 17 de dezembro de 2011, o filme foi novamente exibido, junto com outras produções audiovisuais sobre o rock manauara e clipes de bandas locais, na Festa do Xibé - Parte 2, na Toca da Sinuca, onde se apresentaram Tudo Pelos Ares (acústico), Banana Punk, Raphael Fonseca (ex-Shakking Hands) e os DJs George Costa e Thiago F. Martins.

A estrutura do roteiro de Bosco Leão, também diretor, ao lado de Caio de Biase, é peculiar. Geralmente em filmes do gênero se busca ou contar os fatos numa ordem cronológica, ou então tecendo uma tese que, distendida, dá conta da história. Bosco estrutura a narrativa apoiado nos bares onde a cena rolava, como War Zone, Aeroclube e Bar da Sally, mais adiante focando então nos festivais e por fim na produção de música autoral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário