Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

De Olho: Madame Saatan na TV Trama

A banda paraense Madame Saatan, radicada em São Paulo, topou o desafio da Trama: gravar e mixar a música "Rio Vermelho" (Sammliz - Ed Guerreiro) dentro do projeto 10 Horas no Estúdio, com transmissão ao vivo pela TV Trama. Eu também topei o desafio que me fiz: acompanhar na íntegra os trabalhos. Ambos conseguimos.


Madame Saatan em foto de Renato Reis

Evidentemente, o desafio da banda era muito maior, e ela o venceu com folga. O horário estabelecido era das 10 às 20h, e antes das 19h tudo estava encerrado. Claro que a tarefa foi facilitada pelo fato de ter sido escolhida uma canção que já vem sendo apresentada em programas como o Radiola (TV Cultura, 1/6/09) e shows como o do SESI Vila Leopoldina (São Paulo, 23/6/09), porém é preciso destacar o profissionalismo e a objetividade de Madame Saatan no estúdio ("onde", segundo um dos técnicos da gravação, "se vê quem é mesmo músico").

Depois das passagens de som a partir das 10h30 e de uma pausa para uma entrevista às 11h, o processo de gravação valendo iniciou às 12h14. Foram feitos dois takes com metrônomo, seguidos de dois sem este recurso. A gravação do primeiro take foi interrompida pela vocalista, Sammliz, com poucos segundos de som, pois ela sentiu que aquele não era o andamento correto. Procedeu-se então à gravação do take, mas ela voltou a manifestar desconforto: a banda ralentara no final. Após alguns ajustes no som do baixo de Ícaro Suzuki, gravou-se o take 2; Sammliz aprovou o andamento, aliás nesse take o grupo todo gostou da pegada e optou por mantê-la na sequência da gravação.  Às 12h54 o 3º e último take da banda tocando junta foi encerrado. 

A cada take finalizado, banda e técnicos o ouviam juntos, para ver os ajustes necessários. Perto das 13h05, resolveu-se fazer um intervalo para que os técnicos ouvissem tudo o que fora gravado. Apenas Ed ficou no estúdio, para gravar às 12h38 um solo de guitarra a fim de dobrar o peso do instrumento na mixagem. Ao voltar ao estúdio, às 14h05 Sammliz gravou cantando sobre o solo de Ed. Os técnicos começaram a debater se era melhor dobrar a voz, ou gravar novos vocais para inserção. Como já eram 14h40, o resultado do debate foi lógico: se o passo seguinte era começar a discutir arranjo, o melhor era pararem todos para almoçar. 

Os trabalhos foram retomados às 15h35, já com mixagem. Começou-se mixando os instrumentos, às 16h, e passando para a inclusão da voz às 16h56. Às 17h24, o grupo ouviu e aprovou a versão de estúdio de "Rio Vermelho". Somente foram adicionados alguns efeitos, mas já às 18h17 a palavra de ordem no estúdio era fechou, fechou, fechou... Breves ajustes nas pistas de edição ainda foram feitos, antes da gravação do resultado definitivo num DVD virgem às 18h28, enquanto parte da banda saía para mais uma entrevista.  Por volta das 18h46 Madame Saatan deixou o estúdio, usando nem 9 das 10 horas previstas. 

A trasmissão em si - Com certeza, é atraente em si a ideia de poder acompanhar uma banda ao vivo no estúdio, porém a meu ver a Trama poderia reconsiderar alguns pontos para tornar isto realmente um programa legal para quem se disponha a assisti-lo (dando-se o devido desconto de que em transmissões assim pela internet ainda são comuns delays, engasgos e perda momentânea de áudio - sim, houve tudo isso). A imagem transmitida remete aos primórdios do cinema, quando se usava apenas uma câmera fixa dando um plano geral. A transmissão de ontem foi exatamente assim: de manhã, predominaram as imagens da banda gravando, e de tarde dos técnicos mixando. Mas em nenhum momento a banda foi vista inteira (Sammliz só apareceu quando gravou a voz sobre a guitarra, e num breve momento de descontração, perto das 11h, quando a banda toda brincou com a câmera, mandando beijinhos para amigos e familiares em Belém). Na técnica quase sempre a imagem estava escura, mais do que no estúdio. Era comum também se ouvir alguém falando fora de quadro (já que, como disse, a câmera não era movida). 

Um ponto positivo a destacar é a forma como a Trama sinaliza os intervalos. Um cartaz anunciava estes momentos: estampou "Daqui a pouco" perto das 10h, informou ser horário de "Almoço" perto das 15h, e que o trabalho estava concluído já a partir das 19h - nesses dois últimos momentos, quem chegava à página já ouvia o áudio gravado ontem, que ficou rodando até depois das 20h10. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário