Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sábado, 17 de abril de 2010

Foi Show: 2º Dia do Tendencies Rock Festival


Palmas, TO -
O melhor show desta sexta, 16 de abril, segunda noite do 7º Tendencies Rock Festival, foi o da banda Os Pedrero. Aliando o rock pesado ao bom humor, os capixabas não deixaram ninguém parado ao tocar seus clássicos (como "Eu Odeio Trabalho") ou ao fazer inusitadas releituras, como a de "Ela Não Gosta de Mim", do repertório do Dominó (sic!). Foi neste show que rolou a primeira roda de pogo da noite.

O 'peso' foi o denominador comum a todas as bandas da sexta, dominada pelos sons do hard rock e do metal. Foi assim desde a abertura, perto das 22h30, com a banda local Herdeiros e Reis, vencedora da seletiva promovida pelo festival, até o encerramento, quase 6 horas depois, com Raimundos. Das seis bandas anunciadas, apenas N3CR não se apresentou; o grupo não conseguiu sair de Cuiabá devido a problema na emissão das passagens aéreas.

As bandas goianas foram um capítulo à parte. Girlie Hell e Hellbenders tiveram, cada um, sua difícel missão a cumprir. Girlie, por tocar após Os Pedrero e por não contar com sua vocalista, Sarah Bastos, que não pôde chegar em Palmas a tempo. A guitarrista Bullas Attekita assumiu o vocal e conduziu muito bem o show, que gerou ao menos uma das imagens inesquecíveis deste Tendencies - a guitarrista Caju sendo abanada por uma menina da platéia, devido ao forte calor. Girlie aproveitou a apresentação no Tendencies para estrear em show sua nova canção "Hey Hey Hey". Destaque ainda para a excelente participação especial de Samia, da Boddah Diciro, que dividiu com Bullas o vocal de "Get Off". (Foi a primeira vez na vida que Samia cantou sem se acompanhar à guitarra). O público no Tendencies já era bem expressivo nesta hora.


Já Hellbenders fizeram um show com pegada vigorosa, superando a contento a difícil missão de tocar logo antes de Raimundos, a atração mais esperada da sexta.

O show de Raimundos começou animado, com o público que lotava o Tendencies curtindo muito e cantando junto os grandes sucessos da banda, como podemos ouvir aqui. 



Porém a participação de Raimundos no festival teve um final conturbado. Desde o início Digão reclamava a todo momento de algum problema técnico no som. Às 3h05, depois de tocar Ramones e reggae, entregou a guitarra a Canisso e deixou o palco, indo para o camarim, onde chegou reclamando: "O som bichou, não dá pra tocar assim." Pelos oito minutos seguintes, Canisso procurou administrar a situação, interagindo com a platéia, até que às 3h13 Digão retornou ao palco. Os ajustes no som se seguiram, Digão chegou a tocar um set semi-acústico por mais alguns minutos (Canisso foi para o meio do público assistir), até que se concluíssem os ajustes solicitados no som, e às 3h30 o show foi retomado a pleno. Foi o grande momento do show de Raimundos; grande roda de pogo se formou ao som de clássicos como "Mulher de Fases" e "Eu Quero Ver o Oco". Foi esta roda de pogo, porém, a responsável pela interrupção seguinte. Algumas pessoas passaram a dar saltos, de costas, em direção ao palco, sendo prontamente retiradas pelos seguranças. Às 3h50, Digão parou novamente o show, para solicitar que as pessoas evitassem pular, ou que se o fizessem em seguida pulassem de volta para a frente, evitando ficar no palco. Dali em diante, só mais um rapaz pulou, e foi empurrado de volta por Digão, que naquele momento não estava tocando guitarra e segurava apenas o microfone. O show seguiu sem maiores incidentes, e foi encerrado às 4h05, uma hora após a saída de Digão do palco.

Quero cumprimentar a produção do Tendencies Rock. Durante toda esta hora final, não se registrou nenhum incidente, nenhuma briga, e pouco depois do final do show a platéia começou a deixar o Tendencies em perfeita ordem.

***

Ontem gravei entrevistas com Carol Pasquali (baterista da Girlie Hell) e Samia. Aliás, a bem da verdade, inicialmente Samia entrevistou Carol para a 96 Rock, e depois é que eu as entrevistei, primeiro Samia e logo em seguida Carol. É o que vamos ouvir na sequência. 



A entrevista que ouvimos a seguir quem fez foi Eduardo Mesquita, do site O Grito do Inimigo, de Goiânia, que ouviu Fábio Mozine, d'Os Pedrero e da Mukeka Di Rato. Eu e Mari Camata somos citados no início da matéria, e até podemos ser ouvidos aqui e ali, mas quem conduziu os trabalhos foi mesmo Eduardo. O papo, um verdadeiro balanço em tudo que Mozine anda fazendo nos últimos tempos, foi gravado antes do show d'Os Pedrero na sexta. 


O 7º Tendencies Rock Festival encerra hoje, com shows de Mohanna, Maquinários e Capelinos (as três do Tocantins), Trampa (DF), Lopes (MT), Mukeka Di Rato (ES) e o inglês Blaze Bayley, ex-vocalista do Iron Maiden. Os shows iniciam a partir das 21h.

A banda goiana Necropsy Room cancelou sua participação no show deste sábado. Os motivos foram detalhados por Eduardo Mesquita no site O Grito do Inimigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário