Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Agenda Rio Branco: Timbres e Temperos


O batuque, o marabaixo, os sons da Amazônia, o orgulho de ser nortista, as raízes indígenas e africanas, a celebração do amor, o convívio com a floresta, a reflexão sobre ser artista, a expressão da religiosidade. É o que se vai ouvir no show Timbres e Temperos, que os artistas amapaenses Patricia Bastos, Joãozinho Gomes e Enrico Di Micelli apresentam no Theatro Hélio Melo em Rio Branco neste sábado, 13 de novembro. Também participam do espetáculo os cantores e compositores acreanos Sérgio Souto (radicado no Rio de Janeiro) e Cesar Escócio (residente em Belém) e o amapaense Cleverson Baia. A apresentação em Rio Branco encerra a turnê do espetáculo.

Timbres e Temperos reúne músicas dos CDs Eu Sou Caboca (de Patrícia) e Amazônica Elegância (de Enrico e Joãozinho). Os dois discos foram os projetos escolhidos para representar o Amapá no Projeto Pixinguinha 2008; gravados com recursos da Funarte, foram lançados em setembro de 2009 com shows nas cidades de Macapá e Ferreira Gomes (AP). Já na ocasião, Patrícia, Enrico e Joãozinho dividiram o palco. A afinidade musical e temática entre os dois CDs e mesmo entre os próprios artistas - Patricia gravou em seu CD três músicas de Joãozinho, inclusive a que intitula o disco (uma parceria com Celso Viáfora) - levou à ideia de fundirem os repertórios num show reunindo o trio.

A iniciativa da turnê do espetáculo foi do Projeto SESC Amazônia das Artes. A primeira capital a receber o trio foi São Luís, em abril, seguindo-se Manaus, Macapá, Belém, Palmas (as quatro em junho), Teresina (setembro), e agora o encerramento em Rio Branco. Fora da turnê, Timbres e Temperos teve uma apresentação especial no encerramento do 20º Festival de Inverno de Garanhuns (PE), em julho.

A banda-base que acompanha o trio e os convidados é formada por Dante Ozzetti (violão e direção musical de Patricia), Alan Gomes (baixo e direção musical de Enrico e Joãozinho), Fabinho (violão e guitarra), Bibi (sax e flauta), Paulo Bastos (percussão) e Valério D`eluca (percuteria). A produção executiva é de Clícia Hoana e Claudiomar Silva, da Bacabeira Produções. Os produtores consideram Timbres e Temperos "uma ode à estética e à vida da floresta e aos ritmos da Amazônia".

Os CDs Eu Sou Caboca e Amazônica Elegância estarão à venda na entrada do teatro, ao preço de R$ 20,00 cada.

Os artistas
  • Patricia Bastos - Filha da cantora Oneide Bastos, participava desde pequena de festivais infantis. Aos 17 anos passa a cantar na noite de Macapá. Ganhou vários prêmios em festivais no Amapá, em Goiás e em São Paulo. Antes de Eu Sou Caboca, lançou três CDs: Pólvora e Fogo (2002), Ao Vivo (2004) e Sobretudo (2008). Em 2010, foi indicada para Melhor Cantora Regional no Prêmio da Música Brasileira, e selecionada para participar do programa Rumos Música Itaú Cultural.
  • Joãozinho Gomes - Nascido em Belém do Pará, mora há muitos anos em Macapá. Desde a adolescência se interessou por literatura e música. Em 1982, começa a compor com o paraense Nilson Chaves. Já gravou CDs em parceria com Walter Freitas, Val Milhomem e Zé Miguel. Em 1996, funda o Grupo Senzalas, uma referência na música do Amapá; com o grupo, gravou dois CDs e se apresentou no Rio de Janeiro, São Paulo e Alemanha. É parceiro de nomes consagrados da MPB, como Zeca Baleiro e Celso Viáfora, e também de novos como o paraense Felipe Cordeiro.
  • Enrico Di Micelli - Natural de Belém e radicado em Macapá. O CD Amazônica Elegância é seu primeiro disco em mais de 30 anos de carreira. Ao longo deste tempo, compôs com parceiros como Eliakin Rufino, Manoel Cordeiro e Rafael Altério, e teve suas canções gravadas por Alba Maria, Célio Cruz e Grupo Senzalas, entre outros.

SERVIÇO

Show Timbres e Temperos - com Patrícia Bastos, Joãozinho Gomes e Enrico Di Micelli
Participações especiais
- Sérgio Souto, Cesar Escócio e Cleverson Baia
Local: Theatro Hélio Melo (Av. Getúlio Vargas, 309)
Data: 13 de novembro, sábado
Hora: 19h
Entrada: franca

Nenhum comentário:

Postar um comentário