Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

domingo, 29 de novembro de 2009

Catraia recebe inscrições pro Grito Rock 2010

De 22 de janeiro a 27 de fevereiro de 2010, cerca de 60 municípios brasileiros irão sediar eventos do Grito Rock, o maior festival em rede da América Latina.  

Ontem o Coletivo Catraia publicou o formulário que deve ser preenchido e enviado até 25 de dezembro pelos interessados em tocar em Rio Branco. As bandas devem anexar fotos e 1 MP3; inscrições sem os anexos serão desconsideradas.

Outras informações no blog do Catraia.

sábado, 28 de novembro de 2009

Na Rede: Pedrox e o Twitter de Marco André

Pedrox, no seu blog Bitácora, comentou nesta sexta o uso original que o cantor e compositor Marco André faz do Twitter - que o blogueiro considera que "pode ser bem mais eficiente até que" uma "ótima matéria" em telejornal exibido em rede nacional.


Leia o texto completo no Bitácora do Pedrox.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Na Rede: Fernanda Takai fala do Se Rasgum

Na sexta, 20 de novembro, Fernanda Takai contou em seu blog como foi cantar "Sinhá Pureza" com o Pato Fu no Festival Se Rasgum, no sábado anterior, mesmo dia da apresentação do autor da música, Pinduca:

"Finalmente conheci o mestre Pinduca! Eu já ouvia suas músicas desde pequenina, tanto que gravei 'Sinhá Pureza' no disco Luz Negra. (...) Sinhô Pinduca me recebeu com toda gentileza em seu camarim, até demos entrevista pra MTV juntos."


(Foto: Fred Douglas)

Veja o texto completo - já supercomentado - no blog da Fernanda.

Na Rede: Caldo de Piaba em São Paulo (2)

Na terça, Saulinho Machado e Eduardo Di Deus concluíram no blog do Caldo de Piaba o relato da recente mini tour do grupo por São Paulo:
  • Perdidos na selva e os shows em SP - conta como foi a entrevista pra MTV, junto com Mini Box Lunar, e o show da banda no Fórum da Cultura Digital, dia 18 de novembro; a entrevista na PlayTV e o show no Zé Presidente junto com Madame Saatan e Saulo Duarte & a Unidade, dia 19


  • São Caetano e a partida - Encerrando a viagem, o show dia 20 no Espaço Cidadão do Mundo, junto novamente com Mini Box (veja vídeo acima), Macaco Bong e Porcas Borboletas. Esta banda mineira convidou JJ, da Mini Box, a fazer uma participação especial.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Oela ganha Prêmio Chico Mendes

O Ministério do Meio Ambiente anunciou hoje que a Oficina Escola de Lutheria da Amazônia (Oela), com sede em Manaus, foi a vencedora do Prêmio Chico Mendes de Meio Ambiente na categoria Organização da Sociedade Civil.

Concorreram ao prêmio mais de 80 projetos de diferentes regiões do país, sendo a maior parte procedente da Amazônia Legal. O julgamento foi feito com base em critérios de efetividade, impacto social e ambiental, potencial de difusão, originalidade, adesão e participação social.

A premiação, que consiste num diploma e no valor de R$ 28 mil reais, será entregue na UnB no próximo dia 8 de dezembro.

Parabéns, portanto, ao Rubens Gomes e a todos que apóiam, contribuem e colaboram de alguma forma com a Oela.

Menos dos mesmos

* Este foi o texto de nossa coluna de 9 de novembro no portal Visto Livre. Novo texto entrou no ar ontem à noite: Músicas regionais do Brasil se encontram em Porto Alegre

"Estamos trabalhando na proteção das diversidades culturais mas a gente não tem o canal de divulgação da cultura, que são os meios de comunicação. Não se trata de reserva, mas de abrir espaços para poder distribuir nossos conteúdos."

Estas frases poderiam ter sido ditas por qualquer artista ou produtor cultural brasileiro, mas não: fazem parte da entrevista concedida pelo secretário da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Américo Córdula, ao jornalista Hermano Freitas e publicada pelo portal Terra na quinta, 5 de novembro (leia o texto completo: MinC quer TVs como forma de distribuir produção regional). O titular da SID/MinC afirma que a política de concessões das TVs se trata de um "problema para o qual o governo ainda não encontrou caminhos". É por isso que, ainda nas palavras de Córdula, "acabamos vendo mais do mesmo".

O secretário chegou a falar do Norte ao comentar a falta de circulação dos conteúdos audiovisuais (no caso, filmes): "Se você mora no Rio ou em São Paulo não vê uma produção do Amapá, do Pará". De fato, afora sessões especiais em festivais de cinema, não vê mesmo. Em TV, mais ainda: o Norte está ausente da mídia. OK, recentemente o documentário paraense Brega S/A foi exibido na MTV. Mas quantas bandas nortistas têm seus clipes exibidos regularmente pela emissora?

A desculpa de que não há o que exibir deixou de ser aceitável faz tempo: os músicos do Norte produzem material de alta qualidade, produção esta que há muito deixou de ser esporádica. Mas as TVs raramente apostam na produção independente, então as bandas preferem usar canais próprios (sites ou blogs) e principalmente o YouTube para divulgarem seus clipes. Realmente, a internet tem sido o principal meio para que possamos ver menos dos mesmos, e mais de tantos ausentes da mídia.

Sugiro à SID que estude formas de incentivar a difusão da produção audiovisual independente na internet. É difícil enquadrar sites e blogs como o Visto Livre e o Som do Norte, veículos jornalísticos online especializados em música, nas linhas de financiamento abertas pelo MinC. Em parte, porque em geral os editais de financiamento de iniciativas ligadas à música se destinam apenas a CDs e shows; mas principalmente porque estes sites e blogs jornalísticos sobre música não são projetos, com prazo definido para encerrar, e sim ações permanentes. O ideal seriam editais de fomento semelhantes aos oferecidos para manutenção de grupos teatrais. Estamos à disposição da Secretaria e do Ministério para debater o assunto.

Na Rede: Caldo de Piaba em São Paulo

Na semana passada, o Caldo de Piaba fez uma mini-turnê no estado de São Paulo, já devidamente registrada por Eduardo Di Deus no blog desse importante grupo acreano:
  • Caldo de Garoa - Kaline Rossi fala do embarque do grupo para São Paulo, dia 15/11
  • Caldo de Piaba ao vivo na rádio UFSCAR HOJE - no dia 16, o grupo dá entrevista no programa Independência ou Marte. No caminho entre a capital e São Carlos, sede do coletivo Massa Coletiva, encontram outro grupo do Norte: Mini Box Lunar, do Amapá - primeiro de vários encontros que as duas bandas tiveram ao longo da semana. Mais sobre a entrevista em Impressões da rádio


Cartaz da Noite Fora do Eixo
(São Caetano, 20/11)



Caldo de Piaba

Mini Box Lunar

  • No post A volta e uma indicação, Eduardo sinaliza que ainda tem muita história para ser contada ("a gente ainda tá devendo uma conversa sobre os shows de São Paulo capital e São Caetano do Sul. Vem logo... ") e nos dá uma grande alegria, pois a indicação é do blog Som do Norte! Valeu, Eduardo!
Novos textos sobre a turnê ainda podem demorar, mas as fotos da viagem já estão no Flickr da banda.

Diz Aí: Trio Manari

Ouça a seguir trechos das entrevistas que fizemos em Porto Alegre com os músicos do Trio Manari.

Kleber Benigno explica porque tem o apelido de Paturi e fala do entrosamento com os colegas de grupo (gravado em 18 de novembro)


Nazaco Gomes fala da parceria com Marco André e faz um balanço da trajetória do Manari (gravado em 19 de novembro)


Marcio Jardim comenta a participação do Manari em CDs de outros artistas, os planos para o 2º CD do trio e recentes viagens do grupo (gravado em 20 de novembro)


Foi Show: Senzalas no Acorde Brasileiro

O grupo amapaense Senzalas fez o show de encerramento da terceira noite do Acorde Brasileiro, quinta, 19 de novembro, no Teatro do Sesc (Porto Alegre). Amadeu Cavalcanti e Val Milhomem (vozes e violões) e Joãozinho Gomes (voz) interpretaram ritmos típicos da cultura afro-amapaense, como o marabaixo e o batuque. Acompanhava o trio uma banda de apoio formada por guitarra, baixo, bateria e teclado (ou seja, uma formação típica do rock), além de dois percussionistas.

Esta ponte com o contemporâneo foi comum em vários outros grupos que participaram do Acorde (o Tambolelê, de Minas Gerais, que tocou logo antes do Senzalas, tem vocais inspirados no rap), mas fosse por isso, fosse por outro motivo (talvez ainda devido ao "molho" brega que o teclado imprimia ao som do grupo), o caso é que boa parte do público presente no Sesc não curtiu e foi esvaziando o teatro ao longo do show.

Os que ficamos até o final curtimos um show animado (Joãozinho dançou o tempo todo em que não cantou), dançante (Amadeu comentou que é raro verem o público sentado quando tocam) e com participações muito especiais - Nilson Chaves dividiu com Val o vocal em uma música, e o Trio Manari deu uma canja no bis.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Foi Show: Trio Manari no Acorde Brasileiro

O Trio Manari foi sem sombra de dúvida um dos grandes destaques da edição deste ano do Acorde Brasileiro, realizado em Porto Alegre na semana que passou - e também um dos que mais trabalhou. O grupo paraense fez o show de encerramento no Teatro do Sesc da quarta, 18 de novembro, deu uma canja na apresentação do grupo Senzalas, do Amapá, na noite seguinte, e realizou uma apresentação didática para escolas na tarde da sexta, abrindo para Dominguinhos (que os chamou para nova canja, em seu bis).

O show que Marcio Jardim, Nazaco Gomes e Kleber Benigno trouxeram à capital gaúcha antecipa o CD que começam a gravar em breve. O que significa que vem coisa muito boa por aí. O show inicia com uma música de Nazaco, "Boi do Marajó", que o Trio se acompanha tocando cabaça de contato (vinda da Guiné), caixas de cobra e cabaças com água. Segue-se "Siriá", com o ritmo samba de cacete, cujo acompanhamento se dá por tambores e atabaques. Novamente a cabaça de contato, juntamente com pandeiro e tambor falante, dão a base rítmica para a homenagem a um músico africano amigo do grupo, Kabum. Como vêem, o trio serve-se apenas de instrumentos de percussão (à exceção de alguns apitos indígenas, que imitam pios de pássaros, e algumas bases pré-gravadas que Kleber aciona discretamente). É incrível, e na prática indescritível, a variação de timbres e a construção de harmonias que Marcio, Nazaco e Kleber conseguem extrair de seus instrumentos. A rigor, um espetáculo do Manari só estará convenientemente registrado num DVD, e não num CD, pois o que se vê (o visual dos instrumentos e a presença de palco dos músicos) é tão importante neste contexto quanto o que se ouve.

Outro ponto alto do show é a homenagem a um mestre do carimbó: o trio canta "Chama Verequete", intercalado pelo poema "Nós Somos da Mesma Aldeia", de Eliakin Rufino. Outra música de Verequete abriu o pot-pourri (ou fornada, como diriam em Cametá) de carimbó que encerrou o show da quarta, numa canja de Nilson Chaves (um dos curadores do Acorde Brasileiro). Nilson também cantou, com o trio, "Pérola Azulada" (Zé Miguel - Joãozinho Gomes) e "Abaluaiê" (Waldemar Henrique). Fora esta participação de Nilson, o show da quarta foi predominantemente instrumental, pois o vocalista do trio, Nazaco, estava afônico devido à variação de temperatura (os três haviam chegado a Porto Alegre de manhã, vindos do Rio de Janeiro, onde tocaram na véspera com Marco André).

Nazaco cantou bem mais e melhor na tarde da sexta, dia 20, no Teatro Dante Barone, na reapresentação deste show para cerca de 200 estudantes do ensino fundamental. Foi impressionante como o trio conseguiu manter o tempo todo a atenção das crianças, um público por natureza inquieto e que não costuma disfarçar quando não gosta. O pernambucano Dominguinhos tocou logo depois do Manari, e chamou-o ao palco no bis, para tocarem juntos "Forró no Escuro", de Luiz Gonzaga. Outra canja do trio foi no show do Senzalas na quinta, dia 19, no Teatro do Sesc.

Ouça o poema "Nós Somos da Mesma Aldeia" (Eliakin Rufino) na voz de Kleber Benigno:

Diz Aí: Artistas do Tocantins

Conversamos com os três representantes do Tocantins no Acorde Brasileiro:

Nilo fala da emoção de se apresentar no Sul e comemora a divulgação da cultura do Tocantins no blog Som do Norte (gravado em 18 de novembro)


Seu Miúdo comenta a parceria com Seu Canhotinho e revela ser mais fabricante de rabeca que instrumentista (gravado em 18 de novembro)


Seu Canhotinho fala dos recentes shows e comenta a oficina que fez, ao lado de Seu Miúdo, no Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo (gravado em 19 de novembro)

domingo, 22 de novembro de 2009

Diz Aí: Rubens Gomes

O amapaense Rubens Gomes transferiu-se há vários anos, para Manaus, para ser professor universitário. Optou, porém, por se afastar da vida acadêmica e criar uma ONG, a Oela (Oficina Escola de Lutheria da Amazônia), por dois motivos:
  • - Pelo incômodo em ver a miséria convivendo lado a lado com a riqueza natural da floresta;
  • - Pela convicção de que, sem a transmissão do conhecimento, não é possível o bom uso da riqueza disponível.
Estas duas premissas inspiraram Rubens nos passos seguintes: a opção pela fabricação de instrumentos, de modo sustentável; a pesquisa junto a antigos luthiers do Amazonas, Pará e Acre, que o ajudaram a buscar uma sonoridade tradicional e a evitar o uso de madeira ilegal; e a certeza de que, mais que apenas fabricar violões e cavaquinhos, era importante pensar em ações de sustentabilidade ambiental e também qualificar seus alunos para articulação e geração de renda. Em função dessas iniciativas, Rubens foi convidado para assumir a presidência do Grupo de Trabalho Amazônico (GTA), rede socioambiental que reúne cerca de 600 associações, institutos, sindicatos e grupos comunitários da região; já está no cargo há dois anos.

Rubens comentou essas experiências na mesa-redonda A Educação: Práticas de Valorização da Música Regional, que abriu a programação de debates do Acorde Brasileiro deste ano, na quarta, 18 de novembro, no SESC Porto Alegre. No mesmo dia, Lia Marchi comentou suas pesquisas com violeiros de Santa Catarina, Goiás e Minas Gerais, que resultaram nos projetos Tocadores e Contos Folclóricos do Brasil, e Wagner Chaves falou do repasse de conhecimentos junto a populações tradicionais (os grandes problemas enfrentados, relatou, é que mestres violeiros estão morrendo - em julho, Seu Minervino, de Angical, São Francisco, Minas Gerais, faleceu aos 80 anos sem deixar discípulos -, e os mais jovens se interessam muito pouco pela cultura de raiz).

Gravamos rápida entrevista com Rubens na própria quarta (ele viajava no mesmo dia para um evento em Brasília). Ele nos contou a história da encomenda que a Oela recebeu do violonista amapaense Aluísio Laurindo Jr. para fabricar um violão de 13 cordas. Aluísio orçara o instrumento junto a um luthier suíço, que pedira 15 mil euros e prazo de entrega de 3 anos...

Rubens nos contou ainda que Aluísio ficou tão fascinado com o novo violão que foi apenas com este instrumento que iniciou a turnê Sonora Brasil, promovida pelo Sesc Nacional, deixando em casa o violão de 6 cordas que habitualmente utilizava.

Foi Show: Seu Miúdo e Seu Canhotinho

Artistas do Tocantins se apresentaram no Teatro do Sesc (Porto Alegre) na quarta, 18 de novembro, dentro da programação do Acorde Brasileiro: o violeiro Seu Canhotinho e o rabequeiro Seu Miúdo. Eles próprios fazem os instrumentos que tocam, fabricados de modo artesanal a partir do talo seco do buriti (uma palmeira comum no Tocantins). Não utilizam colagem, apenas são fixados os suportes para as cordas de nylon (que ficam praticamente invisíveis contra o fundo claro do talo de buriti).

A abertura do show dos artistas do Tocantins coube ao violeiro Nilo, quilombola de Barra de Aroeira, município de Santa Teresa, que cantou algumas modas e em seguida chamou Seu Canhotinho. Morador de Lagoa do Tocantins, Seu Canhotinho cantou músicas de sua autoria, e logo após anunciou a participação de Seu Miúdo, de Ponte Alta do Tocantins. Seu Miúdo cantou duas músicas sozinho, e depois acompanhou uma música cantada por Seu Canhotinho. Foi a primeira vez que os dois tocaram juntos, e o terceiro show que Seu Miúdo fez na vida; os dois chegaram a encerrar o show antes do previsto. A produção do Acorde os informou que ainda poderiam cantar mais uma música, se quisessem, e eles aproveitaram para finalizar com "Asa Branca" (Luiz Gonzaga- Humberto Teixeira).

Este show foi certamente um dos momentos mais tradicionais do Acorde deste ano - em quase todos os outros, a tradição era reinventada ou relida, em maior ou menor grau (isto inclusive chamou mais a atenção porque o grupo anterior a se apresentar, Arthur de Faria & Seu Conjunto, faz uma releitura de ritmos gaúchos tradicionais, como milonga e chamamé, com influências de jazz e rock progressivo).

Vamos ouvir dois trechos desse show histórico.

Seu Miúdo canta e toca duas músicas, se acompanhando à rabeca



Seu Canhotinho canta e toca viola, acompanhado por Seu Miúdo à rabeca

sábado, 21 de novembro de 2009

Novo CD de Mestre Vieira já à venda

O novo CD de Mestre Vieira, Guitarrada Magnética, já está à venda. Você o encontra em Belém nas lojas Ná Figueredo da Gentil Bittencourt, 449 (Nazaré), fones 91-3224-8948, e da Estação das Docas (fone 91-3212-3421).


Quem não mora em Belém pode encomendar para o produtor do Mestre, Givaldo M. Pastana, pelo e-mail mirapasta@hotmail.com, a partir de dezembro. Leia o que Givaldo comenta sobre o CD no blog do Mestre Vieira.


Música do Dia: A Beleza da Arte que Emana

Ao conversar com Joãozinho Gomes depois do show do grupo Senzalas no Acorde Brasileiro, aqui em Porto Alegre, na quinta, 19 de novembro, me dei conta de um equívoco aqui no blog: a Música do Dia de 9 de agosto, identificada como "A Beleza da Arte que Emana", na verdade se trata de "Yara", dos paulistas Jean Garfunkel e Paulo Garfunkel, que na letra falam do Amapá. O engano se deu porque "Yara" está identificada de modo incorreto no YouTube.

Publicamos então hoje a verdadeira "A Beleza da Arte que Emana", marabaixo que participou de festivais no Amapá, no Pará e na Bahia, e já fora gravado por Joãozinho e Val Milhomem, em 2007, no CD duplo 50 Anos. A gravação que vamos ouvir é a mais recente, que consta do CD Amazônica Elegância, que Joãozinho e Enrico Di Miceli lançaram este ano. O CD foi viabilizado pela Funarte através do Projeto Pixinguinha - aliás, o projeto do CD foi aprovado justamente com o título A Beleza da Arte que Emana, depois modificado.

JOÃOZINHO GOMES
" A Beleza da Arte que Emana" (Enrico Di Miceli - Joãozinho Gomes)

Ficha técnica:

Participação especial: Celso Viáfora (voz)
Baixo e arranjo: Adelbert Carneiro
Violão e guitarra: David Amorim
Teclado: Edgar Matos
Flauta e sax soprano: Esdras de Souza
Bateria: Marcio Jardim
Caixa de marabaixo: Nazaco Gomes
Sabá e dobrador: Kleber Benigno

(Marcio Jardim, Nazaco Gomes e Kleber Benigno são o Trio Manari)

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Acorde Brasileiro agitando Porto Alegre

Amigos, não atualizamos o blog ontem porque estamos cobrindo todos os eventos do Acorde Brasileiro - Encontro Nacional das Músicas Regionais, que acontece aqui em Porto Alegre até amanhã. Em breve publicaremos aqui no blog as entrevistas que fizemos com os artistas do Norte que vieram tocar no Sul: Seu Miúdo e Seu Canhotinho, Senzalas e Trio Manari - este, no entender de muitos, o grande nome do Acorde 2009. Os paraenses do Manari estiveram fantásticos agora há pouco, ao abrir o show de Dominguinhos, para público escolar - tanto que o mestre pernambucano os convidou para voltar ao palco e tocar com ele no bis.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Foi Show: Pedrinho Cavalléro

O cantor Pedrinho Cavalléro publicou post em seu blog comemorando o sucesso do show em que, no dia 4 de novembro, comemorou seus 30 anos de carreira:

"O show no Margarida Schivasappa (Belém) foi perfeito de público, de carinho, de emoção."

Pedrinho com Clarisse Grova

Veja o texto completo no blog do Pedrinho Cavalléro

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Participe do clipe da Somero!


Na foto acima, de autoria de Anny Barroso, você vê Orib Ziedson, diretor de fotografia do primeiro clipe da banda Somero, "Teu Sorriso", na busca do melhor ângulo. Ao descer com a mão machucada, filosofou:

- O arranhão é passageiro, o clip fica pra eternidade.

A primeira parte já foi gravada, mas você ainda pode participar do clipe! Sim!!! A filmagem acontece em Boa Vista, no Centro Nós Existimos, ao lado da Escola São José, no centro da capital, na quinta, 19 de novembro, a partir das 18h. Confirme sua presença pelo e-mail contatosomero@hotmail.com


Foi Show: Música Magneta

Entrou no ar nesta segunda, no YouTube, vídeo do show que reuniu no sábado, 14 de novembro, segunda noite do Se Rasgum, o pernambucano DJ Dolores e os paraenses Pio Lobato e Mestre Vieira.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Música da Semana: DNA Brasil

A Música da Semana nos foi enviada pelo cantor e compositor Lucimar, do Tocantins, sempre generoso em dividir conosco suas recentes composições.

Vamos ouvir "DNA Brasil", samba animado em que ele defende que o Brasil imite o exemplo da Colômbia e se mobilize para combater a corrupção e o crime organizado.

LUCIMAR
" DNA Brasil" (Lucimar)


domingo, 15 de novembro de 2009

Retrofoguetes não tocará no Se Rasgum

A banda baiana Retrofoguetes, um dos grandes destaques da cena independente deste ano, não mais irá se apresentar em Belém hoje no Festival Se Rasgum, conforme estava anunciado.

Através de comunicado em seu site publicado agora à tarde, a organização do Festival atribuiu a responsabilidade do cancelamento a "um erro com a companhia aérea na emissão das passagens" (NR: a companhia não é identificada no comunicado).


Na Rede: Godzilla por Jenifer Nunes

Jenifer Nunes comentou sexta, 13 de novembro, no blog do Coletivo Palafita as recentes conquistas da banda Godzilla, de Santana (AP), destacando suas participações no Festival Quebramar, semana passada, e sendo uma das atrações da última noite do Festival Se Rasgum, hoje, em Belém:

"Seguindo os passos da Stereovitrola e Mini Box Lunar, que tocaram nos anos anteriores, chega a vez de mais uma banda tucujú atravessar o rio rumo à rasgação nas terras belenenses."


Godzilla na 1ª Noite Fora do Eixo de Macapá
12/6/2009

Leia o texto completo no blog do Coletivo Palafita.

Na Rede: Fotos do Se Rasgum

Estão se tornando comuns as transmissões de festivais da cena independente, através de rádios e TVs virtuais. O Festival Se Rasgum, que encerra hoje em Belém, inovou nesse campo, ao realizar uma cobertura fotográfica dos shows e dos bastidores praticamente em tempo real em seu Flickr.


Das muitas imagens que já foram colocadas no ar, selecionamos esta foto de autoria de Marcelo Lélis que mostra uma entrevista que foi um encontro de gerações entre Pinduca e Fernanda Takai - a vocalista do Pato Fu incluiu um clássico de Pinduca no show da banda.

Na Rede: Jenifer Nunes fala do Festival Quebramar

O blog do Coletivo Raio Q U Parta publicou neste sábado, 14 de novembro, um balanço do Festival Quebramar, que aconteceu nos dias 6 e 7 em Macapá. O texto Festival Quebramar rompe paradigmas culturais no Amapá é de autoria de uma pessoa que ajudou a fazer o Quebramar acontecer: Jenifer Nunes, do Coletivo Palafita e também da banda Mini Box Lunar. Na foto abaixo, de autoria de Ricardo d'Almeida, vemos uma colega de Jenifer (também conhecida como JJ) no coletivo e na banda: Heluana.


JJ destaca a importância da união de esforços de muitos visando o benefício de todos:

Estimular a cultura associativista e gerir o diálogo entre a própria região é integrá-la e propor um modelo de gestão, produção, distribuição e circulação que culminem na construção de uma identidade cultural brasileira assumidamente plural.

sábado, 14 de novembro de 2009

Foi Show: Eletrola no Se Rasgum

O show de retorno da banda Eletrola foi tão aguardado que repercutiu de imediato. Hoje cedo foi publicado no YouTube o vídeo do show de ontem à noite no African Bar, em Belém, que integrou a programação no Espaço Laboratório do Festival Se Rasgum. Assista aí: "Madrugada".

Acorde Brasileiro: conheça Rubens Gomes

Nascido no Amapá, criado em Belém e com passagem pelo Acre antes de adotar Manaus como residência, o luthier Rubens Gomes participa na quarta, 18 de novembro, da primeira mesa-redonda do Acorde Brasileiro 2009. Ele debate A Educação: Práticas de Valorização da Música Regional, juntamente com o antropólogo alagoano Wagner Chaves e a pesquisadora paulista (radicada no Paraná) Lia Marchi. O encontro acontece no Teatro do SESC (Av. Alberto Bins, 665, Centro), em Porto Alegre, a partir das 14h, e tem entrada franca.

Rubens Gomes é o fundador da Oela-Oficina Escola de Lutheria da Amazônia, ONG que há dez anos oferece cursos de lutheria e de marchetaria na Zona Leste de Manaus. Os cavaquinhos, bandolins, banjos, violas caipiras e violões (de seis, sete ou 12 cordas) da Oela foram batizados de Manaós, em referência ao povo indígena que, antes da chegada dos portugueses e espanhóis, vivia na área onde hoje está a capital amazonense. A voluta - a ponta do braço - do modelo de violão fabricado pela Oela tem contorno similar ao da cúpula do Teatro Amazonas, o grande símbolo do ciclo da borracha. A Oela não atua só em Manaus, recentemente criou um núcleo em Boa Vista do Ramos. Foi a primeira escola de lutheria do mundo a conquistar o Selo Verde do Conselho de Manejo Florestal, concedido pelo Forest Stwardship Council - Gomes é um militante ativo do Grupo de Trabalho Amazônico (GTA), rede socioambiental que reúne cerca de 600 associações, institutos, sindicatos e grupos comunitários da região.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Na Rede: Bandas do Rock destaca AltF4

A banda roraimense AltF4 foi o destaque do post desta quinta, 12 de novembro, do fotolog paulista Bandas do Rock.



O post conta a história da banda desde que surgiu, como grupo de jovens estudantes querendo tocar sucesso de outras bandas e incentivados por um professor de artes, passando pelas mudanças na formação até chegar na fase atual:

"É consenso que a banda AltF4 busca atualmente é alcançar números maiores de público, lotar casas de shows, viajar a divulgar o trabalho imposto em Rumo ao Sonho (obs: título do primeiro EP da banda), não só divulgar o nome da banda e sim levar o som e a ‘vibe’ característica da banda AltF4 ao maior número de ouvidos por todo o Brasil além das limitações fronteiriças e comerciais."

Leia o texto completo no fotolog Bandas do Rock.

La Pupuña na TV Cultura dia 16

O grupo paraense La Pupuña é a atração da semana do programa Rumos da Música, na TV Cultura, que vem apresentando os selecionados pelo programa Rumos Música Itaú Cultural 2007/2009.

O programa vai ao ar na segunda, 16 de novembro, às 23h40 (horário de Brasília), logo após o Roda Viva.

Nelson Motta fala de Lia Sophia

No informativo semanal de seu site Sintonia Fina enviado nesta quarta, 11 de novembro, o jornalista Nelson Motta destacou cinco cantoras, entre as quais a paraense Lia Sophia. Motta recomenda a audição de "Quero te Encontrar", faixa do CD Castelo de Luz, sobre o qual afirma:

"Lia Sophia (...) mostra talento e personalidade, com músicas muito bem feitas, ótimos arranjos em clima de big bands, guitarras rasgadas e, sobretudo, excelente interpretação. Lia Sophia, bem vinda ao maravilhoso mundo do suingue."

Lia estava muito bem acompanhada: as outras quatro cantoras citadas por Motta são Clara Moreno, Fernanda Abreu, Adriana Calcanhoto e Teresa Cristina.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Na Rede: conheça Netuh

Você sabia que Netuh (nascido na Bahia, roraimense de coração), vocalista da AltF4, começou a cantar porque não havia quem cantasse na banda? Mas esse lance de improviso ficou pra trás, como prova seu depoimento no fotolog:

"Hoje com um microfone na mão me sinto bem, me sinto forte, e tento passar toda uma energia pra galera nos shows. A cada dia tento me aprimorar, melhorar pra que vocês sempre possam lembrar da Alt com muito carinho."

Netuh no Nostalgia Music Hall (Manaus)
(Foto: Bruna Cavalieri)

Você pode ler o depoimento completo no post publicado nesta quarta no fotolog da banda. Nesta mesma página, constam links para os perfis dos outros três integrantes da AltF4 - e, para alegria nossa, os links todos são da repercussão que temos feito dessa série aqui no Som do Norte. Obrigado, amigos!

A banda também comemora as mais de 400 exibições do vídeo "Lembranças de um Dia" no YouTube. Agora, 1h27 de quinta (horário de Brasília), são exatas 423 visualizações.

Aprenda a cantar com Cacau Novais

Estão abertas as inscrições para o mini-curso de técnica vocal para iniciantes que a cantora e arte-educadora Cacau Novais ministra entre os dias 23 e 27 de novembro na Editora Paulus, em Belém. Os interessados podem se inscrever no local, que fica à Rua 28 de Setembro, 61 (Campina). Informações pelo telefone 91-3212-1195. Vagas limitadas. As aulas acontecerão à tarde, das 16 às 18h.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Aíla Magalhães participará de festival em Marabá

O show Fuxico de Madame é imperdível para quem estiver em Belém hoje. O público presente hoje no Relicário poderá cantar parabéns para Aíla Magalhães, que aniversaria neste dia 11 de novembro.

Em pouco mais de um ano de carreira, Aíla tem se destacado como um dos principais nomes da nova geração paraense. Os vídeos em que aparece cantando no YouTube atestam sua rápida evolução: tudo o que foi postado de abril para cá mostra uma cantora segura, com presença expressiva de palco, e que sabe escolher bem as canções que melhor soarão em sua voz suave. Antes de abril, é claro, boa parte dessas características já se faziam notar - assim não fosse, Aíla não teria sido escolhida Melhor Intérprete do 1º Festival de Música Paraense, em dezembro de 2008, cantando "Vamos", de Felipe Cordeiro e Jorge Andrade.

Ali no Femupa começou a parceria de Aíla com Felipe. Em pouco mais de 10 meses, já são três os festivais em que ela foi premiada interpretando música dele - o mais recente foi o festival de Parauapebas, no começo de outubro, quando "Tambor de Luz" obteve o 2º lugar, tendo Aíla sido acompanhada ao violão por Yanna Cardoso e não por Felipe, como geralmente tem acontecido - e irá acontecer novamente na próxima semana: Aíla e Felipe participam, entre os dias 17 e 22, do FECAM (Festival da Canção de Marabá), com a música "Cinema Tupiniquim".

Aíla em Paraupebas

Em função disso, Aíla não estará na próxima quarta cantando ao lado de Juliana Sinimbú no Relicário - mais um motivo para tornar o show de hoje imperdível!


Na Rede: Soda Acústica no site do Itaú Cultural

Soda Acústica foi a única banda de Rondônia selecionada pelo programa Rumos Itaú Cultural Música 2007/2009. A partir desta seleção, várias oportunidades se abriram para o grupo, entre elas a exibição em rede nacional, no dia 12 de outubro, do show realizado em São Paulo em maio de 2008.


Ontem, a assessora de imprensa da Soda, Janaína Leity, noticiou mais duas conquistas. O site do Itaú Cultural publicou um perfil de todos os grupos selecionados, o que inclui, além da Soda, outros nortistas: Eliakin Rufino, de Roraima, La Pupuña, do Pará, e Los Porongas, do Acre. Junto a um breve perfil, consta a ficha técnica das duas músicas da Soda selecionadas pelo Itaú: "Se" e "A demoEGOcracia" (ambas de autoria de Rinaldo Santos e incluídas no primeiro CD do grupo, lançado em agosto de 2009). As duas músicas podem ser ouvidas no Programa 3 do Rumos 2007/2009, apresentado por Natalia Mallo.

Saiba mais no post publicado nesta terça no Tá pra Parir por nossa colaboradora Edna Samáira.

Na Rede: conheça Rodrigo Souza

A banda AltF4 continua apresentando os integrantes da banda em seu fotolog. Nesta terça, foi a vez do baterista Rodrigo Souza, natural de São Paulo e morador de Roraima desde a infância. É um dos fundadores da banda.

Rodrigo no Grito Rock Boa Vista
(foto: Coletivo TomaRRock)

Veja o post completo no fotolog da AltF4.

Para esta quarta, a banda promete encerrar a série, com o perfil do vocalista Netuh.

Na Rede: Bernie Walbenny e a volta da Eletrola

No seu post desta terça, 10 de novembro, no blog da MTV Belém, Bernie Walbenny comemorou a presença da Eletrola na programação do Espaço Laboratório do Festival Se Rasgum. A banda toca às 23h da sexta, 13 de novembro.

Eletrola foi a primeira banda do Pará a ter clipe exibido pela MTV, porém mesmo com todo o sucesso a banda não sobreviveu à primeira turnê. Os irmãos Eliézer e Natanael Andrade criaram a Johny Rockstar, e Camillo Henrique foi tocar na Turbo. O próprio Bernie chegou a promover algumas jams-surpresas da Eletrola em festas nas quais as duas bandas estavam programadas. A grande novidade é que o show da sexta marca a primeira apresentação oficialmente anunciada depois de muito tempo.

Leia o texto completo no blog da MTV Belém, incluindo a programação completa do Espaço Laboratório do Se Rasgum.

Na Rede: Festival Quebramar na Rolling Stone

O Festival Quebramar, realizado em Macapá nos dias 6 e 7 de novembro, foi destaque no site da revista Rolling Stone na segunda, dia 9. Humberto Finatti é o autor da matéria "Macapá indie -Festival Quebramar coloca a cidade no circuito da nova música independente brasileira" (o rótulo indie é contestado por alguns dos leitores que já comentaram).

Finatti destacou as bandas nortistas Samsara Maya, Degrau Norte, Godzilla ("uma das grandes promessas da cidade, com suas canções que não têm pudor em mixar indie rock de guitarras raivosas com ecos dos anos 80"), Sincera, Ultimato, Amaurose, SPS12 e Stereovitrola. Só lamentou o show extremamente curto de Mini Box Lunar, desfalcada do baixista Sady (à esquerda, em foto de Ricardo D'Almeida). Sady teve um acidente em meio a um show e estava com o braço enfaixado logo durante o Quebramar.

Leia o texto completo no site da Rolling Stone.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Música da Semana: Por Seus Medos

Destacamos esta semana a música "Por Seus Medos", que faz parte do primeiro EP da banda amazonense All41. O EP foi gravado ao vivo no Sesc-Centro de Boa Vista, durante o show que a banda fez no Festival TomaRRock, no dia 11 de outubro, e lançado no YouTube nesta segunda.

All41 é:

Mikhael - vocal/screams
Rodrigo - guitarra/vocal
Juzeh - guitarra
William - baixo
Avila - bateria

1ª Semana de Profissionalização da Música Paraense

Formar uma banda hoje em dia vai muito além de comprar um instrumento, chamar uns amigos, arrumar uma garagem para ensaiar e fazer uma gravação tosca para distribuir nos shows. Se os artistas quiserem ir longe, precisam conhecer os mecanismos do mercado, cuidar do gerenciamento da carreira, aprimorar o trabalho em estúdio e saber se divulgar bem na imprensa, entre outros pré-requisitos.

Pensando nisso, a Associação Cultural Amazônia Independente (ACAI), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-Pará), decidiu promover uma programação paralela ao 4º Festival Se Rasgum: a 1ª Semana de Profissionalização da Música Paraense. De 11 a 15 de novembro, serão realizados workshops destinados a músicos, produtores culturais, técnicos, jornalistas e estudantes, além de mesas de debates e palestras para o público em geral.

As inscrições devem ser feitas até as 12h de quarta-feira (11) pelo site www.serasgum.com.br ou através do email semana@serasgum.com.br, com breve currículo em anexo, contato (telefone ou email) e nome do workshop de que deseja participar. À exceção do workshop de "Gravação de shows ao vivo", que requer ingresso para a noite de sábado do 4º Festival Se Rasgum, toda a programação é gratuita.

O projeto é incentivado pela Lei Semear, com apoio do Governo do Estado do Pará, e integra o Conexão Vivo, iniciativa da Vivo voltada ao desenvolvimento do setor musical brasileiro.

Renome - A programação conta com a participação de alguns dos músicos e profissionais que participarão do 4º Festival Se Rasgum, que acontece nos dias 13, 14 e 15 de novembro no African Bar, em Belém. Para trocar experiências com o público paraense, foram chamados grandes nomes da música nacional. Entre eles, estão o músico André Abujamra (ex-Karnak e atual líder do Gork), o produtor musical Gustavo Dreher (responsável por discos de artistas como Móveis Coloniais de Acaju e Moreno Veloso), o jornalista Alex Antunes (revista Rolling Stone) e Luizinho Clemente (engenheiro de som da banda Pato Fu e que tem no currículo trabalhos com Maria Rita, Padre Marcelo Rossi e Zizi Possi).

Entre os temas dos workshops estão a “Preparação de artistas para a exportação”, “Jingle publicitário”, “Trilha sonora para cinema” e “Técnica de sonorização ao vivo”. Uma das oficinas terá uma parte prática bem associada à programação do Festival. Quem participar do workshop de “Gravação e mixagem de shows ao vivo” vai poder colocar a mão na massa durante o show da banda Dharma Burns.

As mesas redondas vão reunir não apenas pessoas ligadas à produção cultural e musical, como também representantes de empresas que investem em cultura e do poder público. Em debate, direitos autorais, o mercado de música, a circulação de bandas e iniciativas de marketing ambiental.

“Com a Semana, a nossa ideia é expandir as fronteiras do Festival. Em vez de apenas promover os shows, queremos lançar discussões que sejam produtivas para o fortalecimento da cena e para a qualificação de músicos, produtores e técnicos”, explica Marcel Arede, um dos produtores do 4º Festival Se Rasgum.

Conexão Vivo - Dezenas de projetos musicais de todo o país fazem parte do Programa Conexão Vivo, que reúne shows, festivais independentes, gravação de CDs e DVDs, produção de videoclipes, programas de rádio, oficinas e seminários que compõem uma rede nacional e permanente de atividades culturais envolvendo artistas, gestores e produtores culturais, iniciativas públicas e privadas.

O Conexão Vivo realiza ao longo do ano um circuito próprio de eventos onde toda essa diversidade de ações acontece conjuntamente. Além disso, o programa também está presente em muitas das mais importantes iniciativas da cena musical brasileira, seja com o patrocínio de projetos ou parcerias artísticas em eventos de destaque no calendário nacional, como acontece agora com o Festival Se Rasgum e outros festivais independentes, como Jambolada, Arte na Praça, Primeiro Campeonato de Surf Music e 53 HC (Minas Gerais), Omelete Marginal (Espírito Santo) e Coquetel Molotov (Pernambuco).

A construção e articulação de redes culturais nacionais, em diferentes segmentos artísticos, é o foco da Política Cultura da Vivo, que tem no Conexão Vivo uma de suas principais iniciativas. Detalhes sobre as outras linhas de atuação e sobre as formas de participação nos Programas Culturais Vivo estão disponíveis no www.vivo.com.br/cultura. E para saber mais sobre o Conexão Vivo, acesse o portal www.conexaovivo.com.br.

Serviço – Todas as atividades da 1ª Semana de Profissionalização da Música Paraense serão realizadas na sede do Sebrae-Pará em Belém (Rua Municipalidade, 1461), à exceção do workshop de gravação e mixagem de shows ao vivo. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até as 12h de quarta-feira (11), no site da Se Rasgum (www.serasgum.com.br) ou pelo e-mail semana@serasgum.com.br, mediante análise de currículo. É preciso enviar currículo, contato (telefone ou email) para retorno imediato e informar o nome da atividade desejada. Mais informações pelos telefones 3081-6621 e 8239 2476.

1ª Semana de Profissionalização da Música Paraense
De 11 a 15 de novembro na sede do Sebrae-Pará em Belém
Rua Municipalidade, nº 1461

Quarta-feira – 11/11

17h-18h: Credenciamento

18h–20h: Debate de abertura – Iniciativa de investir em cultura
Local: Auditório Sebrae-Pará

Mediador: Marcelo Magalhães (consultor de empresas e diretor da Interpreta)

Participantes: Ibrahim Dahás (Cerpa), Celso Eluan (Sol Informática), Fábio Guerreiro (Vivo), Valentim Figueira (Banco da Amazônia), Vânia Nogueira (Lei Semear) e João de Deus (Sebrae).

20h: Coquetel de abertura da 1ª Semana de Profissionalização da Música Paraense

Quinta-feira – 12/11

9h-12h: Workshop - Os arranjos produtivos locais, as tecnologias sociais e a sustentabilidade dos empreendimentos culturais
Local: Sala 03
20 vagas

Ministrante: Marcus Franchi - Cientista social, atua na coordenação técnica e na articulação institucional do Arranjo Produtivo Local (APL) da cadeia produtiva do hip hop na cidade satélite de Ceilândia, e como consultor técnico do Circuito Fora do Eixo. Trabalhou de 2002 a 2008 no Governo Federal, inclusive como coordenador da Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura.

14h-15h30: Palestra – Jingle publicitário
Local: Auditório Sebrae-Pará

Palestrante: Sérgio Villaça - Baixista das bandas Los Pirata, Gork e do compositor Pélico, Sérgio (mais conhecido por Jesus Sanchez) é um dos donos da empresa Sound Design, que produz trilhas e jingles publicitários em São Paulo. O portfólio da empresa inclui clientes como Portal Terra, Ford, Lacta, Banco do Brasil e Renault.

15h30-17h – Palestra: Programa Pará Pró Música
Local: Auditório Sebrae-Pará

Palestrante: João de Deus - Gerente da Unidade de Comércio e Serviços do Sebrae-Pará

17h-18h – Debate: Marketing ambiental em iniciativas culturais
Local: Auditório Sebrae-Pará

Mediadora: Kátia Correia (jornalista)

Debatedores: José Carlos Lima (secretário municipal de Meio Ambiente), Álvaro do Espírito Santo (Belemtur), Patrícia Gonçalves (ONG No Olhar) e Yuri Nahon (Sustentabilidade em Eventos)

18h – 20h – Debate: Direitos autorais, Creative Commons e mercado fonográfico
Local: Auditório Sebrae-Pará

Mediador: Ismael Machado (jornalista)

Participantes: Vladimir Cunha e Gustavo Godinho (diretores do documentário “Brega S/A”), Alex Antunes, André Abujamra e Edvaldo Azul (blog musicaparaense.org)

Sexta-feira – 13/11

9h-12h – Workshop: Áudio básico, alinhamento de PA e monitor – Atendimento e organização
Local: Sala 03
20 vagas

Ministrante: Luizinho Clemente

Renomado engenheiro de som, atua desde 1991 na área de sonorização. Trabalhou com nomes como Maria Rita, Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, Padre Marcelo Rossi e Zizi Possi. Há cinco anos, trabalha com a banda Pato Fu, acompanhando os músicos em shows pela Europa e Japão.

9h-12h: Workshop – Trilha sonora para cinema
Local: Sala 05
20 vagas

Ministrante: André Abujamra - Músico, compositor e produtor. Compôs a trilha sonora de filmes como “Querô”, “Os 12 trabalhos”, “De passagem”, “O caminho das nuvens”, “Carandiru”, “As três Marias”, Domésticas” e “Ação entre amigos”. Os principais projetos musicais de Abujamra foram as bandas Karnak e Os Mulheres Negras. Atualmente, ele se apresenta com seu trabalho solo e ao lado de sua nova banda, Gork.

14h-18h – Workshop: Produção Musical Contemporânea: do tradicional ao eletrônico
Local: Casarão Cultural Floresta Sonora. Av. 13 de Maio, 363, entre Frutuoso Guimarães e Campos Sales.
15 vagas

Ministrante: Flávio Moreira Santos (“Flu”)

Flávio Moreira Santos ficou conhecido no universo musical pelo apelido Flu. Nos anos 80, fez parte da polêmica e lendária banda De Falla, ao lado de Edu K. Nos anos 90, saiu em carreira solo e se tornou um respeitado produtor musical. Em 1999, lançou o disco “E a alegria continua...”, composto, gravado, arranjado e produzido de forma caseira.

14h-15h30: Palestra – Jornalismo cultural
Local: Auditório Sebrae-Pará

Palestrante: Alex Antunes

Jornalista, escritor e produtor. Alex Antunes fundou a revista Set, foi editor da Bizz e passou pelos mais importantes cadernos de cultura do país. Escreveu o romance “Estratégia de Lilith”, que acaba de ser adaptado para o cinema com o nome “Augustas”, do diretor Francisco Cesar Filho. Idealizador de festivais musicais como Com: Tradição, reunindo nomes de vanguarda como Jards Macalé, Arnaldo Baptista e Maria Alcina e nomes da nova geração, como Wado e Karine Alexandrino. Como músico, Alex fez parte das bandas Akira S & As Garotas que Erraram e Shiva Las Vegas.

15h30-17h – Palestra: Projeto Exportação Música Brasil
Local: Auditório Sebrae-Pará

Ministrante: David Mcloughlin

Representante da Brasil Música & Artes (BM&A), instituição que tem a finalidade de promover a música brasileira no exterior por meio da realização de feiras internacionais. Além disso, procura tratar a música não apenas como arte, e sim como um negócio e um lucrativo produto de exportação.

17h-18h – Debate: Circulação de bandas – A música em conexão pelo Brasil
Local: Auditório Sebrae-Pará

Mediador: Alex Antunes (jornalista/Rolling Stone)

Participantes: André Coruja (músico), Tathy Nunes (Coquetel Molotov), Pablo Capilé (vice-presidente da Abrafin e organizador dos festivais Calango e Grito Rock), Ivan Ferraro (Feira da Música de Fortaleza) e Marcus Franchi (Circuito Fora do Eixo).

Sábado – 14/11

14h-18h – Workshop: Produção Musical Contemporânea: do tradicional ao eletrônico
Local: Casarão Cultural Floresta Sonora. Av. 13 de Maio, 363, entre Frutuoso Guimarães e Campos Sales.
15 vagas

Ministrante: Flávio Moreira Santos (“Flu”)

19h – Workshop: Gravação de shows ao vivo
Local: African Bar – Praça Kennedy, 2 - Esquina com avenida Castilho França – Bairro Reduto
10 vagas
*Pré-requisito: Possuir ingresso para a noite de sábado (14) do 4º Festival Se Rasgum

Ministrante: Gustavo Dreher

É um dos nomes mais badalados da cena independente brasileira. Como compositor, participou de trilhas sonoras como a do filme “Bufo & Spallanzani”, ao lado de Dado Villa Lobos. Mas foi como produtor musical que ele se destacou, participando da gravação de CDs de artistas como Plebe Rude, Móveis Coloniais de Acaju e Moreno Veloso.

Domingo – 15/11

14h-16h – Workshop – Gravação de shows ao vivo
Local: Casarão Cultural Floresta Sonora. Av. 13 de Maio, 363, entre Frutuoso Guimarães e Campos Sales.

Encerramento do workshop com a mixagem e a masterização da gravação do show da banda Dharma Burns no estúdio Casarão Cultural Floresta Sonora.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Trio Manari fala do cancelamento do show no Se Rasgum

No sábado, 7 de novembro, ao saber do cancelamento do show do Trio Manari no Se Rasgum, enviei um e-mail ao grupo, respondido na tarde desta segunda por Kleber Benígno.

A participação do grupo no Acorde Brasileiro está confirmada, o Manari chega a Porto Alegre na manhã do dia 18, vindo do Rio de Janeiro, onde toca com Marco André no dia 17. O grupo estará ensaiando para o show de lançamento do DVD Beat Iú já a partir do dia 14, e é por isso, justifica Kleber, que não será possível tocar dia 13 no Se Rasgum:

- É uma pena não poder participar, as passagens foram marcadas há um mês atrás. Queríamos sim participar, desejamos tudo de bom para o evento aqui em Belém.

Nada será como antes

* Este foi o texto de nossa coluna de 2 de novembro no portal Visto Livre. Novo texto entrou no ar hoje à tarde: Menos dos mesmos

Me espanto ao ver como a associação das palavras “música” e “internet” ainda faz tanta gente pensar logo em pirataria. O assunto voltou à moda porque a cantora Lilly Allen se declarou contra o download ilegal de músicas. OK, desrespeitar o direito autoral é crime, mas não há mais como ignorar o óbvio: a internet é hoje o mais poderoso meio de difusão do trabalho de músicos de todo o mundo.

A ampliação do acesso à internet, somada ao avanço cada vez mais rápido da tecnologia, tem contribuído para a mais profunda mudança já experimentada pelo cenário musical brasileiro. Até pouco tempo atrás, a mudança para Rio de Janeiro ou São Paulo era uma necessidade para artistas de outras regiões que se propusessem a encarar a música como profissão.

A presença do artista no Sudeste ainda segue importante por dois motivos. O primeiro: a região abriga a sede das principais redes de comunicação. Em entrevista publicada no blog Som do Norte em 11 de setembro, Sammliz, vocalista da banda paraense Madame Saatan, me contou que os convites para shows aumentaram já no terceiro mês depois da mudança da banda para São Paulo, devido à “exposição em grandes mídias que circulam nacionalmente”. O segundo motivo: a concentração da malha aérea brasileira na capital paulista. Sammliz lamentou que “morar em Belém tornava caras nossas idas a festivais e complicava planos de turnê”. É bom que se diga que o que antes era obrigação para quem queria começar hoje é alternativa para o crescimento: Madame Saatan chegou a São Paulo já com dois discos gravados (um CD e um EP) e um nome consolidado na cena roqueira do Pará – e nessa consolidação a internet desempenhou um papel fundamental.

Encerro a coluna com um exemplo da força difusora da internet ocorrido agora, em pleno feriadão. Entrou no ar no YouTube na sexta, 30 de outubro, o vídeo em que a banda AltF4, de Roraima, toca “Lembranças de um Dia” (Jubah), gravado no dia 10 em Boa Vista, durante o Festival TomaRRock. No domingo, 1 de novembro, como o vídeo atingira a marca de 303 exibições, escrevi a respeito no blog. Em seguida a própria banda me agradeceu e convidou seus seguidores no Twitter a comentar também; em meia hora, seis fãs atenderam o convite. Para quem achou pouco, informo que isto aconteceu nesta segunda, dia 2 – às 2h da manhã.

Foi Show: 1ª noite do Festival Quebramar

O Coletivo Palafita publicou na tarde deste domingo, 8 de novembro, fotos de Ricardo D'Almeida de shows da sexta, dia 6, primeira noite do Festival Quebramar 2009, realizado em Macapá.

Sandra, baixista da Godzilla (AP), pirando

Além da foto acima, você pode ver no blog do Coletivo imagens das bandas amapaenses Fax Modem e Mini Box Lunar, além da sul-mato-grossense Facas Voadoras.

domingo, 8 de novembro de 2009

Na Rede: Nortistas no Calango 2009

O site do Festival Calango destacou na sexta, 6 de novembro, algumas das notícias publicadas na internet sobre o evento que aconteceu em Cuiabá entre 30 de outubro e 1º de novembro, e do qual participaram cinco bandas nortistas - Vinil Laranja e Sincera (PA), Caldo de Piaba (AC), Mini Box Lunar (AP) e Somero (RR).
  • Bruno Nogueira, no site PopUp!, assim destacou a banda acreana: "[O Calango] É um momento importante de troca, onde o público local tem acesso ao extremo criativo do país, como a excelente Caldo de Piaba, do Acre; a instrumental cearense O Garfo e o rock em português dos Walverdes." (Leia o texto completo: Calango 2009: Cobertura parte dois). Bruno também realizou uma videocobertura do Calango, disponível em 4 partes no post Calango 2009: Cobertura.

Caldo de Piaba por Marcelo Costa
  • Marcelo Costa, no site Scream & Yell, apontou quatro das cinco bandas nortistas como destaques do festival - inclusive aquela cujo show ele não assistiu, Mini Box Lunar. (De tão satisfeito com o desempenho da banda Holger no segundo dia, Marcelo preferiu voltar para o hotel na hora do show da Mini Box, mas o que ouviu a respeito depois fez com que ele incluísse a banda do Amapá como menção honrosa em seu TopTen do Calango). Dos que assistiu, Marcelo recomenda que o público preste atenção no Caldo de Piaba, acredita que Sincera "pode vir a ser o NX Zero do Pará" e assinalou a ousadia de Andro Baudelaire, vocalista do Vinil Laranja, cantar vestido de noiva. Leia o texto completo: O melhor do Festival Calango 2009

Vinil Laranja por Marcelo Costa
  • Tiago Agostini foi outro que se desculpou, ao fazer seu balanço do Calango, por não ter visto Mini Box Lunar. Dos nortistas que assistiu, destacou Caldo de Piaba: "música instrumental com guitarra blueseira mas cozinha suingada." Veja o texto completo na coluna A Day in the Life.
  • No portal Fora do Eixo, Barbara Andrade, do Coletivo Megafônica (Belém) escreveu sobre os shows do sábado (enfim alguém que viu Mini Box Lunar! Barbara definiu os amapaenses como "a surpresa da noite") e Bruna Cruz, do Coletivo Raio q U Parta, de Porto Velho, falou da última noite do evento, destacando a competência dos shows das nortistas Somero e Sincera, as quais também qualificou como surpresas.

Mini Box Lunar por Rafael Monteiro

O blog do Raio q U Parta publicou outros textos sobre o Calango:
Digitos
Um dos melhores relatos sobre o festival foi, curiosamente, escrito por um integrante da banda nortista menos citada nas diversas coberturas: Vinicius Tocantins, da Somero. No texto que escreveu para o site do TomaRRock, Vinicius comenta o festival como um todo, destacando a estrutura, os melhores shows (incluindo todas as bandas do Norte) e adiantando o pré-convite que Somero recebeu do Raio Q U Parta: "fazermos uma mini-turnê em Rondônia durante o Grito Rock nas cidades de Porto Velho, Ji-Paraná e Vilhena", entre outras ações.


Somero no Calango
(Foto: Anny Barroso)

Outro relato de músico a merecer destaque é o do guitarrista acreano Saulinho Machado (que toca na Filomedusa e no Grupo Capú e que foi para Cuiabá a convite da organização do Calango para tocar com o Caldo de Piaba). Saulinho contou tudo, desde as 36 horas de viagem entre Rio Branco e Cuiabá, até o gran finale com o projeto Música do Mato. Dos nortistas, destacou Mini Box Lunar, Somero e principalmente o Sincera: "Fazia tempo que queria ver o show deles. Mandaram ver um hardcore melodioso verdadeiro e convincente." O relato de Saulinho, intitulado Caldo de Calango por Piaba foi publicado no blog do Caldo de Piaba, Piaba no Kombão.

Saiba mais:
  • Veja outras fotos do Calango, por Marcelo Costa, no Flickr
  • Ouça a 1ª parte do programa Independência ou Marte especial sobre os festivais Jambolada (Uberlândia) e Calango. Inclui uma entrevista com Mini Box Lunar.