Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Porque o Norte recebe poucas bandas de outras regiões*

* Este foi o texto de nossa coluna de 8 de setembro no portal Visto Livre (o link remete à postagem original). Novo texto entrou no ar agora à tarde: "Violão brasileiro de Norte a Sul"

Na quinta, dia 3, Fernanda Takai, John Ulhoa e Ricardo Koctus, da banda mineira Pato Fu, conversaram com fãs no auditório das Faculdades Integradas Aparício Carvalho, em Porto Velho (RO), num evento especial da série Sempre um Papo. Já no sábado, dia 5, a banda paulista Ratos de Porão tocou no 1º Independência ou Rock!, no Quadrilhódromo do Tucumã, em Rio Branco (AC), junto com as bandas acreanas Guerrilha PA 44, Scalpo e Survive. Os organizadores dos dois eventos aproveitaram a ida de Pato Fu e Ratos de Porão a Porto Velho para se apresentar no Festival Casarão, pois do contrário sua presença seria inviável economicamente (o Sempre um Papo tem entrada franca e o ingresso mais caro para o Independência ou Rock! custava 20 reais).

Os Ratos de Porão nunca haviam tocado nesses dois estados do Norte. A Pato Fu já se apresentara no interior de Rondônia, a participação no Casarão foi seu primeiro show em Porto Velho. Por aí se vê o importantíssimo papel desempenhado por festivais como este, ao viabilizar a circulação das bandas. Este, aliás, foi o objetivo inspirador da criação do Circuito Fora do Eixo em 2005 por produtores culturais das regiões Centro-Oeste, Norte e Sul. O circuito congrega hoje 40 coletivos do país todo, responsáveis pela maioria dos festivais da cena musical independente.

Em junho, a Pato Fu já participara do PWM Rock Festival, em Palmas (TO); na entrevista que me concedeu em 1º de setembro, Fernanda Takai creditou essas recentes idas da Pato Fu ao Norte mais à trajetória e ao estilo musical da banda que ao fato de ela própria ser nortista (Fernanda nasceu em Serra do Navio, AP). Acrescentou que fica feliz em "tocar em estados da região onde nasci e onde também é muito raro a gente conseguir se apresentar". É justamente no Norte que ela quer fazer as próximas etapas da turnê de seu CD solo Onde Brilhem os Olhos Seus.

Fora dos festivais, porém, bandas consagradas vão pouco ao Norte, pois a distância dos grandes centros torna muito caras as despesas aéreas. A recente criação das Casas Associadas, reunindo 22 casas de show independentes de 10 estados (no momento, apenas uma do Norte, o Tendencies Rock Bar, de Palmas) pode apontar uma mudança para breve neste quadro: a nova entidade conta com o apoio do Circuito Fora do Eixo, parceria que pode ser muito proveitosa a todos os envolvidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário