Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Foi Show: 3ª noite do Se Rasgum 2010

O 5º Festival Se Rasgum cumpriu com êxito uma das metas que se propôs - a de abrigar a diversidade da atual música paraense. Num amplo leque, que foi do tradicional (Dona Onete, no primeiro dia, um dos shows que não vi) ao mais experimental (Projeto Secreto Macacos - foto acima, no domingo, cuja mistura de free jazz com rock progressivo impressionou o pernambucano Otto), é difícil apontar o que teria sido esquecido. Houve lugar até para a nova geração da MPB feita no Pará - o excelente show Sinimbú + Aíla + Nogueira, que aconteceu no palco Laboratório, com a curadoria do MúsicaParaense.Org, poderia muito bem ter sido programado para um dos palcos principais.

Quem não foi ao Laboratório ao menos viu Juliana Sinimbú participar do show de Pio Lobato (foto acima) - ambos enfim apresentaram ao vivo a sua versão para "Quando o Samba Acabou", de Noel Rosa, que o Som do Norte lançou em maio. Quem também participou do show de Pio foi Sammliz, vocalista do Madame Saatan.

O show de Madame era um dos mais aguardados, já que a banda não se apresentava em Belém havia quase dois anos. Foi também um dos melhores shows do festival. Os fãs da banda cantaram em peso sucessos como "Velas" e "Devorados", e deram muito trabalho aos seguranças do African Bar, devido ao festival de moshs que rolou durante o show inteiro, culminando com moshs de quase a banda toda (só Sammliz - foto à direita - não se jogou pra galera).

Outro show que encerrou com moshs da banda foi o de Delinquentes. Para finalizar uma sequência de sucessos, Jayme Katarro chamou ao palco João, da banda Sincera, para juntos cantarem "Vagamundo". Ao final da música, João fez seu mosh, seguido dali a pouco pelo próprio Jayme (foto à esquerda).


Dado Villa-Lobos (na foto à direita) fez uma participação especial discreta no show dos acreanos Los Porongas, cujo segundo CD ele está produzindo. Discreta no sentido de evitar, dada sua condição de convidado, brilhar mais do que os anfitriões (como ele já fizera na turnê do Acústico MTV d'Os Paralamas do Sucesso, em 1999). Juntos, Dado e os Porongas tocaram "Sangue Novo", o primeiro single do novo CD, além de dois clássicos da Legião Urbana: "Mais do Mesmo" e "Tempo Perdido". Antes de Dado ser chamado ao palco, os Porongas já haviam tocado outra música do disco novo - "Silêncio".

A noite foi marcada ainda pelo rapper Bruno B.O. (apenas a sua presença já atesta a diversidade do festival) e pela Paris Rock, que fez simplesmente o melhor show "elétrico" que já vi da banda (não entra na contagem, portanto, o show "acústico" da primeira Noite Som do Norte). Trazendo pro Se Rasgum um set list que alinhava sucessos do EP Que Tá? ("Reencontro", "Mais uma Morena"), o primeiro single da banda ("Nobre Desfecho", cujo refrão Mas agora vá embora, não me apareça nunca mais... era cantado a plenos pulmões pela galera que assistia o show), e temas que eles devem gravar em breve (o 'brega-metal' "Amor, Amor" e a música nova que foi batizada, justamente, como "Nova"), a Paris Rock apresentou um som maduro e mostrou que está pronta para vôos maiores.

Também tocaram no 3º dia do festival The Slackers, Emicida, Graveola e o Lixo Polifônico e Dubalizer.

4 comentários:

  1. Paris Rock madura com aquele "vocalista" péssimo!? Índios? Não fomos para o mesmo festival...

    ResponderExcluir
  2. "Índios" foi o bis do show de Dado + Porongas. E o vocal de Maumau é na medida para o estilo da Paris Rock, como eu já escrevi aqui no blog.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, o bis não foi "Índios", e sim "Tempo Perdido".

    ResponderExcluir
  4. Olha, botar MPB no palco principal no Se Rasgum sinceramente seria uma péssima idéia.Fiquemos com o rock e agora o brega que já está bom demais. Alías essa apresentação dos 3 cantores foi de longe a mais fraca no palco Laboratório.Não teve nada a ver e não colou de jeito algum.Tirando o Felipe Cordeiro que é o único que se salva dessa tal nova geração, deixemos a mpb no SCHIVASAPPA por favor.
    Madame Saatan, Delinquentes e Los Porongas foram os grandes destaques desse dia e ainda cito a participação da Sammliz como a melhor surpresa do show do Pio. Salvou a situação.
    Abraços

    Andréa Lemos

    ResponderExcluir