Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Violão brasileiro de Norte a Sul*

* Este foi o texto de nossa coluna de 14 de setembro no portal Visto Livre. Novo texto entrou no ar agora de manhã: "Sábado de homenagem a Billy Blanco em Belém"

Esteve em Porto Alegre neste final de semana o violonista paraense Salomão Habib, que ao lado do paranaense Fabrício Mattos percorre o Brasil na turnê Violão Brasileiro, do projeto Sonora Brasil do SESC nacional - 80 concertos em 19 estados, em 102 dias.

No repertório, músicas para violão de autores das regiões Norte e Sul. Salomão toca, do Amazonas, Cláudio Santoro ("Prelúdio nº 1") e, do Pará, Tó Teixeira ("Depois da Chuva"), Bem-Bem ("Chimiscaruncho"), Catiá ("Quem Sabe Chora" e "Choro Paraense"), Vaíco ("Choro da Tarde"), Waldemar Henrique ("Valsinha do Marajó"), Nego Nelson ("O Sapato do Velhinho"), Aluísio Laurindo Jr. ("Benedicamus Dominis") e Sebastião Tapajós ("Soldadinho de Chumbo"), além de dois temas seus ("Amassando Açaí" e "Carimbó", este em duo com Fabrício). Do Sul, Fabrício interpreta: de Santa Catarina, Edino Krieger ("Prelúdio" e "Romanceiro"); do Rio Grande do Sul, Bruno Kiefer ("Música sem Nome") e Esther Scliar ("Estudo nº 1"); e do Paraná, Waltel Branco ("Choro Clássico"), Jaime Zenamon (boliviano naturalizado) ("Viúva-Negra") e Cláudio Menandro (baiano radicado em Curitiba)("Capelinha", outra apresentada em duo).

A maratona iniciou em 3 de setembro, em Ponta Grossa, passando depois por outras cidades do Paraná. Do Rio Grande do Sul, os dois vão para o Rio de Janeiro gravar o DVD da turnê e ainda este mês tocar no Espírito Santo, Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso. Na primeira quinzena de outubro será a vez do Norte - Tocantins, Rondônia, Acre, Amapá, Roraima e Amazonas. Depois, até quase final de novembro, os dois tocam no Nordeste: Maranhão, Ceará, Paraíba, Pernambuco (outra gravação está prevista para 24 de outubro, no Recife), Alagoas, Bahia e Sergipe. A maratona encerra em 14 de dezembro, em Santa Catarina.

Espero que em nenhum outro lugar o SESC repita o tratamento dado ao concerto de Habib e Fabrício em Porto Alegre. O concerto deste dia 13 não foi divulgado junto à imprensa. Não pude assistir o concerto, pois a informação que obtive pessoalmente no dia 11 na unidade SESC Centro de Porto Alegre foi de que o início era às 20h, e não às 16h. O público foi de apenas 20 pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário