Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Foi Show: Conexão Vivo Salvador 2011


Com este post, estamos encerrando oficialmente as postagens sobre o Conexão Vivo Salvador 2011, que de 11 a 14 deste mês levou 55 artistas, sendo seis paraenses, a tocar na Praia da Pituba, na orla da capital baiana. Falta ainda repercutirmos alguns comentários sobre o segundo dia, e também uma visão mais geral sobre o evento. Bora.


Gaby Amarantos por Marcelo Santana

  • O show de Gaby Amarantos, no dia 12, antecedendo o encerramento, com Lenine, foi amplamente elogiado. Pedro Alexandre Sanches, no Farofafá, disse que "Gaby passou no teste em chão baiano: foi acolhida como se fosse uma diva axé por um público que mostra desaprovar preconceitos, disputas regionais ou rivalidades estaduais. O público, na Bahia, é um show à parte."
  • A paraense também era destaque em nova matéria do site da Trip, a começar pelo título: Dançando na chuva - Segundo dia de festival em Salvador teve shows de Lenine e de Gaby Amarantos. Luiz Filipe Tavares estima o público presente em 10 mil pessoas, que não arredaram pé mesmo com a chuva constante. "Com mais público do que no primeiro dia, a segunda noite do festival foi comandada pelas mulheres. A começar pelo projeto Três na Folia, formado pelas cantoras Cláudia Cunha, Manuela Rodrigues e Sandra Simões, que toca músicas tradicionais do Carnaval em uma seleção bastante variada. (...) Mas quem roubou a cena de verdade foi a paraense Gaby Amarantos, que há bastante tempo se destaca no rico cenário musical do Pará. (...) É até uma sacanagem chamar Gaby de "Beyoncé do Pará", afinal, a americana tinha que comer muito açaí sem açúcar para conseguir carregar a pesadíssima bagagem rítmica do technomelody paraense que toma forma de mulher através da cantora. Gaby Amarantos rompe com todos os padrões do pop nacional. Ela é muito mais do que 'a Beyoncé do Pará'."
  • Houve um componente político nesse dia. Tavares menciona no mesmo texto que Durante todos os shows do segundo dia de Conexão Vivo, um grupo protestou com bandeiras e coros contra a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu. (...) O protesto acabou contando com o apoio à causa de diversos músicos presentes, que manifestaram no palco a contrariedade à construção da usina, incluindo a paraense, e portanto muito próxima da questão, Gaby Amarantos. Lenine acabou interrompendo o show quando um dos manifestantes começou a ser retirado pela segurança depois de furar o bloqueio e tentar subir no palco com uma bandeira com os dizeres "Belo Monte, não".
  • O portal Vírgula, no texto Segunda noite do festival Conexão Vivo traz o tecnomelody de Gaby Amarantos e as baladas de Lenine a Salvador, de Luciana Rabassallo, detalha melhor o incidente no show de Lenine: "No ponto alto da apresentação, quando o cantor tocava a introdução da balada Paciência, dois manifestantes invadiram a área reservada para imprensa com bandeiras em protesto a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no estado do Pará. A confusão foi contornada por Lenine, que ovacionado pelo público, encerrou com chave de ouro a segunda noite de apresentações do projeto Conexão Vivo."
  • Em outras passagens do texto, Luciana destaca Gaby - a quem chamou "a grande surpresa de noite": "Logo a batida pesada do tecnomelody tomava conta de Salvador e agitava a plateia disposta a dançar o ritmo mais original que surge no pop nacional. A performática cantora, já conhecida como a Beyoncé do Pará, mistura coreografias ousadas, uma forte voz, letras divertidas, uma banda afiada e um DJ sem medo de experimentar" - e cita rapidamente as outras nortistas da noite: "A paraense Iva Rothe apresentou as canções de seu terceiro álbum, intitulado Aparecida, que mistura música eletrônica, carimbó e guitarradas. Acompanhada pelo baiano Gêronimo, um dos precursores do axé music, a dupla animou a galera que enfrentava a chuva. A terceira apresentação da noite ficou por conta do projeto Três na Folia, formado pelas cantoras Cláudia Cunha, Manuela Rodrigues e Sandra Simões."

Elza Soares por Tiago Lima

  • Já a Folha Online destacou que, no dia 13, Gaby Amarantos acompanhou atenta a participação de Elza Soares no show do grupo mineiro Senta a Pua!: (Elza) Encerrou a participação de improviso, cantando, à capella, a música "Espumas ao Vento", de Accioly Neto, sucesso na voz de Fagner. Cartada de gênio, fez muita gente chorar. A cantora paraense Gaby Amarantos - que fez show animadíssimo no Conexão Vivo um dia antes - filmou o número com seu celular, também com os olhos molhados.
  • Pra encerrar, uma visão geral do evento, feito pela jornalista baiana Calila das Mercês (que nos enviou um texto exclusivo sobre o show de Juliana Sinimbú) e publicado hoje em seu blog Cafezinho do Dia. Calila incluiu a jovem paraense entre os destaques do festival: Artistas como Juliana Sinimbú, Lenine, Elza Soares, Mariene de Castro, Edson Gomes fizeram parte deste grande projeto que foi muito organizado e elogiado pelo público. A jornalista elogiou o local e a estrutura, e encerra com um apelo: "O Brasil precisa demais de eventos como este, que permitam a ampliação e divulgação dos artistas de todas as regiões. As pessoas precisam conhecer os artistas do próprio país." Leia o texto completo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário