Aqui se fala do som dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

sábado, 19 de abril de 2014

Macapá: Confraria Tucuju prepara Festa de São Jorge

Por Mariléia Maciel,
de Macapá


São Jorge terá uma grande homenagem este ano em Macapá e vai reunir todos os devotos do santo guerreiro em um cortejo que vai percorrer a orla da cidade e encerra com uma celebração ecumênica e shows no Largo dos Inocentes. A programação acontece no dia 23 de abril, quarta-feira, e será  realizada pela Confraria Tucuju, que preza pelas tradições macapaenses. A entidade abraçou a iniciativa do músico Jorginho do Cavaco, que há anos faz a homenagem, e com a parceria do Governo do Estado e Prefeitura de Macapá, realiza o festejo

Macapá é mais uma das cidades brasileiras que cultua São Jorge, que tem devotos em todo o mundo, pela história de lutas e vitórias. A história conta que foi martirizado na Capadócia no ano 303. É venerado no catolicismo e nas religiões afro-brasileiras, onde é simbolizado pela imagem de Ogum. Na capital amapaense, em seu dia, as igrejas, centros de cultos afros e em casas de devotos, muitas homenagens são feitas, e a intenção da Confraria Tucuju é reunir os devotos do santo, que está enraizado em nossa cultura religiosa.

Nesta primeira edição, terá ainda a parceria da Comissão de Organização da Festa de São Tiago, de Mazagão Velho, município amapaense. É de lá que vêm os dois personagens que simbolizaram São Jorge e São Thiago em 2013, na festa tradicional que reverencia os dois mártires no mês de julho. Sandovan Júnior, São Jorge, e Adriano Pontes, São Thiago (ambos nas fotos que ilustram este post), estarão vestidos à caráter, montados em cavalos, na frente da procissão.

A concentração será às 16h no Complexo Araxá para a adesivagem. O cortejo sai às 16:30 e percorre a orla até o Largo dos Inocentes, onde a segunda parte da programação acontece.  O padre Paulo Roberto e o Pai Cláudio de Oxóssi celebram o momento religioso, com a participação da Banda Afro-Brasil e Grupo de Dança Baraká. A programação encerra com shows, como de Val Milhomem, Joãozinho Gomes, Samba de Jorge, Lolito do Bandolim, Enrico Di Micelli, Nivito Guedes, Osmar Júnior, Ivo Cannuti e outros. O encerramento será com a bateria dos Boêmios do Laguinho. 



Marabaixo do Laguinho começa Domingo de Páscoa na Casa da Tia Biló em Macapá

Por Mariléia Maciel,
de Macapá





Na casa da Tia Biló os festeiros e integrantes do grupo Raimundo Ladislau deixam tudo pronto para  Domingo de Páscoa, quando o Ciclo do Marabaixo terá início no Laguinho. Os festeiros Iury Soledade e Raimundo Ramos, respectivamente tataraneto e neto do Mestre Julião Ramos, trabalham para que o Ciclo do Marabaixo inicie e encerre dentro das perspectivas de manter a cultura secular e fortalecer a fé no Divino Espírito Santo e na Santíssima Trindade. Os festejos iniciam agora e só encerram em junho, no dia de Corpus Christi.


Iuri Soledade e Raimundo Ramos,
com a gengibirra à espera dos brincantes


No Laguinho a programação segue a tradição e durante os três meses de honrarias acontecem rodadas de marabaixo, bailes de sócios, novenas, missa e café da manhã. Desde que mestre Julião Ramos atravessou do centro de Macapá para povoar o Laguinho, estes momentos são regados a caldo, gengibirra, fogos e muitas roupas floridas e brancas. “Mantemos os costumes dos antigos para preservar nossa memória. Ainda criamos ‘ladrões’ de marabaixo contando nossa história e preservamos nossa fé”, diz Iury Soledade.

Para a abertura do Ciclo, mais de 90kg de gengibre para fazer o gengibirra foram comprados e ¼ de boi será usado com muita verdura para o caldo. “Até domingo a gengibirra está apurada. Ela está na medida, só tem que ser degustada com cuidado, mas o caldo corta o efeito e deixa todo mundo brincar no salão sem problemas até o final da festa” diz Iuri. Os fogos serão manuseados por um profissional para evitar acidentes. As fitas coloridas e as coroas que representam o Divino e a Santíssima Trindade estão limpas aguardando os devotos e promesseiros.

Desde que o Governo do Estado sancionou a Lei aprovada na Assembleia Legislativa, o Ciclo é realizado em quatro locais, dois na Favela, antigo Santa Rita, e dois no Laguinho, que são bairros tradicionais inicialmente povoado por negros. Nos últimos anos a comunidade de Campina Grande, zona rural de Macapá, também realiza as homenagens. O Governo do Estado e a Prefeitura de Macapá patrocinam os eventos. No sábado os festejos começam na Favela, na casa de Bibi Costa e Natalina Costa, e no Laguinho nas casas de Tia Biló e Mestre Pavão. Sempre a partir das 16h.



sexta-feira, 18 de abril de 2014

Shows da Semana: Sergio Salles, Ronaldo Silva & Allan Carvalho

O Sesc Centro (Macapá) recebeu nesta terça, 15, um raro programa duplo no Projeto Botequim. Como os paraenses Ronaldo Silva e Allan Carvalho se encontravam na capital amapaense (onde já haviam feito um show na sexta, 11), o cantor e compositor Sergio Salles, que estava na pauta desse dia, ofereceu-lhes parte do seu tempo para que ambos cantassem no Sesc.

Sergio Salles (fotos: Fabio Gomes)

Sergio Salles abriu os trabalhos por volta das 22h, interpretando apenas composições próprias, como "Nada Bem" e o samba "Proverbiando", além de músicas falando de horóscopo e da vida noturna. 





O violonista Helder Melo (acima), que acompanhou Sergio, aproveitou para mostrar sua composição "Diáspora".

Em seguida, Ronaldo e Allan voltaram a apresentar seus principais sucessos, tanto do repertório do Arraial do Pavulagem quanto das respectivas carreiras solos, tendo no acompanhamento os músicos Franklin Furtado (percussão), Alan Gomes (baixo) e Paulo Bastos (percussão) - o primeiro, paraense, veio com Ronaldo e Allan para esta temporada; os outros dois, amapaenses.

O bom público presente ao SESC cantou e dançou ao sucesso de temas como "Biduin", "Represa do Querer", e várias outras toadas de boi (com homenagens aos bois Malhadinho e da Estrela, além, é claro, do Boi Pavulagem), retumbões e até reggae (sim!).


Allan Carvalho e Ronaldo Silva;
em segundo plano, Alan Gomes e Franklin Furtado


Outro destaque da noite é que a cantora Patricia Bastos fez ali sua primeira aparição pública após o anúncio de sua tripla indicação para o 25º Prêmio da Música Brasileira.

Allan Carvalho, Alan Gomes, Patrícia Bastos,
Franklin Furtado, Ronaldo Silva e Paulo Bastos

Patrícia iniciou cantando "Rodopiado", música de Ronaldo Silva que gravou no CD Zulusa (2013), tendo o autor declamando na hora do solo. Seguiu com "O Meu Grande Amor não há quem Meça" (Enrico Di Micelli - Joãozinho Gomes), do CD inédito Timbres e Temperos, que dedicou ao esposo, de aniversário naquela terça; nesta canção, Enrico Di Micelli acompanhou Patricia ao violão. Em seguida os dois, Enrico e Patricia, cantaram outra do já citado CD inédito, "Estamparia" (Enrico Di Micelli - Jorge Andrade). 


Alan Gomes, Patricia Bastos, Franklin Furtado, Paulo Bastos e Enrico Di Micelli

Ronaldo e Enrico mostraram uma antiga parceria sua, do tempo em que Enrico (que é paraense) ainda morava em Belém: "Vida Vadia", composição que lembra muito o estilo de Vital Lima.


Ronaldo Silva, Alan Gomes, Franklin Furtado, Enrico Di Micelli e Paulo Bastos

A hora da canja prosseguiu com Paulo Bastos, que chamou sua mãe Oneide Bastos para cantar uma homenagem a Danniela Ramos, bisneta de mestre Julião Ramos, patriarca do marabaixo do Laguinho, bairro do qual foi um dos fundadores. Na sequência, Paulo cantou outra música sua, na qual compara o Criador a um compositor.


Oneide Bastos, Alan Gomes e Paulo Bastos


Retomando os trabalhos, Allan Carvalho surpreendeu fazendo uma versão sensível do "Baião Psicodélico" (Zé Gonzaga) - inclusive com trechos em inglês (!) -, que emendou com "Qui nem Jiló" (Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira). Ronaldo voltou ao palco, e a dupla mandou logo o hit "Tambor de Couro" (Ronaldo Silva), seguindo-se uma sequência de merengues (incluindo o  "Merengue Latino", também de Ronaldo, que menciona Macapá na letra). Pra encerrar, o clássico carimbó "Lua, Luar" e, apenas nas vozes de Allan e Ronaldo, "Bandeira de Ouro". 




Agenda Manaus: 1 a 7 de maio


Agenda Macapá: Tocandira Ritual Fest


 As bandas:
- DESOLATION
- NOVA ORDEM
- MATINTA PERERA

+ Participação Especial:
- Hanna Paulino
- PJota Pacheco
- Tico Souza
- Jaime Lopes
- Alan Flexa
- João Amorim

+ Pintura Corporal:
- Tema indígena com o pessoal do 100ID

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Agenda Belém: 8 a 14 de maio


Agenda Rio Branco: 22 a 30 de abril


Macapá: Ciclo do Marabaixo da Favela inicia no Sábado de Aleluia

Por Mariléia Maciel



O Ciclo do Marabaixo do bairro Santa Rita, antiga Favela, inicia neste final de semana e prossegue até o mês de junho, seguindo a tradição. A Associação Berço do Marabaixo prepara os festejos religiosos e lúdicos na casa da Dona Natalina, que todo ano realiza a programação junto com os festeiros, que em 2014 está a cargo de Loren Mendes e Marinês Lopes, descendentes dos primeiros moradores de Macapá. No Sábado da Aleluia elas recebem os participantes e convidados para a festa, que inicia com a inauguração da Biblioteca Cultural Gertrudes Saturnina.




Fé – Na Favela somente a Santíssima Trindade é louvada na festividade, que começa agora e só termina no dia de Corpus Christi. Ela é um dos Mistérios da crença católica, que acredita em um só Deus, formado pelo Pai, Filho e Espírito Santo. Familiares contam que dona Saturnina fez uma promessa para Santíssima pedido que sua filha Natalina engravidasse, e com a bênção alcançada, foi feito um almoço para doze crianças, que representam os apóstolos, que se repete até hoje.

Tradição e Respeito - Atualmente, para garantir sua manutenção da cultura sem causar problemas para a comunidade, algumas adaptações tiveram que ser feitas. Hoje os fogos só são estourados até 22h nos dias de festa, e o som que reproduz as caixas de marabaixo não ficam no volume máximo. Os Bailes dos Sócios foram substituídos pelas rodas de marabaixo alternativo, e, para ajudar a preservar o meio ambiente, somente um mastro é tirado no Curiaú, o outro é em acrílico. Outra medida é o incentivo dado para que as crianças tragam da mata muitas mudas para serem plantadas no bairro.

Programação – Este ano uma iniciativa da Associação vai contribuir para a preservação da história. No Sábado de Aleluia, às 16h, será inaugurada a Biblioteca Gertrudes Saturnina, com obras literárias e de arte de artistas com trabalho voltado para a cultura afro. Logo após inicia o marabaixo que encerra à meia-noite. A programação continua no dia 30 de abril, e mais dois marabaixos em maio. No mês de junho,  quatro rodadas completam o ciclo.  

Programação do Ciclo do Marabaixo 2014

ABRIL
Dia 19 – Sábado da Aleluia
16h – Marabaixo da Aleluia
- Inauguração da Biblioteca Cultural Gertrudes Saturnino
- Exposição das obras de: Piedade Videira (escritora)
                                            Ivaldo Souza (escritor)
                                            Elenilda (artesã)
                                            Egídio Gonçalves (artista plástico)
                                            Willian Cruz (artista plástico)
- Início da rodada de marabaixo
Dia 30 – Véspera do feriado
16h - Marabaixo do Trabalhador

MAIO
Dia 11 – Dia das Mães
16h – Marabaixo das Mães
Dia 24 – Sábado do Mastro
16h – Marabaixo do Mastro

JUNHO
De 6 a 14 – Atividades Religiosas
De 19h às 21h – Ladainha da Santíssima Trindade
Dia 8 – Domingo da Murta
De 16h – Marabaixo e levantamento do mastro às 7h do dia 9
Dia 15 – Domingo da Santíssima Trindade
De 8h às 18h
- Missa na casa da Dona Natalina
- Café da Manhã
- Almoço dos Inocentes
Dia 19 – Dia de Corpus Christi
18h –  Marabaixo de Corpus Christi - Encerramento




quarta-feira, 16 de abril de 2014

Renato Torres lança clipe de "Sim"



O cantor e compositor Renato Torres lançou ontem o clipe de sua música "Sim". Não se trata, porém, de um vídeo feito especificamente para a música, e sim um trecho do curta-metragem Tambatajá de Marrí, do cineasta Rudá Miranda, lançado no Cine Olympia (Belém) no ano passado. Conforme o próprio Renato explicou ontem no Facebook, a canção entrou de forma despretensiosa no filme, e foi elevada à categoria de canção-tema do amor tempestuoso entre Ossanha e Gente Boa nessa história singular de uma ilha no Pará (no caso, a ilha de Colares, onde o filme foi rodado). 

Este se tornou o primeiro registro oficial desta canção de Renato que integrava o repertório dos shows da cantora Luê a partir de abril de 2011, chegando a ser  incluída no CD virtual ao vivo do show Tu, Já Rainha que lançamos aqui pelo Som do Norte em dezembro daquele ano.




Agenda Belém: 22 a 30 de abril







Agenda Macapá: 15 a 21 de abril









Agenda Ariquemes: Café com Rock



terça-feira, 15 de abril de 2014

Molho Negro lança clipe e single de "Concurso"



Concurso
De uns tempos pra cá, a grande meta da juventude brasileira deixou de ser mudar o mundo; se não todos, muitos se contentam em passar em um concurso público. Este, em linhas gerais, é o tema da nova música da banda paraense Molho Negro, lançada hoje como single e clipe através do site Tenho Mais Discos que Amigos. O lançamento antecipa o novo CD do grupo, que sai pelo mesmo site em 8 de maio. 

O som é o costumeiro do "Molho": rock de garagem, riffs no talo, bateria matadora. Visualmente, o clipe brinca com o tema da música - enquanto a letra descreve um processo de acomodação, semelhante ao da primeira música que a banda lançou ("Fliperama Superstar", de 2012), o clipe mostra justamente um momento de surto de quatro funcionários públicos - o que pode ser consequência de tantos sonhos represados e deixados de lado. 

Altamente recomendável. 


Agenda Manaus: 22 a 30 de abril


Agenda Manaus: 15 a 21 de abril





 




Agenda Boa Vista: 15 a 21 de abril


Quatro artistas do Norte concorrem ao 25º Prêmio da Música Brasileira

Foi divulgada hoje a lista dos artistas e discos que concorrem ao 25º Prêmio da Música Brasileira, cuja entrega acontece, como de hábito, no Rio de Janeiro, no dia 14 de maio. Como também é hábito, são pouquíssimos os artistas do Norte que foram indicados como finalistas. 

A nortista com mais indicações é a amapaense Patrícia Bastos, que novamente é apontada na categoria Melhor Cantora Regional, pelo CD Zulusa, indicado como melhor álbum regional. Novamente porque Patrícia já havia sido indicada para a mesma categoria em 2010 (relembre aqui). Patrícia concorre também a Artista Revelação, ao lado de dois grupos paulistas, o Bixiga 70 e o Vento em Madeira. A categoria Regional tem ainda o paraense Felipe Cordeiro indicado como Melhor Cantor. 

Fecham a lista de nortistas indicados a Banda Calypso (PA), como Melhor Grupo de Canção Popular, e o grupo Os Cariocas, liderado pelo paraense Severino Filho, na categoria Melhor Grupo de MPB, 





INDICADOS:
Artista revelação
• Bixiga 70, disco ‘Bixiga 70’
• Patricia Bastos, disco ‘Zulusa’
• Vento em Madeira, disco ‘Brasiliana’
Melhor grupo de canção popular
• Banda Calypso (‘Ao vivo no Distrito Federal’) 
• Cheiro de amor (‘Flores’)
• Monobloco (‘Arrastão da alegria’)
Melhor grupo de MPB
• Boca Livre (‘Amizade, Boca Livre’)
• Orquestra Criôla (‘Subúrbio Bossanova’)
• Os Cariocas (‘Estamos aí’)
Melhor álbum de música regional
• ‘3 Brasis’, de 3 Brasis, produtor gravadora Kuarup
• ‘Canta Gonzagão’, de Quinteto Violado, produtor Quinteto Violado
• ‘Zulusa’, de Patricia Bastos, produtores Du Moreira e Dante Ozzetti
Melhor cantor de música regional
• Felipe Cordeiro (‘Se apaixone pela loucura do seu amor’)
• Sérgio Reis (‘Questão de tempo’)
• Victor Batista (‘Manchete do tico-tico’)
Melhor cantora de música regional
• Bia Goes (‘Bia Goes’)
• Maria da Paz (‘Outro Baião’)
• Patricia Bastos (‘Zulusa’)

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Agenda Belém: Saudade (Dele) da Bahia

Foto: Bruno Pellerin

Dentro do projeto Centenário da MPB, o instrumentista e compositor Yuri Guedelha tem homenageado desde 2010 compositores brasileiros que têm completado 100 anos nesse período - entre eles, Noel Rosa, Wilson Batista, Luiz Gonzaga e Geraldo Pereira.

Desta vez, Yuri, o grupo Sarau Brasil e seus convidados homenageiam Dorival Caymmi, nascido a 30 de abril de 1914. O baiano Dorival Caymmi é responsável em grande parte pela imagem que a Bahia tem hoje em dia, seu estilo inimitável de compor e cantar influenciou várias gerações de músicos brasileiros. Dorival Caymmi é considerado um dos maiores compositores da MPB. As canções que celebrizaram Caymmi versam na maioria das vezes sobre temas praieiros ou sobre a Bahia e as belezas da terra, o que colaborou para fixar, de certa forma, uma imagem do Brasil para o exterior e para os próprios brasileiros. 

         Algumas das mais marcantes são “A lenda do Abaeté”, “É doce morrer no mar”, “Marina”, “Maracangalha”, “ Saudades de Itapoã”, “Doralice”, “Samba da minha Terra”, “Lá vem a Baiana”, “Suíte dos Pescadores”, “Saudade da Bahia”, “Dora”, “Oração de Mãe Menininha” , “Rosa Morena”, “Eu não tenho onde morar”,” “Das Rosas”  e “Só Louco”. 

Em 60 anos de carreira, Dorival Caymmi gravou cerca de 20 discos, mas o número de versões de suas músicas feitas por outros intérpretes é praticamente incalculável. Sua obra possui inigualável número de obras-primas. 

            FICHA TÉCNICA DO  SHOW

YURI GUEDELHA  (Diretor Musical, Arranjador, Voz e Sopros)
SARAU BRASIL: Diego Xavier (cavaquinho); Edir Paes (contrabaixo); Marcelo Ramos (piano);  Mauro Ricardo (Violão); Moises Santa Rosa (Percussão); Murilo Silva (percussão); Paturi (Percussão)

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL
Alfredo Reis; Almirzinho Gabriel; Gisele Griz; João Lopes; Jordana Santos; Karen Tavares; Madalena Allivert; Malu Guedelha e Pedrinho Cavallero.

BACKING VOCAL: Ana Pinho; Léo Meneses e Renata Jacob

SERVIÇO:
“SAUDADE (DELE) DA BAHIA” – Show em homenagem ao Centenário de Dorival Caymmi.
DATA: 30 de Abril de 2014
HORÁRIO: 19:00
LOCAL: SESC- BOULEVARD
ENTRADA FRANCA
                      

Diz Aí: Ronaldo Silva e Allan Carvalho

Allan Carvalho e Ronaldo Silva 
(foto: Fabio Gomes)

Entrevistamos no final da tarde desta segunda os cantores e compositores Ronaldo Silva e Allan Carvalho, que estão desde a semana passada fazendo shows e conhecendo colegas de Macapá. Em conversa realizada no hotel onde estão hospedados, no centro da cidade, ambos falam da alegria de estar no Amapá (Allan, inclusive, pela primeira vez), da parceria, dos CDs já lançados e em projeto e, naturalmente, do Arraial do Pavulagem. Ronaldo começa falando de como foi viabilizada a vinda para Macapá.





Nesta terça, 15 de abril, Ronaldo e Allan se apresentam no SESC Centro, a partir de 22h, com abertura de Sérgio Salles. Entrada franca. 



Agenda Palmas: 15 a 21 de abril


domingo, 13 de abril de 2014

Shows da Semana: Macapá

  • João Amorim - Museu Sacaca, 10.4.14
(Foto: Prsni Nascimento)


O artista interpretou músicas de seu recente CD Nômade, como a faixa-título, mais "Dia", "A Praça" e "Margaridas" (esta, atendendo pedido da platéia). Também mandou sucessos de Ed Motta, Marina Lima, Chico Buarque, Osmar Júnior e Djavan, entre outros. O show teve um momento erudito com a apresentação de "Valsa da Dor" (Heitor Villa-Lobos). Perto do final da primeira parte, enquanto tocava "Espanha" (Chick Corea), João surpreendeu a todos literalmente mandando pro chão o teclado Casio no qual tocou todo o começo do show. 

(Fotos: Fabio Gomes)

Kassia Modesto fez o momento da poesia...

... tendo Lorrana Maciel como uma das convidadas

  • Ronaldo Silva e Allan Carvalho - Diretoria, 11.4.14


Os dois músicos paraenses estão fazendo uma breve temporada em Macapá. No show deste sábado, lembraram sucessos do Arraial da Pavulagem, como "Canoinha da Guiné", além de temas de projetos paralelos - Allan, do grupo Quaderna (como "Biduin"), e Ronaldo de sua carreira solo. O público cantou junto hits como "Represa do Querer", "Uirapuru", "Tambor de Couro", "Merengue Latino", "Dança na Mata" e os carimbós tradicionais "Lua, Luar" e "Pescador". Allan fez um pot-pourri de brega, reunindo "Garçom", sucesso de Reginaldo Rossi, com a sua "Que Brega é Você?" e "Eleanor Rigby", dos Beatles. Houve diversas participações especiais: Enrico Di Micelli e Patricia Bastos cantaram "Estamparia", do CD inédito Timbres e Temperos. Patrícia cantou, acompanhada por Enrico, "Eu sou Caboca" (faixa-título do seu quarto CD) e "Gogó do Nego" e, já com Allan Carvalho ao violão, "Canoa Voadeira" (que abre o novo disco Zulusa). Patrícia tambem dividiu com Brenda Melo os vocais de "Domingo de Páscoa", tendo o autor, Paulo Bastos, ao violão. Também participaram os cantores-compositores Paulo Bastos e Sergio Salles e o saxofonista paraense Alexandre Pinheiro, que também se encontra em Macapá nesta semana. 




Patricia Bastos, Allan Carvalho, Franklin Furtado
e em segundo plano, Paulo Bastos e Alan Gomes

Brenda Melo, Patrícia Bastos, Enrico Di Micelli, Paulo Bastos
e Nena Silva (ao fundo, à direita)

Quem não conseguiu ver, ou quer ver novamente, Ronaldo Silva e Allan Carvalho, não precisa se preocupar: eles participam do show de Sergio Salles no Projeto Botequim do SESC Centro nesta terça, 15 de abril. 

  • Jota Mambembe - Shopping Vila Nova, 12.4.14


Foto: Taty Taylor

O artista apresentou composições próprias, além de sucessos dos anos 1970-80, com destaque para músicas "lado B" de Belchior, Cazuza, João Bosco, Tim Maia e Renato Russo. 

Agenda Santana (AP): 13 de abril


Agenda Belém: 15 a 21 de abril