Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Foi Show: Bodas de Ouro do Punk Paraense


Li certa vez um depoimento de Erasmo Carlos que buscava explicar o porquê do estrondoso sucesso do programa Jovem Guarda nos anos 1960. Entre outros fatores, ele destacava que nenhuma das bandas estava especialmente preocupada com o fato de o show ser televisionado, todos iam tocando e os câmeras da TV Record é que tinham a preocupação de ir captando as imagens daquelas jovens festas de domingo.

Felizmente foi nessa linha a gravação do DVD comemorativo das Bodas de Ouro do Punk Paraense, reunindo as bandas Rennegados, Norman Bates e Delinquentes e que acabou há pouco mais de duas horas no Memorial dos Povos, aqui em Belém. As bandas mandaram ver nos seus shows, sem que houvessem interrupções para "nova tomada da música tal".

O melhor show foi sem sombra de dúvida o de encerramento, com Delinquentes. A banda repetiu a boa performance que apresentara no Festival Megafônica, há um mês. É inegável o carisma de Jaime Katarro como band leader e performer. Na mesma linha de punk tradicional, os Rennegados abriram os trabalhos com uma apresentação correta, com direito a bons solos de guitarra e a uma inusitada troca de peças da bateria logo de início. Já a Norman Bates fez o show mais leve dos três, apresentando um som com elementos pop mesclados ao punk.

A produção e organização do evento estão de parabéns. O som estava ótimo. E mesmo com toda a energia rolando (e que se traduziu nas rodas de pogo dos dois primeiros shows, e na sucessão de moshs do último) só vi um incidente, ou melhor, o que imagino ter sido a consequência de um - a retirada de um homem, contido por vários seguranças, levado até a cerca e deixado na avenida Governador José Malcher. A lamentar, talvez, apenas a presença pouco expressiva de público, que mal ocupava um terço das arquibancadas do Memorial, se tanto. Mas, enfim, quem foi se divertiu muito!

2 comentários:

  1. Foi foda mesmo!!

    Mas tenho que discordar no que diz respeito a quantidade de público. Realmente, no inicio do show, o numero de pessoas não era grande (mas consideravel em relação ao contingente que costuma frequentar o memorial em shows de rock). Porém com o passar das horas a casa foi ficando cheia e durante a apresentação do delinquentes aquilo ali ficou LOTADO. Foi um dos maiores públicos que eu já vi ali. Que eu me lembre, essa quantidade de gente eu só vi no Lançamento do CD do Madame Saatan.

    No mais, parabens pra organização do evento e para as bandas! \m/

    ResponderExcluir
  2. Lucas, não tenho como comparar com o público do dia do Madame, já que não estava em Belém na ocasião.

    Mas o fato é que, realmente, o público chegou no final a, no máximo, metade da lotação possível do Memorial. No show do Delinquentes, a galera se concentrou na parte inferior das arquibancadas, no centro - logicamente, na frente do palco -, mas nas laterais e na parte de trás tinha muito pouca gente.

    Porém considero que este dado é apenas parte do registro jornalístico do evento, o fundamental foi a boa produção e os ótimos shows das bandas.

    ResponderExcluir