Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Diz Aí: Sammliz (Madame Saatan)

A vocalista da banda paraense Madame Saatan conversou comigo por e-mail sobre a recente gravação de "Rio Vermelho" dentro do projeto 10 Horas no Estúdio da Trama, a experiência de morar em São Paulo, as saudades de Belém, a expectativa por tocar em Roraima e os planos para o 2º CD.

Som do Norte - Como vocês avaliam sua participação no projeto 10 horas no Estúdio da Trama? Vocês já tinham gravado e mixado uma música em tão pouco tempo?

Sammliz - Gostamos bastante da experiência. Já ensaiávamos a música há um tempo, os técnicos e a produção nos deixaram bem à vontade e aí ficou fácil fluir tudo muito bem, o que levou a gente ter terminado a gravação com tempo de sobra para mixar. Claro que quanto mais tempo a gente tem pra gastar em um estúdio mais queremos alterar e acrescentar algo, mas ficamos satisfeitos com o resultado que saiu das 10 horas. Bem, quanto a ter pouco tempo pra gravar não foi bem algo novo, já que gravamos nosso primeiro CD em 7 dias e lembro que nosso EP também foi em esquema pressão por causa da grana contada.

Sammliz em show do projeto Supernovas
(CCBB, São Paulo, 8/5/2007)
(Foto: Caroline Bittencourt)

Som do Norte - Qual a expectativa de vocês para os shows já agendados em Montes Claros (MG), em setembro, e no Festival TomaRRock, em Boa Vista, em 11 de outubro? Vocês já tocaram em Roraima?

Sammliz -  O show de Montes Claros ficou para outubro e é um lugar que já tocamos e adoramos estar. Boa Vista ainda não fomos e estamos ansiosos pra tocar lá. Na verdade estamos sentindo falta de shows já que andamos bastante caseiros por conta da pré-produção do CD.

Som do Norte - Já há quem defenda que, para os artistas das várias partes do Brasil, a mudança para o eixo Rio-São Paulo deixou de ser um pré-requisito para o sucesso, pois hoje a música circula muito mais pela internet e novas tecnologias do que pelos meios de comunicação de massa tradicionais. Depois de um ano e meio morando em São Paulo, o que vocês podem falar a respeito disso?

Sammliz - A música circula pela internet mas precisamos tocar, fazer bastante shows e conquistar mais público sempre. Esse público consome tua música via net mas também quer te ver ao vivo e em cores se gosta do que escuta. Depois de uns 3 meses morando aqui as coisas começaram a andar mais rápido e tivemos muito mais exposição em grandes mídias que circulam nacionalmente. Isso fez com que mais convites para shows rolassem, além de uns contratos de endorsement que vieram na melhor hora possível. Estamos aqui há 1 ano e meio já que infelizmente morar em Belém tornava caras nossas idas a festivais e complicava planos de turnê. Sentimos saudades lá de cima mas ter decidido ficar em São Paulo em pouco tempo mostrou ser o melhor caminho.




Ivan Vanzar, Sammliz,
Ícaro Suzuki, Edinho Guerreiro

Som do Norte - Imagino que esta gravação de "Rio Vermelho" já esteja garantida para o 2º CD da banda, não é? Para quando os fãs podem aguardar o lançamento do novo disco?

Sammliz - Provavelmente será uma música que estará no segundo CD e em outra versão. Em 2010 ele sai.

6 comentários:

  1. Esperando com muita ansiedade show da banda em Belém e que esse cd venha com toda força do Madame Saatan

    ResponderExcluir
  2. 1° - Eu quero show em Recife

    2° - Muito massa entrevista

    e por ultimo, o Ed me lembrou aquele filho do tiririca na ultima foto... Kkkk

    ResponderExcluir
  3. ahhhh Madaaaameee vem pra NORDESTE, VEM PRA NORDESTEEEEE..

    ResponderExcluir
  4. Grande banda com excelentes músicos, músicas fortes, letras acima da média e uma vocalista que tem o poder na voz. Enfim uma banda de verdade na área.Espero vê-los no rio logo.

    ResponderExcluir
  5. E viva as tuidadas!!!

    Eu to louco pra escutar as músicas novas e ver essa banda tocando ao vivo, eu perdi o último show deles aqui em Cuiabá!
    Esse pitéu canta para caraleo e é uma GATA!!!

    tE AMO Sammmliz

    ResponderExcluir
  6. Lindíssima Sammliz!!
    Madame Saatan diferente de qualquer banda. Estilo único! Sem falar nos termos lingüísticos que só lembram o Pará. Ah, Eu já senti uma pitada do siriá nas músicas. Não sei, mas a banda é bem Paraense. E isso me deixa bastante orgulhoso. PARABÉNS, Madame Saatan!
    E venham logo pra Palmas/To.

    ResponderExcluir