Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sexta-feira, 12 de março de 2010

Aumenta aí que o assunto é rock do Tocantins!


O Tocantins tem estado em alta aqui no Som do Norte, afinal além de estarmos já nos preparando para ir ao 7º Tendencies Rock Festival, que acontece em Palmas em abril, agora em março nosso Disco do Mês é Strange, da Boddah Diciro. Por tudo isso, é uma grande alegria dividir com vocês este documentário sonoro que descobri no blog Panorama, da Karina Francis (foto).

Estudante de Jornalismo, Karina voltou recentemente a morar em sua terra natal, São Paulo, depois de passar cinco anos em Palmas - em 2009, foi a assessora de imprensa do 6º PMW Rock Festival. No final do ano passado, Karina realizou este que é o primeiro documentário sobre o rock do Tocantins, e cuja publicação prontamente nos autorizou aqui. Curtam este presente, lendo o post original do blog da Karina, e depois ouvindo o programa na íntegra - 40 minutos sem intervalos! O formato do arquivo para download é .WMA.

***

Aumenta que o assunto é rock

Quando fui morar no Estado do Tocantins, não imaginei que ali havia uma cultura de rock enraizada, até mesmo porque, é notável que os ritmos que predominam no norte do país, como brega, sertanejo, calipso e por aí vai... Mas, me deparei com um local diferente, em que havia pessoas engajadas na proposta de fortalecer o rock no cerrado.

No total eu fiquei cinco anos morando em Palmas (capital), e como sabem (ou não), sou estudante do 7º período de jornalismo. No semestre passado, tive uma disciplina chamada Radiojornalismo III, que consistia na produção de um documentário. Como já tinha vontade de mostrar a história undergrond de Palmas, resolvi unir o útil ao agradavel, e produzi o documentário “ Aumenta aí que o assunto é rock”. São quase quarenta minutos falando sobre a historia do rock no cerrado, começando pelas primeiras bandas, festivais, estabelecimentos, e as pessoas que fizeram e ainda fazem acontecer. Ah! Não pense que é quarenta minutos só de blá, blá, blá... esse doc é bem dinâmico e com muitas músicas de bandas do TO. Além disso eu não gravei sozinha, contei com a presença de grandes pessoas que atuam ativamente no cenário musical em seus diversos seguimentos como: André Porkão (dono do Tendencies Music Bar e vocal da banda A baba de Mumm rá), Bento (idealizador do festival Mata-Burro e músico da banda com o mesmo nome), Ithalo (idealizador do festival Mata-Burro e músico da banda com o mesmo nome), Cecilia (editora de Cultura do jornal O Estado), Daniel Balduco (estudante de jornalismo e pessoa ativa no movimento), Gustavo Andrade (organizador do PMW Rock Festival), Matheus Barilli e Ivan (da banda Maquinários).

Para ouvir o doc, basta baixar

http://www.4shared.com/file/197867393/ad3f8a28/Doc_Rock_-_Karina_Francis.html

depois mande sua opinião para: karinafrancisjornalismo@gmail.com

Agradecimentos:

Primeiramente a todos que participaram ( essa galera aí em cima que já citei)
Rafael Ishibashi – por me ajudar a gravar
Professor Wagner Quintanilha - pela orientação no trabalho e paciência com essa aluna (eu) que dá trabalho.
Boddah Diciro (em especial Dídia) pela autorização das músicas
Banda MQN - pela autorização da música COBRA

Karina Francis - 15.01.10

AUMENTA AÍ QUE O ASSUNTO É ROCK!
Karina Francis - 2009
Documentário



5 comentários:

  1. Nossa que bacana essa garota! É de mais pessoas assim que estamos precisando.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela iniciativa. Porém, ah porém...

    Antes de produzir um documentário com tema tão amplo, é importante pesquisar um pouco mais. Excluir toda a cena rock de Miracema foi imperdoável. Essa cidade tem tanta ou mais história pra contar na luta pela música (e o cinema) independente quanto o resto do estado todo. Além dos festivais de rock, de cinema e de videoclipes, a cidade ainda conta com bandas com longa ficha de serviços prestados á boa música.

    Sucesso nos próximos trabalhos.

    ResponderExcluir
  3. É importante ressaltar que o comentário foi realizado a partir de depoimentos dos entrevistados, que a partir de seus pontos de vista, ressaltaram a trajetória no qual participaram. Outro aspecto a ser considerado, é que o campo de estudos foi concentrado na cidade de Palmas. Isso porque, é a capital mais nova do país, por isso investigamos como o rock se desenvolveu nesse pouco tempo e as pessoas que trabalharam nesse processo. Miracema é uma cidade que conheço, que gosto, e que sei dos seus movimentos. E o intuito do documentário não foi excluir ninguém, longe disso. Mas para falar de todo histórico do Tocantins seria necessário um documentário muito longo. Ou até mesmo especifico sobre Miracema, no qual seria baseado em depoimentos de pessoas de lá. Sobre o cinema independente, é extremamente louvável o empenho de muitas pessoas, entre elas o Cássio cerqueira, idealizados do festival de videoclipes de Miracema. No entanto, este não é um assunto no qual me propus a falar. Aí já seria outra história.

    Karina Francis

    ResponderExcluir
  4. Ivonete Eich - apresentadora15 de março de 2010 19:20

    Parabéns Karina; tudo que voce faz prima pela qualidade e excelencia, e me alegro sempre que vejo mais um trabalho seu publicado. O site do meu programa estará pronto em poucos dias e faço questão de divulgar seus trabalhos.

    ResponderExcluir
  5. Hoje o documentário teve o link para download publicado no blog tocantinense Programa 96 Rock - http://programa96rock.blogspot.com/2010/03/aumenta-ai-que-o-assunto-e-rock.html

    ResponderExcluir