Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

A volta da Casa do Melck

Em 2004, a noite de Palmas foi marcada pela programação musical, teatral e poética oferecida pela Casa do Melck. A iniciativa será retomada no próximo mês pelo jornalista e produtor cultural Melck Aquino (foto), e por sua esposa, Juliana Arraes.

No local onde funcionava a antiga Eventus Hall, na 112-Sul, acontece no dia 18 de março um show com artistas locais, organizado pelo jornalista Tião Pinheiro e intitulado Abacateiro, seguido de atração nacional: o grupo Mulheres de Chico, do Rio de Janeiro, que faz releituras inusitadas da obra de Chico Buarque com formação instrumental típica de escolas de samba (as integrantes do grupo são todas oriundas de blocos carnavalescos cariocas).

A Casa do Melck irá funcionar todas as sextas. Terá o verdadeiro porte de uma casa de shows: 126 mesas fixas, sete camarotes vips para 10 pessoas cada, sonorização e iluminação profissional. Além disso, a programação se propõe a ser variada e de qualidade, sempre com uma atração local e outra nacional. Melck adianta o que irá rolar por lá:

- Vamos mesclar novos talentos da música brasileira como Mulheres de Chico, do Rio; Lúdica Música, de Minas; Forró Agarradinho, de Goiás; Frank Elvis & Los Sinatras, de São Paulo; Luciana Costa, do Rio Grande do Sul; Los Porongas, do Acre; Banda DiFusão, de Brasília; Roraima, do Piauí; com gente consagrada, como Alcione, Leonardo, Trio Virgulino, Trio Yucatán e Vander Lee. E vamos também fazer projetos especiais com os talentos locais que abrirão os shows de fora, e aí passarão pelo nosso palco Nacha Moretto (ver folder abaixo), Toninho Borges, Mônica Soares, Keila Lipe, Juraíldes da Cruz, Dorivã, Genésio Tocantins, Di Engenho Novo, Jota Bulhões, Mara Rita, Ivo e Erasmo, Léo Pinheiro, e as bandas Véiétu, Lostri e Buriti Blues Band.

Depoimentos

  • "A volta da Casa do Melck soa como cantiga boa aos ouvidos de quem gosta de música boa, pois ali era uma nave que nos levava a viagens mil pela boa música e com direito a bons encontros". Tião Pinheiro, jornalista, escritor e compositor.

  • "Tive o prazer de conhecer os saraus que o Melck promovia quando ainda morava na Arse-72. Eram fabulosos aqueles encontros com músicos, jornalistas, poetas e personalidades da cidade que iam pra cozinha testar seus dotes culinários. Depois vi nascer a Casa do Melck e presenciei grandes eventos que agora vejo que estão voltando em grande estilo.” Yonara Anizelsky, atriz, publicitária e presidente da ATCV
  • “A Casa do Melck é um lugar de viver a vida junto com o outro, junto do outro, vendo o outro, próximo à arte, à cultura, e à magia do riso, do canto que encanta”. Fátima Roriz, diretora da OJC no Tocantins

Nenhum comentário:

Postar um comentário