Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Foi Show: Timbres e Temperos na Guiana Francesa

Texto e fotos: Carla Cabral

Aconteceu em Saint Laurent Du Maroni, na Guiana Francesa, entre os dias 10 e 13 de novembro de 2011 o Festival TransAmazoniennes, do qual participaram artistas do mundo inteiro.

A diversidade de gêneros e ritmos surpreendeu o público. De música instrumental japonesa, ao reggae da Jamaica, da experimentação da África, ao batuques Amazônicos. E assim o Festival TransAmazoniennes, mais uma vez, mostrou competência e sucesso. E a platéia, mostrou educação, disposição e empolgação com todos os artistas.

Organizado por Daniel Ho Kong King, o TransAmazoniennes acontece desde 1996 e sempre teve como princípio unir os diversos ritmos que circundam a Amazônia. Em outras edições o festival já contou com a participação dos brasileiros do Trio Manari e do grande violonista Sebastião Tapajós, ambos paraenses.

O TransAmazoniennes acontece em um espaço que outrora funcionara como prisão. Fato que torna o festival ainda mais interessante. Pois, em um local onde tantas pessoas já foram aprisionadas, reina, hoje, uma liberdade que só a arte pode oferecer.

Nesta edição, pela primeira vez, o estado do Amapá teve grandes representantes:Patrícia Bastos, Enrico Di Miceli e Joãozinho Gomes fizeram um show emocionante que, rapidamente, destacou a diferença rítmica dos tambores da floresta. Estes, que foram os grandes protagonistas do espetáculo, deixaram os artista à vontade para cantar e felicitar o público.

Timbres e Temperos, título do show apresentado na Guiana Francesa, revelou diversas parcerias de Enrico e Joãozinho e o público presente se contagiava, ensaiava cantar e arriscava os passos do marabaixo. Com Patrícia outros compositores como Eudes Fraga e Celso Viáfora também foram apresentados. O público, dessa vez, já gritava em português e se encantava com os ares da Caboca mais querida no norte brasileiro.

O saldo da participação do Timbres e Temperos no Festival TransAmazoniennes é mais que positivo. Além de ter alcançado um público excelente e participativo, Enrico, Joãozinho e Patrícia tiveram contatos importantes com músicos de todo o mundo. Papa Zon, músico da África, ficou encantado com as caixas de marabaixo. Com previsão de ir a Macapá ainda em 2011, já pensa em um encontro regado a muita música e simpatia que é o cartão de visita deste grande músico.

Unidos ao talento de Patrícia, Enrico e Joãozinho, estavam os músicos Alan Gomes (contrabaixo e direção musical); Fabinho (violão e guitarra); Marcelo Cardoso (sax); Jefrei Redig (teclado); Hian Moreira (bateria); Nena Silva e Paulo Bastos (percussão). Este grande time foi colaborador essencial para o sucesso do espetáculo e não faltaram elogios para aqueles que têm, nas mãos, os segredos da verdadeira música produzida na Amazônia. A produção que organizou toda essa turma tem a assinatura competentíssima da Bacabeira Produções.

A participação no Festival TransAmazoniennes trouxe para o trabalho de Joãozinho Gomes, Enrico Di Miceli e Patrícia Bastos ainda mais influências da rica musicalidade da região da Guiana, mas, principalmente, um felicidade indescritível por cantarem sua aldeia e nela se fazerem sempre presentes, mesmo em ares estrangeiros. É o vigor da música Amazônica ressoando longe!

* Compositora e produtora, musicista integrante dos grupos
O Charme do Choro e Sapecando no Choro

Nenhum comentário:

Postar um comentário