Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Ouvimos: Que Tá? - Paris Rock


Eu já disse aqui que a vida é uma sucessão de coincidências felizes (a minha pelo menos é!). Ontem, quase 22h do sábado, eu já tava numas de encerrar o expediente virtual, quando a banda Paris Rock, de Belém, tuita que "Já já na rede Ep completo para download! aguarde!" Bom, era aquilo, podia ser já já mesmo - ou não, pois algo parecido fora tuitado na quinta, dia 25, mais ou menos no mesmo horário ("Daqui a pouco o Ep vai estar disponivel para download! aguarde!"). Mas ontem a promessa foi cumprida, e em questão de meia hora realmente o lançamento estava disponível pra ser baixado, e esse mérito ninguém tira de mim: fui o primeiro a baixar o EP Que Tá?


Bom, enquanto baixava, fui tuitando o que já dissera aqui sobre uma das músicas que entraram no disco - "À La Jovem Guarda" - e comecei um papo em tempo real com a banda, que prosseguiu quando eu já ouvia as sete canções do EP. Acompanhe agora os melhores momentos desse diálogo Norte-Sul, com breves intervenções da Megafônica e do Rafael Guimarães, da banda Arsenal Vil:

Paris Rock - Já já na rede EP completo para download! Aguarde!

Som do Norte - Opa!

Paris Rock - Exclusivo! Agora finalmente para download do EP "Que tá?'' é só entrar aqui! http://tinyurl.com/ylce3k6

Som do Norte - Baixando EP ''Que tá?'' da Paris Rock. Uau, sou o nº 1!

Megafônica - Moral hein! ;)

Som do Norte - E quando precisei ajuda, de onde menos esperava... "Cachorro Blues" eu já tô decorando, o Raul Bentes toca direto no IdB ;)

Paris Rock - "Cachorro Blue" é massa mesmo o Raul gosta ;D

Som do Norte - Eu curto solo de assobio :)

Paris Rock - Tens razão, fica muito bom! É interessante solos de assobio, me lembra o Godinez do Chaves, foi uma homenagem!

Som do Norte - Tchépitchuba tchépitchuba...

Paris Rock - Esse backing vocal é doido e swingado!

Som do Norte - "À La Jovem Guarda" já comentei no blog, vocês viram?

Paris Rock - Hehehe! Eu vi esse post, sou leitor do seu blog, é muito bom, um dos meus favoritos.

Som do Norte - Que bom que gostam do blog.

Paris Rock - Esse negócio do eu-liríco é muito cult!

Som do Norte - Gosto de usar 'eu-lírico', evita cair na coisa muito 'autobiográfica' que o público às vezes busca. Agora, mais cult é ver no lance algo Brecht né (eu acho).

Paris Rock - Cult é baixar esse nosso EP.

Som do Norte - Teu olhar é tua beleza, morená (eu te vejo passar...)

Paris Rock - Essa é "Mais uma morena", tudo por conta de uma morena que apareceu na praia de Algodoal.

Som do Norte - Hum... depois quero saber essas histórias!

Paris Rock - Vai saber sim ;)

Som do Norte - Mas antes: que final de guitarra nessa 'Mais uma morena' hein! Maravilha.

Paris Rock - É, foi sem querer!

(Raphael Guimarães - Depois dessas dicas, tô até baixando o EP do Paris Rock, só quero que divulguem minha banda mês que vem...

Som do Norte - Legal que estás baixando o EP da Paris Rock. Qual é a tua banda? Manda o material, o blog tá sempre à disposição.

Raphael Guimarães - Minha banda é a Arsenal Vil, vamos gravar a nossa primeiro Demo/Ep, agora em março, até o fim do mês deve tá tudo ok pra passar...

Som do Norte - Ok, aguardo então!)

***

Enfim, EP baixado no sábado à noite, boa parte do meu domingo foi dedicado a ouvir o lançamento. São sete músicas, que você ouve aqui mesmo nesse post, ou no MySpace da banda (onde, além do repertório do EP, também tem "Nobre Desfecho"), e que compõem um belo disco.

As letras, quase todas tratam do amor (e, em "Cachorro Blue", de sua mais importante variação, a amizade), porém a abordagem do tema jamais é banal. Em "Discrepância", por exemplo, o eu-lírico diz à mulher que o rejeitara no passado e que "agora vem dizer que vai me amar": "Preste atenção/ Eu não sou besta pra querer seu coração/ E se você vier um dia a me amar/ Pode crer que não é sincero/ Ainda lembro do teu olhar." Assim como em "À La Jovem Guarda", a inspiração até pode vir das jovens tardes dos anos 60, mas a ingenuidade sentimental definitivamente ficou no passado. O que não exclui a busca de uma certa pureza, tema de "Não Minta pra Si Mesmo", que ao criticar o machismo ("Não adianta se esconder atrás de músculos/ Você é homem e foi feito para amar") propõe ao interlocutor que procure "aquela que na infância te enrolou"e "Chama ela pra dança/ Volte a ser criança/ E cante o amor."

As melodias de Paris Rock são eficientes na medida certa nesta linha pop-samba-rock: têm apelo e são agradáveis sem cair em nenhum extremo (nem desviam nossa atenção da letra, nem parecem ter sido escritas às pressas apenas para que a letra fosse cantada, e não recitada como um poema). E os parienses-roqueiros também demonstram ser ótimos instrumentistas - destaco em especial os diálogos das guitarras de Yuri e Neto, que embalam e "dão a cara" do disco, com ou sem distorção, e as palmas sincronizadas com a bateria em "Cachorro Blue", que remetem à pré-Jovem Guarda ("Louco por Você", a faixa-título do primeiro LP do Roberto Carlos, usava isso em 1961).

Faltou algo? Sim, falar dos vocais. Afora alguns arranjos vocais que fogem do lugar-comum, temos a interpretação tranquileza (ou seja, somando tranquilidade e beleza) de Maurício Maumau. O seu cantar, levemente arrastado, e seu timbre puxando pro rouco, podem enganar à primeira vista (ops, audição), mas em seguida você se dá conta de que ele sempre passa a mensagem de forma eficiente - e bastaria sua interpretação de "À La Jovem Guarda" para se ter a certeza de que estamos diante de um bom cantor.

Várias das qualidades ressaltadas estão presentes na minha preferida do Que Tá?, "Em Busca da Flor": boa letra e melodia, diálogo das guitarras e, principalmente, o vocal, que dá um show no finzinho da faixa: Maumau segue na levada em que estava até "Buscar uma flor não deve ser perigoso/ Perigo é resolver se trancar", dá uma suingada no último verso - "Pensando na flor que acabara de murchar!" - e, na última palavra, murchar, há uma bela e incomum vocalização, que prolonga a última sílaba (-chaaaaar)... e, quando você acha que a faixa irá acabar (lindamente) com esse vocal 'suspenso', eis que voltam as guitarras, agora dialogando com a bateria de Netto 2T.

Numa palavra: Recomendo!
Ouve aqui, baixa lá!



Som do Norte

Gostou da nossa caixinha cantante?
Então copie o código e leve-a para cantar em seu site ou blog!


3 comentários:

  1. Eu sou tb um que escutou e logo de cara curtiu a banda! o show então! é muito bom mesmo...curti cada música...eles por aqui (no Amapá) já têm um público cativo...o Quebramar os espera. abs

    ResponderExcluir
  2. com essas palavras você faz valer cada lagrima e cada gota de suor gastos pra fazer esse ep sair.
    muito obrigado.
    abraços de maumau da paris!

    ResponderExcluir
  3. Grande Maumau!
    A banda mereceu cada palavra minha, poucas vezes ouvi um disco de estréia que já mostrasse uma personalidade musical tão forte e ao mesmo tempo variada. Parabéns!

    E, Otto, tomara mesmo que role de a Paris Rock volte ao Amapá para o Quebramar, todos os relatos sobre o Grito Rock Amapá só falavam do grande sucesso que a banda fez aí.

    ResponderExcluir