Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sábado, 22 de outubro de 2011

Foi Show: Quando Eu me Chamar Saudade

Na quarta, 19 de outubro, tive o grato prazer de apoiar e assistir o show Quando Eu me Chamar Saudade, no qual Yuri Guedelha homenageou Nelson Cavaquinho, dez dias antes do centenário do compositor carioca. Ante um Teatro Margarida Schivasappa praticamente lotado, o anfitrião cantou sucessos como "Notícia" e o samba-título do show, além de contar algumas histórias ligadas à vida do ilustre mangueirense (a escola do coração de Nelson deu o tom do figurino da noite). As fotos deste post são de Mary Anne Frazão.

A primeira convidada foi Simone Almeida, intérprete mais ligada à canção romântica. (Atrás de Simone, o cantor Léo Meneses, estreando como backing vocal).

Seguiu-se Pedrinho Cavalléro, brilhando em clássicos como "Cuidado com a Outra".

A maior surpresa do show para mim foi a participação de Yasmhin Friaça. A jovem de apenas 20 anos mostrou-se uma intérprete segura, expressiva e com excelente presença de palco. Brilhou em sambas jocosos como "Dona Carola". Yasmhin já tem presença garantida na reapresentação do show no SESC Boulevard, no dia 29 de outubro, a data exata do Centenário.

A convidada mais esperada veio do Rio de Janeiro especialmente para este show: Nilze Carvalho. Com seu grupo, o Sururu na Roda, acabara uma temporada do show Com os Olhos Rasos d'Água, também dedicado a Nelson, de modo que quando Yuri lhe telefonou convidando para o show em Belém, Nilze respondeu de pronto: Aceito, e já estou com o repertório ensaiado!

Ela iniciou solando ao bandolim o único choro conhecido de Nelson: "Caminhando". Depois mandou ver em temas como "Juízo Final" e...


..."Folhas Secas", que cantou inicialmente junto com Malu Guedelha (à esquerda na foto abaixo) e em seguida com todos os outros convidados (menos Simone, que só se juntou ao grupo no final).


A nota falha da noite foi, mais uma vez, o intenso calor dentro do teatro, já que o sistema de ar condicionado simplesmente não funciona. Pergunto à direção do teatro: até quando teremos que aguentar isto? Não custa lembrar que em Belém a temperatura média anual é de 26 graus, atingindo a média máxima em outubro de 32,2º.

Um comentário:

  1. Eu vou postar minha opinião ,bom eu adorei o show realmente foi uma surpresa muito boa em relação á Yasmin Friaça porém é sabemos que no meio da história tinha uma criança de apenas 11 anos e que também deveria ter tido os mesmos elogios de Yasmin Friaça ela tem,presença de palco,a voz é afinada e é uma criança que simplesmente nunca fez aula de canto por isso que não foi uma super apresentação,eu realmente gostei de todos os convidados uma honra ter visto né á Nilze Carvalho,é e os outros o único problema foi a falta de consideração que tiveram com a criança né esta foi minha opinião.

    ResponderExcluir