Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Foi Show: Fernanda Takai no Pelourinho


A cantora Fernanda Takai, amapaense radicada em Minas Gerais, foi a grande atração na sexta, 29 de janeiro, da cerimônia de premiação do 1º Festival Nacional das Rádios Públicas da Bahia, que lotou o Largo Pedro Archanjo, no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador. 

Fernanda Takai no Pelourinho - 29/1/10
(Foto: Genilson Coutinho)

O evento iniciou às 20h, com o vice-presidente da Associação das Rádios Públicas do Brasil (ARPUB), Mário Sartorello explicando que o objetivo do festival era "colocar as rádios públicas numa posição de contribuir para a disseminação da cultura no país". Onze rádios de 10 cidades brasileiras participaram do festival, seja envolvidas diretamente na ação, seja transmitindo ao vivo o evento de sexta.  

Seguiu-se a apresentação do instrumentista baiano Armandinho, interpretando suas releituras para "Bolero" (Maurice Ravel) e "Noites Cariocas" (Jacob do Bandolim) e a premiação aos vencedores nas cinco categorias: "Arrastada", da cantora e compositora Patrícia Polayne, de Sergipe, como Melhor Arranjo e Melhor Música Vocal; Eduardo Tauffic, do Rio Grande do Norte, como Melhor Intérprete Instrumental; Guima Moreno, do Rio de Janeiro, como Melhor Intérprete Vocal; e a baiana "Sinfonia Primeira de Pagode", representada no evento por Hugo San, como Melhor Música Instrumental. Todas as 20 finalistas serão gravadas no CD do festival.

Entregues os prêmios, foi a vez de Fernanda Takai subir ao palco. Inicialmente tímida, foi recebida calorosamente pela plateia. Em seguida, soltou a voz agradável e suave e foi acompanhada pelo público desde a primeira sílaba da canção "Canta, Maria" (Ary Barroso), com a qual abriu a sua apresentação. “Vocês deveriam se inscrever no festival”, brincou Takai. O ponto alto da noite foi quando a cantora entoou os versos de Chico Buarque “Com açúcar, com afeto / Fiz seu doce predileto / Pra você parar em casa / Qual o quê!”, emocionando a plateia.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário