Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Música do Dia: "Avenida Pequi, S/Nº"

Quem nos escreveu ontem, agradecendo o destaque a sua música "Flauta de Taboca", foi o cantor e compositor Lucimar. O destaque é por mérito, como quem já ouviu pode comprovar, mas ficamos felizes que o autor tenha agradecido - até porque agradecimento de músico inclui quase sempre, além do "obrigado, valeu aí", mais música - e Lucimar mandou logo duas!

Uma delas é a nossa Música do Dia desta quinta: "Avenida Pequi, s/nº". Aqui mais uma vez se ressalta uma qualidade de Lucimar que eu já destaquei em relação a "Flauta de Taboca": o bom humor ao criticar aspectos da realidade que o incomodam, como a valorização nacional de artistas com nem um pingo do talento do seu conterrâneo Genésio Tocantins, homenageado com uma citação na letra. A imaginada Av. Pequi seria então um lugar onde só teria lugar o que há de bom nessa vida.

O "pequi" do título alude a um fruto típico do Cerrado brasileiro; no Norte, é produzido no leste de Rondônia, sudoeste do Pará e no Tocantins; em Goiás é considerado um símbolo. Dele se produz azeite. Comer o fruto requer um certo cuidado, pois sua parte interna tem espinhos. Mas quem já provou arroz ou frango com pequi diz que é tudo de bom.


Lucimar, no Teatro Fernanda Montenegro (Palmas)

LUCIMAR
"Avenida Pequi, s/nº" (Lucimar)

2 comentários:

  1. ACHEI O MÁXIMO A MÚSICA "AVENIDA PEQUI, S/Nº" DE LUCIMAR!! MOSTRA A ATUAL REALIDADE E UM MISTURADO COTIDIANO SERTANEJO E URBANO DO TOCANTINENSE! MAS EU QUERIA SABER ONDE EU CONSIGO A LETRA DELA, POIS SOU MÚSICO E GOSTARIA DE CANTÁ-LA NOS BARZINHOS QUE EU TOCO!

    ResponderExcluir
  2. Segue a letra da música, enviada a nós pelo autor:

    AVENIDA PEQUI, S/Nº
    (Lucimar)

    Aqui cá no meu cantin, comum como qualquer lugar
    Também tem problemas afins, mas como é no cantin, é difícil de achar

    Aqui tô no meu cantin, aqui também é meu lugar
    Aqui tem problema dizer, tem problema saber, e solução pra dar

    Aqui tá do jeito que tá, já faz tempo que aqui tá assim
    Eu ando pela JK e o calor de rachar não tem pena mim
    Na hora eu já chego, depois, talvez, se chover eu nem vá
    Eu sou assim meio arretado, sou aqui do lado, que migrou pra cá

    Por isso eu pego o pandeiro pra tocar a sússia, que a situação ficou russa
    E tem tudo pra ficar melhor
    Sou brasileiro, que torce, mas é consciente, ficar de sorriso sem dente
    E fazer propaganda do nó

    Tô quietinho, mas eu falo, eu ralo, eu me calo, eu peço socorro
    Aquecido, apertado entre lago e o morro, eu moro é na capital!
    E você tá sabendo com quem tá falando, ah meu Deus até quando
    Respeita a polícia que eu tô pagando pra tomar de conta do meu carnaval

    A rua é de sul a norte, de sorte já mudou de nome
    Agora ocê queira ou não queira, pequi tá na beira pra matar a fome
    O povo gosta de forró, imagina se ouvisse Ravel
    Genésio falou de cultura, Rock, Sepultura e a doçura do mel

    A banda da bunda passou, e a flor do cerrado se abriu
    Presente ficou no passado, futuro afetado na boca do rio
    Eu temo pela natureza, beleza que temos aqui
    Eu sonho andar na avenida, asfaltada, florida, chamada Pequi

    Eu desencano e canto esse meu Tocantins
    Araras e aves, afins, e eu canto que nem bacurau
    E quem provou do melado dessa rapadura
    Não esquece jamais a doçura da fruta do nosso quintal

    ResponderExcluir